Justiça brasileira ordena expulsão de indígenas Guarani Kaiowá

Por , 10/10/2012 15:22

Carta da comunidade Guarani-Kaiowá de Pyelito Kue/Mbarakay-Iguatemi-MS para o Governo e Justiça do Brasil

Nós (50 homens, 50 mulheres, 70 crianças) comunidades Guarani-Kaiowá originárias de tekoha Pyelito kue/Mbrakay, vimos através desta carta apresentar a nossa situação histórica e decisão definitiva diante de despacho/ordem de nossa expulsão/despejo expressado pela Justiça Federal de Navirai-MS, conforme o processo nº 0000032-87.2012.4.03.6006, em 29/09/2012.

Recebemos esta informação de que nós comunidades, logo seremos atacada, violentada e expulsa da margem do rio pela própria Justiça Federal de Navirai-MS. Assim, fica evidente para nós, que a própria ação da Justiça Federal gera e aumenta as violências contra as nossas vidas, ignorando os nossos direitos de sobreviver na margem de um rio e próximo de nosso território tradicional Pyelito Kue/Mbarakay.

Assim, entendemos claramente que esta decisão da Justiça Federal de Navirai-MS é parte da ação de genocídio/extermínio histórico de povo indígena/nativo/autóctone do MS/Brasil, isto é, a própria ação da Justiça Federal está violentando e exterminado e as nossas vidas. Queremos deixar evidente ao Governo e Justiça Federal que por fim, já perdemos a esperança de sobreviver dignamente e sem violência em nosso território antigo, não acreditamos mais na Justiça Brasileira.

A quem vamos denunciar as violências praticadas contra nossas vidas?? Para qual Justiça do Brasil?? Se a própria Justiça Federal está gerando e alimentando violências contra nós. Nós já avaliamos a nossa situação atual e concluímos que vamos morrer todos mesmo em pouco tempo, não temos e nem teremos perspectiva de vida digna e justa tanto aqui na margem do rio quanto longe daqui. Estamos aqui acampados 50 metros de rio Hovy onde já ocorreram 4 mortos, sendo 2 morreram por meio de suicídio, 2 morte em decorrência de espancamento e tortura de pistoleiros das fazendas. Moramos na margem deste rio Hovy há mais de um (01) ano, estamos sem assistência nenhuma, isolada, cercado de pistoleiros e resistimos até hoje. Comemos comida uma vez por dia. Tudo isso passamos dia-a-dia para recuperar o nosso território antigo Pyleito Kue/Mbarakay.

De fato, sabemos muito bem que no centro desse nosso território antigo estão enterrados vários os nossos avôs e avós, bisavôs e bisavós, ali estão o cemitérios de todos nossos antepassados. Cientes desse fato histórico, nós já vamos e queremos ser morto e enterrado junto aos nossos antepassados aqui mesmo onde estamos hoje, por isso, pedimos ao Governo e Justiça Federal para não decretar a ordem de despejo/expulsão, mas solicitamos para decretar a nossa morte coletiva e para enterrar nós todos aqui. Pedimos, de uma vez por todas, para decretar a nossa dizimação/extinção total, além de enviar vários tratores para cavar um grande buraco para jogar e enterrar os nossos corpos. Esse é nosso pedido aos juízes federais.

Já aguardamos esta decisão da Justiça Federal, Assim, é para decretar a nossa morte coletiva Guarani e Kaiowá de Pyelito Kue/Mbarakay e para enterrar-nos todos aqui. Visto que decidimos integralmente a não sairmos daqui com vida e nem morto e sabemos que não temos mais chance em sobreviver dignamente aqui em nosso território antigo, já sofremos muito e estamos todos massacrados e morrendo de modo acelerado. Sabemos que seremos expulsas daqui da margem do rio pela justiça, porém não vamos sair da margem do rio. Como um povo nativo/indígena histórico, decidimos meramente em ser morto coletivamente aqui. Não temos outra opção, esta é a nossa última decisão unânime diante do despacho da Justiça Federal de Navirai-MS.

