Posicionamento do MAB sobre o novo rompimento do duto da VALE

Por MAB

No último domingo (12/03), aconteceu o rompimento de um duto de rejeitos na Mina da Fábrica, em Congonhas (MG), da empresa Vale, que contaminou córregos e rios em toda a região (Córrego Prata, Córrego Almas, Ribeirão Mata Porcos, Rio Itabirito, Rio das Velhas).

Menos de um ano e meio depois do rompimento da barragem da Samarco (Vale e BHP), que é o maior crime sócio-ambiental da história do Brasil, a Vale volta a cometer um crime sócio ambiental ligado à atividade de mineração! Isto reforça o que o MAB já denúncia há muito tempo: o descaso e a postura criminosa da Vale diante das questões ambientais e sociais! O Estado deve enrijecer a fiscalização e a seriedade no tratamento desta empresa que é um símbolo internacional da Mineração.

O MAB denuncia mais um crime da VALE e se solidariza com os atingidos que perderam o acesso à água e que ocasionalmente venham a ser contaminados, também com os atingidos da região metropolitana, uma vez que a contaminação do Rio das Velhas também compromete o abastecimento da região metropolitana de Belo Horizonte.

Confira o depoimento de Letícia Oliveira, integrante da coordenação do MAB em Minas Gerais sobre o novo crime cometido pela Vale:

Água e energia com soberania distribuição da riqueza e controle popular.

Foto: Divulgação/Secretaria Municipal de Meio Ambiente da Prefeitura de Itabirito

Deixe uma resposta

O comentário deve ter seu nome e sobrenome. O e-mail é necessário, mas não será publicado.