Mortes fetais em Sorriso teriam relação com agrotóxicos

Keka Werneck, repórter do GD

Médico Wanderlei Pignati, professor da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), que pesquisa impactos do uso de venenos agrícolas em regiões fortes do agronegócio no Estado, alerta autoridades de Sorriso (420 quilômetros ao Norte de Cuiabá), que estão investigando a série de cinco óbitos fetais na cidade, para a possibilidade do fenômeno ter ocorrido por contaminação química.

Em Sorriso, em 10 dias, cinco mulheres sofreram com a interrupção da gravidez e a morte dos fetos, em variados períodos de gestação.

“É importante observar a situação clínica desses fetos, se ocorreu má formação, se ficaram cardíacos, onde essas mulheres moram, se é perto de lavouras se soja, algodão e milho, que usam diversos produtos agrotóxicos que podem sim causar perda de bebês e outros problemas graves de má formação e de saúde”, ressalta Pignatti.

A pesquisa que ele conduz, em parceria com a Fundação Oswaldo Cruz, a Fiocruz, do Rio de Janeiro, uma das principais instituições mundiais de pesquisa em saúde pública, teve repercussão internacional, quando apontou, nas primeiras revelações de resultados, a presença de resíduos de agrotóxicos no leite materno das mães lactantes de Lucas do Rio Verde, cidade mais próxima de Sorriso.

Na primeira fase da pesquisa, a investigação foi feita em Sorriso, Lucas, Nova Mutum, Campo Verde e Primavera do Leste, região tida como o “coração” do agronegócio.

Na primera fase, a pesquisa analisou o leite de 62 voluntárias e encontrou algum tipo de resíduos químicos em todas as amostras, sendo que em 76% delas detectou o Endossulfam, proibido no Brasil e em diversas localidades do mundo, por ser considerado cancerígeno e altamente agressivo ao organismo humano.

Na segunda fase da pesquisa, ainda em curso, a investigação está sendo feita em Campo Novo do Parecis, Campos de Julho e Sapezal – região também muito forte no plantio de soja.

As mortes

Dia 3 de março, às 10h23, natimorto masculino de Marciene Maria de Jesus Souza e Edgar Alves dos Reis.

Dia 9 de março, às 3h, natimorto masculino de 27 semanas de gestação de Ana Priscilla Santos e Romário Rodrigues Costa.

Dia 10 de março, óbito de natimorto masculino de Maria Eduarda Nascimento Almeida, com 39 semanas de gestação.

Dia 12 de março, morte intrauterina de menina com 39 semanas de gestação, ás 23 horas. Mãe Fernanda Triches e Tiago Felipe Kronchinski.

Dia 13 de março, às 20h40, natimorto masculino de 36 semanas de Luís Carlos Fernandes e Vitória de Souza Oliveira.

Posição oficial

A secretaria de saúde de Sorriso emitiu nota lamentando as mortes e informando que o Ministério Público Estadual (MPE) assim como a Polícia Civil estão apurando o caso.

Famato

Questionada sobre o uso excessido de agrotóxicos em Mato Grosso, a Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Mato Grosso (Famato) disse que não iria se pronunciar.

Enviada para Combate Racismo Ambiental por Anisio Silva.

Deixe uma resposta

O comentário deve ter seu nome e sobrenome. O e-mail é necessário, mas não será publicado.