Compartilhada por Lúcia Carneiro.

http://frentedeacaopro-xingu.blogspot.com.br/2012/10/justica-brasileira-ordena-expulsao-de.html

75 respostas para “Justiça brasileira ordena expulsão de indígenas Guarani Kaiowá”

  1. CABE A TODO CIDADAO COM UM PINGO DE SENTIMENTO DE INJUSTICA RECLAMAR E PROTESTAR ESTAATITUDE TAO DESUMANO DA JUSTICA DO MS. CABE A NOS NO EXTERIOR, QUE APOIAM OS GUARANI NA SUA LUTA LEVANTAR AS NOSSAS VOZES E CHAMAR ATENCAO DAS ‘AUTORIDADES’ BRASILEIRAS DE ASSUMIR A CULPA PELO GENOCIDIO QUE ESTAH APOIANDO.
    TEM VERGONHA NA CARA OU NAO PRESIDENTA DILMA ? TEM VERGONHA NA CARA MARTA AZEVEDO ? VAI DEIXAR MAIS MASSACRES DE INDIGENAS ACONTECEREM ATE NAO TEM MAIS INDIO NO BRASIL ?

  2. A pretensa justiça instituída mata. Não mata os Kaiowa Guarani. Mata todos e todas. Mata nossa dignidade humana. Nós nos deixamos matar. Nós criamos a justiça à nossa imagem e semelhança. A civilização criada tem exatamente a nossa cara. Matamos por morosidade, por “imparcialidade”, por excesso de legalidade. Por cruel omissão. Por cegueira de não enxergar que a morte do Outro é a nossa própria morte. Dizia Glauber Rocha: “Cada um por si e Deus contra todos”. Luiz Augusto Passos

  3. REGINALDO VELOSO says:

    Hoje para os cristãos católicos do Brasil é festa da Mãe de Jesus, venerada como N. S. APARECIDA. Sua imagem é de uma mulher negra, assim como, no México, em Guadalupe, ela apareceu como índia… Um sinal de Deus para nós: como Igreja, queremos ser solidários como a Mãe de Jesus, com os mais sofridos, injustiçados, perseguidos abandonados, ameaçados de morte… Que a Justiça deste país saiba não somente condenar os políticos corruptos, mas, antes de tudo, os juízes corruptos, que um pouco por toda parte se vendem aos poderosos e comprados pelo dinheiro dos ricos se passam para cometer essas arbitrariedades que nos envergonham como povo e como seres humanos.

  4. Aurelio Mayorca says:

    Poucas pessoas podem entender, mas : A EXPLOSÃO DEMOGRÁFICA DO HOMEM BRANCO É QUE ESTÁ DIZIMANDO OS ÍNDIOS E TODA A NATUREZA. É preciso exigir que a ONU reconheça a EXPLOSÃO DEMOGRÁFICA MUNDIAL como uma doença humana, social e ambiental , antes que seja tarde demais , já é tardiamente, resta-nos minutos. É atribuída a Madre Tereza a frase: NÃO EXISTE EXLOSÃO DEMOGRÁFICA , É VONTADE DIVINA. Urge corrigir esse grave erro da igreja (a igreja está cumplice deste genocídio dos índios, já foi desde a invasão das américas, no século XV , mas precisa mudar).

  5. almerita says:

    Eu,como brasileira e descendente de índios…me sinto desolada,a tristeza que me causou a leitura dessa carta não conseguirei descrever com palavras.Me envergonho de viver num país onde uma barbárie dessas está acontecendo e ninguém dá ouvidos ou luta pra mudar essa triste realidade. Pra mim fica cada vez mais difícil entender o porquê de tanta maldade com nosso semelhante.

  6. Cassiana says:

    Meu deus com é triste isto… nao é possivel isto…

  7. Jane Silva says:

    Até quando vamos ignorar tanta corrupção é politicos “mensalão” e agora Juizes que deveriam conforme juramento manter a ordem e justiça, são verdadeiros bandidos e assassinos indiretos. Ora para que Deus faça justiça neste pais.

