Educadores debatem agroecologia e luta de classes no Extremo Sul da Bahia

Nos três dias de atividade foi possível debater a prática construída em sala de aula e pautar a agroecologia.

Por Coletivo de Comunicação do MST na Bahia, da Página do MST

“Hoje, nossa tarefa é levantar a bandeira da agroecologia dentro de nossas escolas”, afirmou Abraão Brito, do coletivo estadual de educação, durante o 29º Encontro Regional de Educadores e Educadoras do MST, realizado entre os dias 27 e 29/7, em Teixeira de Freitas, Extremo Sul.

Com o tema “30 anos do MST na Bahia e Agroecologia como Estratégia de luta por uma Educação do Campo”, o Encontro contou com a participação de 250 profissionais da educação que atuam nos assentamentos e acampamentos do MST na região.

Gestado e organizado pelo MST, nos três dias de atividade foi possível debater a prática construída em sala de aula e pautar a agroecologia como estratégia de luta no atual momento político que vive o país.

Abraão destacou que o encontro traz consigo a essência da luta de classes e a defesa da educação do campo, com o objetivo de fortalecer as escolas e a Reforma Agrária Popular enquanto projeto político e revolucionário.

Educação agroecológica

Algumas experiências, construídas nas escolas, foram sistematizadas e apresentadas durante o Encontro. Foi a partir disso, que alguns desafios apontados visaram a qualificação de tais iniciativas para ampliar os temas curriculares.

Para Jaiara Santiago, educadora no Assentamento Lulão, é de muita importância a sistematização dos trabalhos para “compreendermos os diversos métodos que temos para abordar o tema da agroecologia”.

Formação

Além das experiências e palestras, foram realizadas oficinas pedagógicas de educação infantil, educação especial e a EJA, avaliadas como essenciais para construção do processo de formação dos educadores e educadoras. Nesse sentido, foi construído um planejamento rumo aos 30 anos do MST na Bahia, colocando a tarefa às escolas de trabalhar a temática de maneira transversal com toda comunidade.

Foto: Voz do Movimento MST.

Deixe uma resposta

O comentário deve ter seu nome e sobrenome. O e-mail é necessário, mas não será publicado.