MPF/MA pede à PF que dê segurança aos indígenas atacados por fazendeiros em Viana (MA)

O MPF quer também que a Fundação Nacional do índio (Funai) se manifeste sobre as providências adotadas ante a iminência de possível novo ataque aos indígenas

MPF MA

Assim que tomou conhecimento dos ataques de fazendeiros aos indígenas do povo Gamela, em Viana (MA), o Ministério Público Federal no Maranhão (MPF/MA) comunicou o fato à Policia Federal (PF) e à Secretaria de Segurança Pública do Estado, solicitando deslocamento imediato de força policial para a região do conflito, mas precisamente nas aldeias Piraí e Cajueiro. O MPF quer também que a Fundação Nacional do índio (Funai) se manifeste sobre as providências adotadas ante a iminência de possível novo ataque aos indígenas. (mais…)

Ler Mais

Os que apodrecem: Quando os índios descobrem o Brasil do governo 9% de aprovação Temer, por Eliane Brum

Quanto mal o governo-9%-de-aprovação-Temer ainda pode fazer?

No El País

As flechas empunhadas pelos indígenas que ocuparam Brasília na semana passada podem indicar. É contra os mais vulneráveis, os que ninguém liga, os grandes outros do Brasil que as mãos corrompidas avançam sem a necessidade de disfarçar sequer no discurso. É desta aldeia chamada Funai que vem se arrancando peça por peça e talvez em breve o dia amanheça e já não existam sequer cadeiras. É ali que o pior de ontem é melhor do que o pior de hoje. E no amanhã a frase “nenhum direito a menos” pode deixar de fazer qualquer sentido porque já se foram todos. É com os índios que acontece primeiro. Desde 1500, como se sabe. Mas, não custa lembrar: “Índio é nós”. (mais…)

Ler Mais

Ministério [da Justiça!] diz que vai averiguar ataques a “supostos indígenas” no MA. E governador repete

Enquanto isso, no Twitter, o [suposto?] governador do Maranhão, Flávio Dino, publicava também: “O governo do Estado não é responsável legalmente por conflitos envolvendo supostas terras indígenas. Competência federal, diz a Constituição”, conforme pode ser visto na imagem acima. (Tania Pacheco)

Na Folha

O Ministério da Justiça informou que vai apurar o episódio no Maranhão que deixou, segundo o Cimi (Conselho Indigenista Missionário), ao menos 13 indígenas do povo Gamela feridos, sendo três em estado grave. (mais…)

Ler Mais

Nota CPT Maranhão: Povo Gamela sofre ataque premeditado de fazendeiros contra suas vidas e lutas

A Comissão Pastoral da Terra Regional Maranhão (CPT-MA) vem a público denunciar mais um ato brutal de violência contra a vida dos povos da terra, que desta vez atinge os indígenas Gamela, organizado em seu território no Povoado de Bahias, município de Viana, Maranhão.

Na tarde deste domingo, 30 de abril, o povo Gamela sofreu um grave ataque contra suas vidas e sua luta em defesa de seu Território. Nesta ação, mais de 10 indígenas foram feridos, entre quais, três estão internados em estado grave em Hospital de São Luís. Aldeli Ribeiro Gamela foi atingido por um tiro na costela e um na coluna, e teve mãos decepadas e joelhos cortados. O irmão dele, José Ribeiro Gamela, levou um tiro no peito. O terceiro foi o indígena e agente da CPT/MA Inaldo Gamela, atingido com tiros na cabeça, no rosto e no ombro. (mais…)

Ler Mais

Indígenas Gamela tiveram membros do corpo decepados durante ataque no MA; sobe o número de baleados e feridos

Por Equipe de Comunicação – Cimi

Depois de uma madrugada de tensão pelo receio de novos atos de violência nas aldeias Gamela, além da angústia sobre o estado de saúde dos feridos no ataque deste domingo, 30, contra a retomada dos indígenas no Povoado das Bahias, município de Viana (MA), informações consolidadas dão conta do massacre envolvendo até mesmo o esquartejamento de dois indígenas: cinco baleados, sendo que dois tiveram também as mãos decepadas, e chega a 13 o número de feridos a golpes de facão e pauladas. Não há, até o momento, a confirmação de mortes. (mais…)

Ler Mais

Você acreditou que o Brasil está em crise por culpa dos gastos do Governo? Parabéns, você foi enganado

A tese vulgar comumente repassada sobre a crise econômica brasileira diz que ela foi causada pelo excesso de gastos do governo federal com custeio, servidores e programas sociais. Contudo, um exame honesto dos fatos mostra não só como isto é insustentável, mas como a realidade é bem mais complexa. O erro é proposital: faz parte de uma trama que quer implementar um programa ideológico e corporativo contra os direitos sociais e que jamais receberia apoio popular.

Por Rodrigo Souza, no Voyager (mais…)

Ler Mais

Amazônia indígena: Cerco aos isolados

Fim de ações de proteção põe em risco a cultura e a vida no Vale do Javari, onde está a maior concentração de índios isolados em todo o mundo

Por André Borges (textos) e Werther Santana (fotos), no Estadão

Atalaia do Norte, Benjamin Constant e Tabatinga (AM) – O barco de alumínio atraca na beira do Rio Quixito. André Marubo salta para a terra, amarra a embarcação e sobe por uma escada vacilante de madeira, até chegar à guarita improvisada do posto de vigilância que ajudou a erguer 13 anos atrás. Do barranco da Base do Quixito, escondida nos extremos da Amazônia entre o Brasil e o Peru, o marubo mostra o que sobrou do pequeno casebre onde vai passar alguns dias, antes de partir para a sua aldeia. Parte das vigas de seu barraco apodreceu. A palha da caranã que cobria o teto se esparramou pelo assoalho. O índio caminha pelas tábuas que servem de passagem entre as casas quando a água do rio sobe. Tem as costas carregadas de sacos de mantimentos trazidos para alimentar aqueles que ficarão no posto de fiscalização quando ele for embora. André pouco fala. Ao ser questionado como é ver o esfacelamento do lugar que ele construiu, responde: “É triste. Tudo vai indo embora”. (mais…)

Ler Mais

Ataque a tiros e facadas fere cerca de uma dezena de indígenas Gamela e deixa três baleados; não há confirmação de mortes

Por Equipe de Comunicação – Cimi

Um grupo Gamela acabou brutalmente atacado na tarde deste domingo, 30, no Povoado de Bahias, município de Viana (MA). Os indígenas decidiram se retirar de uma área tradicional retomada, antevendo a violência iminente, e enquanto saíam sofreram uma investida de dezenas de homens armados de facões, paus e armas de fogo. Pouco puderam fazer em defesa própria a não ser correr para a mata. Na foto ao lado, estrada que leva à retomada atacada. Ao fundo, um carro de polícia junto ao grupo de fazendeiros e capangas antes da ação violenta. (mais…)

Ler Mais

Sobre ser trabalhador em mais um dia de trabalhador, por Elaine Tavares

No Ideias Insurgentes

Imagine a seguinte situação. Tu fazes um contrato com teu patrão. Tu trabalhas 30 dias e ele te paga até o quinto dia útil. Assim diz a lei. Qualquer um que trabalha sabe que tudo o que dá nas oito horas que fica no emprego é muito mais do que o valor que recebe no salário. A riqueza que o trabalhador gera é infinitamente maior do que o salário que o patrão paga. A isso chamamos mais-valia. Mas, tudo bem, nem vamos falar nisso. (mais…)

Ler Mais