  8. Heitor Karai Awá Ruvitxá Gonçalves says:

    Mais uma Vergonha em termos Sociais e respeito à Pessoa Humana! Mais corrupção na Justiça Federal! Algum fazendeiro está de olho na terra das aldeias Pyelito Kue e Mbrakay! É sempre assim um fazendeiro quer a terra das Aldeias, vai para Brasília e tem uma “conversinha” com a Justiça Federal e logo, antes que a Justiça faça o seu proclama já espalha através de seus pistoleiros as ameaças ao Povo Indígena que vive nessa terra há 7.000 anos!
    Esse verdadeiro achaque tem que acabar! CHEGA! O POVO BRASILEIRO NÃO AGUENTA MAIS VER TANTA SENVERGONHICE!

  9. Cristina Terra says:

    Tem que fazer este caso chegar ao Supremo Tribunal Federal!!!
    Lá existe JUSTIÇA!
    OS ÍNDIOS TEM QUE SABER QUE AINDA EXISTE JUSTIÇA neste país, mas elaestá lá no SUPREMO.

  10. Se pensamos em sermos minimamente civilizados , devemos obter justiça para um povo que tem sofrido historicamente com nosso modo de vida e crescimento econômico desordenado e predatório…Quem é selvagem afinal ? Por hora beira o ABSURDO !

  11. Hoje culturalmente “embranquecidos” nos esquecemos que aqui sangraram nossos ancestrais na resistência a invasão estrangeira, e continuam sangrando nossos parentes na atualidadeno jogo de interesses privado, para o enriquecimento de alguns. Ou melhor dos mesmos. PAra mim, o pior é estarmos no século 21, com o dominio do conhecimento, com leis que protegem os povos e etnias, na chamada igualdade racial e ainda assistirmos ao genocídio dos povos originários. E assim, matamos com a indiferença aos problemas, as injustiças ou em nome da lei. Nada disso é novo na história desse país.
    Tem origem potiguara e sofro com a injustiça contra qualquer ser humano nesse planeta. Os poderes constituídos deveriam cuidar dos nossos povos, e não privilegiar os ricos. Vamos utilizar as redes sociais, sair as ruas, nos juntarmos a luta dos Guarani-Kaiowá de Pyelito Kue/Mbarakay-Iguatemi-MS. Agora lembro de uma frase de Che: “Se você é capaz de tremer de indignação a cada vez que se comete uma injustiça no mundo, então somos companheiros”. Eu acrescento que nesse caso, somos parentes. Defender os Guarani-Kaiowá é defender nossa propria vida.

  12. Tania Almeria says:

    “Nós, Todos Nós Somos o Povo Brasileiro” – E, não podemos continuar vivendo no Paraíso da inconsciência, vendo o Nosso Povo ser consumido por essa Máquina Destrutiva engolidora de Gente e Natureza: A Máquina do Poder – Até quando serão os donos do corpo e da alma do Povo Brasileiro?

  13. Gustavo Ricardo Angriman says:

    minha tristeza não tem limite,estou lhorando lagrimas de sangre pela injustiça inacreditável deste Governo que diz “Brasil carinhoso”, e uma burla á cidadanía.Esta situação é inaceitável ,Cabe denuncia ante a Corte Internacional de Direitos Humanos.
    Temos que agir antes de que esta tragedia anunciada se consume.
    Não paro de me sorprender pelas injustiças,perpetradas pelo governo do PT.

