Exposição: Do Rio que era Doce à Águas do Semiárido Baiano – as Contradições do Modelo Mineral

Por Zoraide Vilasboas, do Movimento Paulo Jackson – Ética, Justiça, Cidadania

A exposição itinerante DO RIO QUE ERA DOCE ÀS ÁGUAS DO SEMIÁRIDO: CONTRADIÇÕES DO MODELO MINERAL do Comitê Nacional dos Territórios Frente a Mineração será apresentada na Biblioteca Central da UFBA, de 17 a 20 da próxima semana, como atividade do Congresso de Pesquisa, Ensino e Extensão da UFBA. A mostra reforça o debate nacional sobre os efeitos perversos da mineração no Brasil a partir da maior tragédia da história do país, provocada pela Mineradora Samarco, na região de Mariana (MG).  

O rompimento da barragem do Fundão, que matou 19 pessoas e deixou centenas desamparadas, vai completar dois anos de sofrimento em 5 de novembro próximo, sem que as vítimas da mineradora  tenham seus direitos reconhecidos pelo Estado Brasileiro e pela Justiça. Ao contrário. Nem uma das 38 multas aplicadas pelo Ibama foi paga.  Duas ações criminais contra dirigentes da empresa foram suspensas, enquanto dezenas de ações penais e administrativas enfrentam prazos e recursos judiciais, prolongando indefinidamente os efeitos socioambientais da catástrofe, que partindo do distrito de Bento Rodriques contaminou o meio ambiente da Bacia do Rio Doce ao Oceano Atlântico.

A exposição já passou por São Paulo (SP), Belém (PA), Açailândia e São Luís (MA), Caetité (BA) e estará em Salvador na Biblioteca Central da UFBA, na Praça das Artes do campus Ondina.  É composta de maquetes, fotos e infográficos sobre a mineração em diversos estados, incluindo rodas de conversa e debates sobre os impactos do modelo mineral brasileiro, em especial a contaminação das águas. Traz como destaque a tela O Rio que Era Doce, de 14 x 3 metros, da artista plástica argentina Leila Monségur. A realização na Bahia, é uma iniciativa da Comissão Pastoral da Terra (CPT),  Movimento pela Soberania Popular da Mineração (MAM), Grupo de Pesquisa GeografAR (UFBA) e Movimento Paulo Jackson – Ética, Justiça, Cidadania, com apoio da CESE e outras entidades. A programação completa será divulgada em breve.

Exposição: Do Rio que era Doce à Águas do Semiárido Baiano – as Contradições do Modelo Mineral

Local: Biblioteca Universitária Reitor Macedo Costa

Rua barão de Jeremoabo, s/n – Ondina – Salvador

Data: de 17 a 20 de outubro

Horário: das 09:00h às 20:00h

Evento gratuito.

Deixe uma resposta

O comentário deve ter seu nome e sobrenome. O e-mail é necessário, mas não será publicado.