Nhamandu baixou na UFF, por José Ribamar Bessa Freire

“Pequeno Sol, traz tua luz e caminha, com tua sabedoria e teu eterno raio”.  
“Nhamandu mirĩ / Oguerô pu’a / Ojexaka / Oguerô guatá” .
(Canto sagrado entoado pelo coral de crianças guarani)

No Taqui Pra Ti

A universidade está mudando? Depois de Exu baixar na Uerj, foi a vez de Nhamandu desembarcar nessa sexta (9), em Niterói, para iluminar as salas da Universidade Federal Fluminense (UFF) com seus raios de luz e sua sabedoria. Os sábios guarani Karai Tataendy Oka (Augustinho da Silva), 97 anos, e Pará Mirĩ (Marciana Oliveira), 88 anos, deram aulas como professores visitantes convidados pelo projeto Encontro de Saberes.  O canto sagrado do coral de crianças guarani precedeu cada aula, o que nos fez pensar que, com cantos, aulas são mais instrutivas e, com certeza, mais agradáveis. (mais…)

Ler Mais

Quando a submissão capitalista está dentro de você

Em novo livro, Christian Laval e Pierre Dardot aprofundam sua análise sobre o neoliberalismo. Seria o momento em que os sujeitos, obrigados a curvar-se às lógicas do capital, já as tomam com suas

Por Jorge Alemán, no Cuarto Poder/Outras Palavras

Mais uma vez, em seu último livro La pesadilla que no acaba nuncaChristian Laval e Pierre Dardot aprofundam sua análise do neoliberalismo em sua nova extensão planetária. Seguindo uma tradição foucaultiana, estes autores não veem o neoliberalismo como exclusivamente um “mal” dos mercados financeiros que teriam cometido a destruição do espaço público. Ao contrário, o neoliberalismo é uma nova ordem racional que vai apagando tendencialmente a diferença público-privado e que dispõe da potência de se apropriar das diferentes ordens da vida até chegar a configurar o modo mais íntimo da vida do sujeito. Para estes autores, funciona uma espécie de promessa neoliberal que, em seu exercício cativante, molda os sujeitos em seu próprio modo de ser. (mais…)

Ler Mais

Zelito Viana, a atualidade de Avaeté e uma mostra de cinema imperdível

Por Gabriel Brito, no Correio da Cidadania

Um dos grandes cineastas do país, Zelito Viana foi destaque da abertura da 6ª Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental, que exibe 300 filmes até 14 de junho nas salas de São Paulo, todos gratuitos. Na conversa com o Correio da Cidadania, ele fala da infeliz atualidade de sua obra Avaeté, Semente da Vingança, e da importância de mostras de cinema que ajudem a escoar a produção de cinema mais crítica e reflexiva. (mais…)

Ler Mais

Milton Nascimento lembra como o preconceito racial despertou sua consciência política

Compositor traz ao Rio o show ‘Semente da Terra’, no qual revê a carreira pela ótica da política

Em O Globo

Em 2010, Milton Nascimento foi batizado pelos índios Guarani Kaiowá como Ava Nheyeyru Iyi Yvy Renhoi — ou Semente da Terra. Sete anos depois, o nome indígena — que, acredita-se, sintetiza a essência de quem o carrega — é dado ao show que artista apresenta hoje no Rio, no Km de Vantagens Hall. (mais…)

Ler Mais

Os retrocessos na Legislação Ambiental e a persistência da anemia das Arqueologias Brasileiras – um Réquiem

Por Lennon Oliveira Matos, em Combate Racismo Ambiental

A trombeta poderosa espalha seu som
pela região dos sepulcros,
para juntar a todos diante do trono.
A morte e a natureza se espantarão
com as criaturas que ressurgem,
para responderem ao juízo.
Um livro será trazido,
no qual tudo está contido,
pelo qual o mundo será julgado.
Logo que o juiz se assente,
tudo o que está oculto, aparecerá:
nada ficará impune.
O que eu, miserável, poderei dizer?
A que patrono recorrerei,
quando apenas o justo estará seguro?”.
Tuba Mirum, Réquiem em D Menor (K.626), Wolfgang Amadeus Mozart, 1791[i] (mais…)

Ler Mais

Antonio Candido, por Roberto Schwarz

No blog da Boitempo

Em homenagem a Antonio Candido de Mello e Souza, que nos deixou hoje, dia 12 de maio de 2017, o Blog da Boitempo transcreve abaixo um verbete escrito por Roberto Schwarz, um de seus maiores discípulos herdeiros intelectuais, em 1993 para a Revista da USP. O texto oferece um panorama sucinto e afiado de alguns dos pontos-chave da trajetória e obra deste que é amplamente considerado o maior crítico literário brasileiro, e um dos últimos representantes de uma geração de “intérpretes do Brasil” responsável por encabeçar nossa dita “tradição crítica”. (mais…)

Ler Mais

Submundo da internet já se tornou formador de opinião, diz Leonardo Sakamoto

Produção de notícias falsas: de quem é a responsabilidade? “Pra muita gente, confiável é quem fala aquilo que ela quer ouvir”

Por Vitor Nuzzi, da RBA

A enxurrada de notícias falsas na internet, que é motivo de preocupação de observadores e agentes da comunicação, mistura descuido, interesses e más intenções. Em debate realizado na manhã de hoje (5), o jornalista e cientista político Leonardo Sakamoto, diretor da ONG Repórter Brasil, disse que os divulgadores das chamadas fake news, que ele chamou de “submundo”, já se tornaram fontes de informação. “A parte invisível da internet, os sites anônimos, que não têm expediente, que não tem quem assina, já formam opinião tanto quanto a parte visível”, afirmou. (mais…)

Ler Mais

Documentos escondidos durante 250 anos ajudam a contar a história dos Jesuítas

Em 1759, durante o cerco ao Colégio de Jesus, em Coimbra, um padre escondeu cartas e manuscritos. Documentos foram encontrados durante as obras de restauro na Sé Nova, em 2016.

Por Camilo Soldado, no Público

Os embrulhos descobertos num altar da Sé Nova de Coimbra durante os trabalhos de restauro realizados em 2016 contêm documentos que podem acrescentar novos capítulos à história dos Jesuítas em Portugal. No interior do altar da Coroação de Nossa Senhora, do lado esquerdo do monumento, foram encontrados dois códices, um conjunto de cartas e uma bolsa com embrulhos de pano identificados com o nome do António Vasconcelos, o padre que os escondeu. (mais…)

Ler Mais

Amigo Neoliberal de Internet, pare de achar que sua defesa do Liberalismo o livra de ser um fascista

Os “liberais” podem ser chamados de fascistas? A chave para responder a essa pergunta vem da filosofia e da psicologia, não da história.

Depois de junho de 2013, explodiu na internet coletivos raivosos que se autointitulam “liberais”. Tais grupos estão se destacando mais pelo voluntarismo e pela agressividade que pelas reflexões que poderiam suscitar. Com exceção do Partido Novo, que não demonstra o mesmo ódio dos colegas, esses grupos são frequentemente acusados de fascistas. (mais…)

Ler Mais