  14. Adriana says:

    Calma, nem tanto ao céu, nem tanto á terra. Onde estão os fatos “do outro lado”? Apenas vimos uma versão da história. Não estou dizendo que não seja verdade, mas acho que precisamos ouvir/conhecer os dois lados. Pode ser, sim, que esteja ocorrendo uma injustiça, mas acho que o outro lado também precisa ser ouvido antes de nos posicionarmos. Quanto ao nosso débito com os povos indígenas, claro que foram historicamente expulsos de suas terras e os dizimados – não há dúvidas. Mas, não fomos “nós”, nossa geração hoje existente sobre a terra. Foram nossos antepassados. Devemos respeito, mas´”nós” não somos culpados. Podemos tentar amenizar, ajuda-los a recuperar a dignidade. Só não devemos nos sentir culpados pelas desgraças que lhes acontece. Há uma lei universal e imutável que é a transformação (suave ou à força) de todas as coisas: da politica, da economia, da sociedade com seus costumes e tradições. O concurso de conquistador/conquistado sempre houve ao longo dos milenios. Egipcios conquistavam povos. Mais tarde, os egipcios eram comquistados por outros. Os fenícios e os gregos também foram. Os próprios romanos dominaram o mundo, destruindo linhagens humanas inteiras, impondo costumes, linguagem, leis… E mais tarde, também foram conquistados. A cada conquista, avanços surgiam na ciencia, na linguagem, na escrita, nas artes. Nenhum de nós, descendentes diretos da civilização romana, se sente culpado pelos nossos antepassados terem dizimados inumeros povoados chamados “bárbaros”. Ao contrário, nossa propria lingua é derivada do latim, nossos costumes, nossa ciencia. Acho que devemos respeito aos povos indigenas. Mas, precisamos ter em mente que existe um mundo imenso além das fronteiras deles, e junto a este mundo, todo um aparato tecnológico que exige uma adequação/ajustamento de cada indivíduo. É preciso acompanhar as mudanças, se não quiser ser extinto. As tradições podem ser cultuadas, mas é preciso também aceitar que o novo, as mudanças, as transformações, estão batendo à porta e vai se tornar impossivel viver no anacronismo diante disso. Digo novamente, ~devemos respeitar os costumes, certamente. São povos milenares. Mas, não podemos impedir o progresso (que não pode ser feito “a qualquer custo” com assassinatos, como descreve o nobre representante indígena, obviamente). Mas, conquistador/conquistado existiram desde tempos imemoriais e nem por isso nos sentimos responsáveis porque os celtas não existem mais, hebreus, fenícios, espartanos…. Enfim, vamos repensar um pouco.

  15. Diante dessa vergonhosa calamidade que sentido pode ter quando o governo dessa nação tenta promover alguma campanha anti violência??
    Amados irmãos indígenas, creiam que ainda podemos contar com uma intervenção sobrenatural do Juiz dos Juízes!

  16. racismoambiental says:

    Nem sempre é fácil, mas este blog defende a liberdade de expressão e opinião, desde que os comentários sejam devidamente identificados e expressos em linguagem respeitosa. Então, embora discordemos das posições da leitora acima, elas estão sendo democraticamente publicadas.

  17. Adriana says:

    Criei uma página pra recolher assinaturas e protestar com a presidente, o juíz que assinou isso e o governador. Por favor, assinem!

    http://www.avaaz.org/en/petition/Protest_before_Kaiowa_tribe_being_expelled_Impeca_que_tribo_Kaiowa_seja_expulsa_de_sua_terra/?ftTDmVab

  18. racismoambiental says:

    Assinamos, mas que tal criar uma página também em Português, para inclusive podermos dar divulgação etc?

  19. Acho que devemos criar a página sim, em português e divulgar o mais rápido possível.Devemos ter uma única página, OFICIAL, para que as assinaturas não fiquem divididas e enfraquecidas. Pelo amor de Deus, temos que fazer alguma coisa rápido!!!! Meu coração está sangrando de tanta dor!!!!!!

  20. Temos que nos fortalecer pra apoiar esta comunidade,que fazer???OUTRA calamidade pública é total abandono do metal que temos no BRASIL 98/por cento NIÓBIO, metal carissímo, esta sendo explorado pela INGLATERRA,ESTADOS UNIDOS e outros e o governo Federal D. DILMA faz desintendida, nossas riquezas nas maos de extrangeiros, há muita coisa errada no nosso BRASIL….

  21. Kátia Maia says:

    Precisamos lutar para que o racismo de qualquer tipo seja erradicado do nosso país. Pensei em entrar em contato com a Secretaria de Direitos Humanos e direto com a ministra Maria do Rosário relatando esse horror. Outra ação seria uma petição pública recolhendo as assinaturas necessárias para impedir mais esse abuso. Essa petição pode ser colocada nas redes sociais.
    Parada não vou ficar. Um abraço e vamos a luta!

  22. Kátia Maia says:

    Postei no FaceBook o link da petição e vou compartilhar para que consigamos nossos objetivos. Um abraço

  23. Machry says:

    revoltantemente aberrante!!!!!!!!!

  24. Machry says:

    revoltante

  25. o processo nº 0000032-87.2012.4.03.6006, referido nas publicações, não consta no site do tribunal de justiça do mato grosso do sul. (http://www.tjms.jus.br) ou (http://www.tjms.jus.br/esaj/portal.do?servico=190090)

    alguém aqui sabe porque?

