Susana Matos Viegas: antropóloga portuguesa indiciada fala sobre demarcação de terras indígenas e CPI da Funai

Por Liquen

Estivémos à conversa com a antropóloga portuguesa Susana Matos Viegas sobre o processo de demarcação de terras indígenas no Brasil. Aqui partilhamos a entrevista integral. Susana Viegas coordenou um relatório sobre a demarcação do território indígena brasileiro Tupinambá de Olivença entre os anos de 2003 e 2009, e é devido a esse trabalho que se vê agora uma das 120 pessoas indiciadas pelo recente relatório da CPI da Funai e do Incra, divulgado no último dia 9 de Junho.

Este relatório tenta criminalizar vários antropólogos, pesquisadores de direitos territoriais, indígenas, quilombolas, assentados da reforma agrária, ativistas, procuradores e políticos, que trabalharam para o processo democrático de demarcação de terras indígenas nos estados brasileiros de Santa Catarina, Bahia, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso e Rio Grande do Sul. Para a investigadora Susana Viegas este relatório trata-se de “um documento contra os direitos humanos, contra a legislação que o Brasil adoptou desde que é uma nação democrática, com muitas afirmações racistas, contra a legislação internacional”, e pode estar a tentar abrir precedente para uma invasão militar e violenta das terras indígenas no país.”

Filmado por Gonçalo Campos
Entrevista e Edição por Sara Baga

Enviada para Combate Racismo Ambiental por Diogo Rocha.

Deixe uma resposta

O comentário deve ter seu nome e sobrenome. O e-mail é necessário, mas não será publicado.