Via Campesina Internacional se soma à convocatória de Greve Internacional das Mulheres

“Estamos comprometidas a construir alianças para a luta das mulheres camponesas contra o capital e a violência hétero-patriarcal. Assim, apoiamos e nos unimos à Greve Internacional das Mulheres nesse 8 de março”

Da Página do MST

Na próxima quarta-feira, 8 de março as mulheres da Via Campesina de todo o mundo, realiza lutas contra o capital, as transnacionais e o sistema patriarcal e machista, que tanto oprime, explora e violenta as mulheres. 

Diante de um contexto de avanço da direita sobre os direitos conquistados e do aumento da violência de gênero, as camponesas do mundo, levantam sua voz por seus direitos, por seus territórios e sementes. Além de afirmar a bandeira: ‘Basta de Violência contra as Mulheres!’

Outro elemento que ganhou força foi a convocatória para a Greve Internacional das Mulheres. Em trecho do documento da Via, as camponesas ressaltam a unidade na luta campo e cidade e se somam a luta de todas as mulheres.

“Estamos comprometidas a construir alianças para a luta das mulheres camponesas contra o capital e a violência hétero-patriarcal. Assim, apoiamos e nos unimos à Greve Internacional das Mulheres nesse 8 de março”, afirma.

CONVOCATÓRIA DE AÇÃO DA VIA CAMPESINA PARA O DIA 8 DE MARÇO

Para as mulheres da Via Campesina de todo o mundo, o dia 8 de março é um dia de luta, resistência, denúncia contra o sistema capitalista, as transnacionais e o sistema patriarcal e o machismo, que oprime, explora e violenta as mulheres. Também é um dia de solidariedade com a luta de todas as mulheres.

Como camponesas, estamos plenamente comprometidas com a luta pela soberania alimentar como solução para uma mudança sistêmica. Isso inclui nossa luta pelo acesso à terra, à água, à saúde e às sementes. Utilizamos a agroecologia como uma prática política que contempla um mundo construído sobre os princípios da justiça e da igualdade.

Nos últimos tempos, vimos um aumento da violência contra as mulheres. Nossas lutas e resistências estão sendo criminalizadas em um contexto de conservadorismo crescente, de desmantelamento das políticas públicas e de violações aos direitos das mulheres, conquistados através de longas lutas. A crescente tomada de poder dos governos de direita e das forças hétero-patriarcais impuseram uma dura realidade, na qual as mulheres são assassinadas com impunidade, são violadas e sofrem violências das mais diferentes formas todos os dias, com o objetivo de manter e realocar as mulheres nos espaços privados, da casa, dos cuidados, e dizer que o nosso lugar não está na política ou na vida pública e social.

Por isso, é necessário que nós, as camponesas do mundo, nesse 8 de março, saiamos às ruas, nos mobilizemos, atuemos e defendamos nossos direitos, nossas terras, nossas sementes, nossos alimentos saudáveis, e levantemos nossa voz dizendo ‘Basta de Violência contra as Mulheres!’, cada organização levando suas bandeiras de luta e de acordo com o seu contexto local. Estamos comprometidas a construir alianças para a luta das mulheres camponesas contra o capital e a violência hétero-patriarcal. Assim, apoiamos e nos unimos à Greve Internacional das Mulheres nesse 8 de março.

Basta de Violência contra as mulheres!
Globalizemos a luta!
Globalizemos a esperança!

Deixe uma resposta

O comentário deve ter seu nome e sobrenome. O e-mail é necessário, mas não será publicado.