  26. Luana says:

    Já temos este link em português.

    http://www.avaaz.org/po/petition/Salvemos_os_indios_GuaraniKaiowa_URGENTE/?fxFhZbb&pv=1

    Neste momento com 10.939 assinaturas.

    Assinem, compartilhes, divulguem.

  27. Luiz says:

    Apelo às autoridades decentes do Estado e Federais que atentem para essa situação e façam extinguir tal decreto, cessem os maus tratos e mortes…quisera eu estar em situação de devolver na mesma moeda o que tem sido feito a esta comunidade…instintos primitivos tomam conta do meu espirito quando constato situações como essa, de que são alvo os verdadeiros brasileiros dessa terra…morte sim, mas aos canalhas que lucram com tais barbaridades…

  28. Bruna says:

    Na minha opinião, costumo dizer que os chamados brasileiros são um só: OS ÍNDIOS, esse sim são brasileiros natos donos da terras brasileiras o resto são povos de fora e infelizmente não ha interesse nenhum nos índios pois eles não tem nada a oferecer pra sociedade. Acho que teria que fazer abaixo assinado, blog, paginas nas redes sociais ou qualquer outra coisa para defesa dos direitos dos indios.

  29. Rodrigo says:

    Esse eh o Brasil….. Tomara q o mundo acabe mesmo assim essa palhaçada acaba….. Tenho vergonha de ser Brasileiro…….

  30. Resposta a Adriana says:

    Adriana,

    Que pena o que disse… Parace-me que seu modo de pensar está moldado pelo positivismo, pela inexorável necessidade do progresso racional, linear, cartesiano. A maneira com que se vive não se resume a concepções desse porte, mas de como nossa alma nos exige. Viver como índio é escolher uma maneira de viver simplesmente. O progresso desconsidera qualquer jeito de viver que não esteja contemplado em seu modelo de evolução. Quem sabe você poderia parar e refletir um pouco mais antes de emitir e cravar algumas opiniões. Não acredito que sua alma diria o que escreveu.

  31. Vanessa Shall says:

    Há um jeito de acabar com isto! Nossa união, o reconhecimento de que indio, negro, branco, é tudo a mesma coisa! Somos irmãos. Por isso, se é pra morrer estarei juntos com vocês!!!
    Como vou dizer ao futuro que assisti por anos a extinção de vocês e fiz nada. Comuniquem o dia do despejo, e estarei aí. Ou a terra de todos, ou não desejo viver nesta terra de ninguém.

  32. Que absurdo! Que vergonha, Brasil! Porque não vão retirar e tirar a posse dos colarinhos brancos que compraram terras e mais terras com dinheiro desviado dos governos/prefeituras e todas as fontes-tetas do Governo? Que vergonhoso pra nós essa falta de compromisso com pessoas que estavam aqui antes mesmo de nascermos….meu Deus, estou extremamente indignada!

  33. Thiago Vandré says:

    vamos fazer uma pressãozinha aqui? eles precisam saber que a gente tá indignado, a coisa não pode parar no falatório de internet:

    http://www.senado.gov.br/senadores/

  34. Marise says:

    Triste…muito triste. Devíamos estar de luto por essas pessoas, aos quais muitos devem a descendência, abandonados à sua própria sorte e dizimados pela ganância e pelo poder. E assim a nossa história e a nossa terra vai se perdendo. Me faz pensar se estamos mesmo “seguros” em algum lugar deste país, e se estamos, até quando?! :(((

  35. Marise says:

    E a pergunta que não quer calar…onde está a FUNAI!? A que interesses serve e quais são suas prioridades…Não devia ser a vida e o bem estar dessas pessoas?! Vergonha….

  36. Julio Farias Alves says:

    Apoio os índios e que a justiça fedorenta ponha as mãos sangrentas na consciência antes que seja tarde!

  37. Muita indignação, pois a justiça neste país aos nativos, aos povos que sofreram uma invasão, escravidão e perversão fica óbvia que é nenhuma. Mas quando se vivem numa democracia burguesa tudo é possível para os “donos do Poder”.
    Mais uma vergonha para todos nós, que a luta pela justiça de fato seja a nossa bandeira.
    A barbárie impera para as minorias mais que nunca, que país é esse?!!

