Pará, sangrento Pará

Estamos vivendo o tempo da morte. O massacre em Pau D’Arco, no sul do Pará, traz a memória de tempos terríveis, do retorno do terror.

por Felipe Milanez, na Carta Capital

O golpe e a força política ruralista em Brasília mandaram uma carta branca para a pistolagem na Amazônia. Estamos vivendo o tempo da morte. E o massacre de nove homens e uma mulher em Pau D’Arco, na fazenda Santa Lúcia, no sul do Pará, traz a memória de tempos terríveis, do retorno do terror. As velhas chacinas do passado voltaram a ocorrer no Pará. (mais…)

Ler Mais

A Teia poupa vidas [Veja também o Documento Final]

Por Ana Mendes, colaboração para a Assessoria de Comunicação – Cimi | De Cidade de Brejo, Maranhão

Choveu a cântaros no dia 26 de maio no Quilombo Alto Bonito, Cidade de Brejo, no Maranhão. “O dia amanheceu mais leve”, comenta feliz um indígena que teve o sono interrompido por causa do temporal na madrugada. Mais leve o dia, mais forte o tecido da Teia de Povos e Comunidades Tradicionais do Maranhão que realizou o VI Encontrão de Povos e Comunidades Tradicionais entre os dias 25 e 28 de maio de 2017, sob o tema “Não estamos extintos, estamos de pé, em luta. Essa terra é nossa!”. (mais…)

Ler Mais

Cotidiano de exceção, por Eliane Brum

Como lutar pela democracia aprendendo sobre a tirania

No El País Brasil

O sobressalto encarnou-se nos dias. Não é mais inerente ao cotidiano, mas o próprio cotidiano. Temos vivido no Brasil (e acredito que em boa parte do mundo), aos espasmos. Um espasmo, outro espasmo, mais um espasmo. A cada noite, dormimos (ou tentamos dormir) sem saber o que acontecerá no país. Ou mesmo com qual presidente o dia terminará. Não há mais como imaginar o dia de amanhã. Às vezes, não dá para imaginar a hora seguinte. O sobressalto tece a experiência – tanto a coletiva, a maneira como estamos com os outros, como a individual, nosso modo de estar consigo mesmos. Acusamos o impacto nas nossas vísceras, o sentimos na ansiedade misturada aos goles de café, mas não somos capazes de dimensionar. É assim que a exceção vai se infiltrando nas horas – e também nas almas. E é assim também que ela mina a nossa resistência. Como persistir, então? (mais…)

Ler Mais

Erramos: uma entrevista sobre os deslizes do jornalismo

Ombudsman da Folha e editor do Nexo são entrevistados 72 horas após a revelação da conversa pouco republicana entre Temer e o empresário Joesley Batista. No centro do debate: quando o jornalismo erra

por Agência Pública

Setenta e duas horas após a revelação do site do jornal O Globo que noticiou uma conversa pouco republicana entre o presidente Michel Temer e o empresário Joesley Batista, da JBS, o repórter da Agência Pública Lucas Ferraz se reunia com a ombudsman da Folha de S.Paulo, Paula Cesarino, e o editor do Nexo, João Paulo Charleaux, para uma entrevista no quente dos acontecimentos que convulsionou o país. (mais…)

Ler Mais

Com ajuda de políticos, lobby do amianto tenta liberar sua venda no país

Por André Campos, Carlos Juliano Barros e Caue Angeli, especial para o Blog do Sakamoto*

”Mas o amianto já não está proibido?”

Certamente, essa é a pergunta mais recorrente quando o assunto é amianto no Brasil. No entanto, como muita gente nem sabe do que se trata, vale uma breve introdução: o amianto é uma fibra mineral barata, maleável e super resistente ao calor. Por isso, é largamente utilizada na construção civil, principalmente na fabricação de telhas. Só que há um detalhe inconveniente: o amianto é cancerígeno. Uma vez respiradas, suas fibras podem desencadear doenças pulmonares devastadoras que levam até quatro décadas para se manifestar. Uma verdadeira bomba relógio. (mais…)

Ler Mais

Declaração de Xapuri: Denuncia falsas soluções da Economia Verde

No Blog Lindomar Padilha

Nós, moradores da floresta, seringueiras e seringueiros, indígenas Apurinã, Huni Kui, Jaminawa, Manchineri, Shawadawa, integrantes de organizações solidárias e Equipe Itinerante, professores e professoras de diferentes universidades, reunidos em Xapuri, no período de 26 a 28 de maio de 2017, no encontro “Os efeitos das políticas ambientais/climáticas para as populações tradicionais”, declaramos: (mais…)

Ler Mais

Nota da Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão acerca das investigações sobre a chacina em Pau d´Arco, no Pará

“A Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão (PFDC), do Ministério Público Federal, integrou missão emergencial que esteve no município de Redenção (Pará), onde, na última quarta-feira (24/5), dez pessoas foram mortas por policiais civis e militares. Diante dos fatos observados, a PFDC apresenta indagações, que acredita serem respondidas no curso das investigações: (mais…)

Ler Mais

Rapé: Pó com whisky e um pouco de Jurema Preta…

Por: Jairo Lima – Crônicas Indigenistas

Sinceramente, o Brasil perdeu as estribeiras, de maneira escancarada nesta funesta semana que quase não termina. Fotos de corpos ensanguentados na chacina de sem-terra no Pará misturavam-se a cenas grotescas de prédios queimando no Planalto Central, saltando da tela fria do meu computador como partes de um horrendo filme Classe B.

(mais…)

Ler Mais

Comissão tenta intermediar conflito fundiário em Grão Mogol

Deputados visitarão ocupação em distrito do município. Geraizeiros pedem demarcação de território tradicional

Assembleia Legislativa de Minas Gerais

A Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) realiza na próxima quinta-feira (1º/6/17) visita ao município de Grão Mogol (Norte de Minas), a partir das 9 horas, para verificar os conflitos fundiários existentes na ocupação agrária no distrito do Vale das Cancelas. O autor do requerimento é o presidente da comissão, deputado Cristiano Silveira (PT). (mais…)

Ler Mais