46ª Assembleia Geral dos Povos Indígenas de Roraima elegerá nova coordenação geral do CIR

Por Ascom/CIR 

O Conselho Indígena de Roraima (CIR), as comunidades indígenas, os parceiros, as entidades e instituições convidadas estão na expectativa da realização de mais uma simbólica e histórica Assembleia Geral dos Povos Indígenas de Roraima, que ocorrerá nos próximos dias 11 a 14 de março, no Centro Regional Lago Caracaranã, região da Raposa, na Terra Indígena Raposa Serra do Sol.

Neste ano, a 46ª Assembleia Geral dos Povos Indígenas de Roraima traz como tema “Unir para fortalecer a vida e a cultura dos povos indígenas”, escolhido pelas lideranças indígenas na última reunião Ampliada realizada no mês de dezembro de 2016, no Centro Indígena de Formação e Cultura Raposa Serra do Sol (CIFCRSS).

A Assembleia, além de debater diversos temas, também elegerá a nova coordenação geral do Conselho Indígena de Roraima (CIR), incluindo a Secretaria do Movimento de Mulheres Indígenas de Roraima. A nova composição substituirá a coordenação eleita em 2011 e composta pelo coordenador geral Mario Nicacio, Wapichana, vice-coordenador, Ivaldo André, Macuxi e a secretária do Movimento de Mulheres Indígenas de Roraima, Telma Marques da Silva, Taurepang.

Após indicação nas assembleias regionais e aprovada na segunda reunião Ampliada, concorre a nova coordenação geral, Enock  Barroso Tenente, Taurepang, comunidade indígena Aracá, região do Amajari, Terra Indígena Aracá, Tedir Alves, Macuxi, comunidade indígena Pedreira,  região do Surumu e Edinho Batista de Sousa, Macuxi, comunidade indígena Maturuca, região das Serras, ambos da Terra Indígena Raposa Serra do Sol.

Para a Secretaria do Movimento de Mulheres Indígenas, Maria Betania Mota de Jesus, Macuxi, comunidade indígena Aningal, região Amajari, Terra Indígena Aningal, Gabriela Nascimento Peixoto, Macuxi, comunidade indígena Renascer, região Surumu e Sara Pereira da Silva, Macuxi, comunidade indígena Pedra Branca, região das Serras. As últimas mulheres também são da Terra Indígena Raposa Serra do Sol.

O processo eleitoral que começou no dia 16 de janeiro e terminou nesta segunda feira, 6 de março, percorreu nas nove etnoregiões base do CIR, Serra da Lua, Tabaio, Amajari, Murupu, Baixo Cotingo, Raposa, Surumu, Serras e Wai-Wai. Para o pleito foram disponibilizadas pela Comissão eleitoral as fichas de votação, onde cada comunidade das 235 membros do CIR pôde escolher de forma democrática a nova coordenação.

O resultado sairá no primeiro dia da Assembleia, 11, conforme a programação. Os dois mais votados assumirão a coordenação geral, assim como a primeira mulher mais votada será a atual secretária do Movimento de Mulheres Indígenas de Roraima, para um mandato de dois anos, 2017 a 2019.

Esse ano, os povos indígenas discutem no primeiro dia, os resultados das atividades anuais, informes regionais e o balanço geral da coordenação geral do CIR, nos anos de 2011 a 2017.

Estão previstos para o segundo dia, 12, os temas análise de conjuntura sobre os direitos indígenas e situação administrativa, política e jurídica das terras indígenas em Roraima, com a presença de lideranças indígenas, Clovis Wapichana, Jacir Macuxi e Davi Kopenawa, além, dos representantes das entidades indigenistas e organizações indígenas, Conselho Indigenista Missionário (CIMI), Instituto Socioambiental (ISA), Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (APIB) e das instituições públicas, a Fundação Nacional do Índio(FUNAI), Ministério da Justiça, Instituo Brasileiro de Meio Ambiente(IBAMA).

Para o terceiro  dia, 13, a Assembleia trás o tema sobre política e sustentabilidade e política de saúde e educação escolar indígena. Participam dessa mesa, os representantes da Companhia Nacional de Abastecimento (CONAB), Secretaria de Estado do Índio (SEI), Instituto Chico Mendes da Biodiversidade (ICMBio), Secretaria Especial de Saúde Indígena (SESAI) e demais instituições locais e nacionais. À noite haverá o lançamento da publicação Majariana, fruto da parceria entre o CIR e o Instituo Socioambiental (ISA), que resultou na publicação que retrata a vida, os costumes tradicionais e questões territoriais das Terras Indígena Ponta da Serra, Anaro e Ananás, na região do Amajari.

O último dia, 14, será dedicado para os trabalhos de grupo com os temas sustentabilidade, gestão territorial e ambiental, monitoramento e vigilância, seguranças indígenas, regimento interno, papel do CIR, política partidária e planejamento.

Após a apresentação dos trabalhos de grupo, deliberação e aprovação das propostas, a Assembleia encerrará com a posse da nova coordenação geral do CIR.

Com o kit maloca (pratos, colheres, copos, redes, lençol, mosquiteiros e demais produtos de higiene pessoal), os indígenas e os participantes convidados  começam a chegar no Centro Regional Lago Caracaranã, nesta sexta feira, 10 de março e com o retorno somente no dia 15, conforme a programação da Assembleia.

Imagem: Posse da última reeleição na 44ª Assembleia Geral dos Povos Indígenas de Roraima, realizada em março de 2015, no Centro Regional Lago Caracaranã – Foto: Mayra Wapichana

Deixe uma resposta

O comentário deve ter seu nome e sobrenome. O e-mail é necessário, mas não será publicado.