  38. marcia says:

    LAMENTÁVEL. E AINDA VÃO COLOCAR OUTRO DA MESMA LAIA NA PREFEITURA DE SP.ESTÃO ACABANDO COM A ÚNICA PUREZA DESSE PAÍS.E AÍ,VCS QUE VOTARAM NO PT ESTÃO FELIZES AGORA? TEREMOS DOIS FERIADOS DE FINADOS.21 DE ABRIL.

  39. Carlos Pereira Junior says:

    Estou perplexo diante de tal fato, como nós, cidadãos brasileiros estamos tão longe de sermos aquele povo hospitaleiro para os nossos vizinhos, mas somos tão ruins para nossos compatriotas. Fique emocionado com tal carta, espero que algo seja feito, espero que eu possa fazer algo.

  40. Rosa Maria Alves Pereira says:

    Morte ou morte de qualquer maneira – essa é a saga indígena no Brasil. Não contem com a minha aprovação. A constatação é uma forma de conscientização contra o genocídio efetuado pela justiça brasileira. É preciso mudar essa situação URGENTE. Que o indígena possa viver com dignidade. Que nossos antepassados sejam respeitados.

  41. Ordem e Progresso….. a esfinge de nossa bandeira, retrata a mentira de toda uma nação que em nome do progresso aniquila-se a ordem, um país que pensa em uma história nova enterrado a história de um povo que desde sempre foi o dono desta terra.. sinto vergonha do verde amarelo.

  42. Jéssica dos Santos says:

    Gente nao é esse o mundo que quero pra mim ou para quem quer que seja, quem devia estar nos protegendo, hj esta nos matando

  43. Luis Claudio says:

    Os fazendeiros Gaúchos que invadiram o Mato Grosso nos anos 70, poderiam ao menos deixar um quinhãozinho de terra ao donos originais da terra.Porém a ganancia é tanta, que querem tudo para eles. Plantar e colher a qualquer preço para lucro sem fim…este é o lema destes fazendeiros que por lá estão.Falta um pouco de fraternidade e amor ao próximo. Não é preciso dar tudo. Deem oque é necessário para este povo viver em paz. e deixem-nos viver em paz na terra que sempre foi deles…

  44. Siéllysson says:

    Este país tinha uma civilização que foi aos poucos invadida saqueada, exterminada. Teremos que rever este filme? Que justiça é essa? Que país é este que não cuida do seu povo?

  45. Raja says:

    Eu lamentar muito de governo brazileiro

  46. Nossa, que crueldade horrível. Sinto-me triste por fazer parte desta nação que é governada em sua maioria por líderes vis e corruptos. Como podem tratar os nativos assim? Estamos destruindo uma civilização que habitava estas terras muito antes de chegarmos aqui com nossa ganância. O ser humano é muito cruel. Sempre foi e, infelizmente, acho que sempre será. Foi assim na Inquisição da Idade Média. Foi assim no Holocausto nazista. Coisas assim me fazem perder a esperança de que um dia toda a humanidade será humana de verdade. Este é o mundo dos adultos… Lamento muitíssimo pelos nativos, estes seres humanos a quem tomamos sua terra sagrada. Temos sido uma completa desgraça. O pior de tudo é quando não são os fazendeiros a atacar pobres inocentes, é o nosso próprio governo. Que coisa lamentável. Lutemos por nossos irmãos oprimidos. Não deixemos que sejam mais massacrados do que foram.

  47. Algum Peregrino says:

    Continuemos com as nossas lutas para acabar com todas as injustiças sem sentido do nosso mundo. Esta é a nossa Terra. Somos todos seres humanos, filhos da mesma terra, das mesmas águas. Devemos sempre protestar ao que está errado, pois nós podemos. Se todos quisermos, nada deste mundo nos impedirá.

  48. Munish says:

    Deixa o Indio viver em Paz deixa o Indio,deixa em nome de Deus. (Tom Jobim)

Deixe uma resposta

Programação feita por Ricardo Álvares, utilizando uma versão modificada do tema Panorama, criado por Themocracy.