Jornalismo deve fazer mediação qualificada entre acontecimentos e a sociedade. Entrevista especial com Felipe de Oliveira

Vitor Necchi – IHU On-Line

A disseminação das redes sociais digitais obrigou a imprensa a repensar suas dinâmicas. Para o doutor em Ciências da Comunicação Felipe de Oliveira, “o jornalismo tem sido, potencialmente, beneficiado pelas redes sociais”. Mas há uma tensão nesse processo, porque o jornalismo “ainda lida com perplexidade com fluxos comunicacionais do ambiente digital; reage de forma meramente instintiva”. Ao mesmo tempo, “as redes sociais digitais têm se constituído como uma espécie de extensão das redações”, e isso se refere “não apenas para a descoberta de pautas”, mas também para apuração de informações. (mais…)

Ler Mais

O impeachment de Gilmar Mendes ou A notícia que ainda não houve

Por Patricia Bandeira de Melo e João Feres Júnior, no Manchetômetro

No dia 14 de junho de 2017, um pedido de impeachment contra o ministro do Supremo Tribunal Federal e presidente do Tribunal Superior Eleitoral, Gilmar Mendes, foi protocolado no Senado Federal. Motivo alegado na petição: sua atuação político-partidária dentro da mais alta corte brasileira. A iniciativa foi tomada depois da divulgação, em maio, de uma ligação telefônica gravada entre o ministro e o senador afastado do PSDB, Aécio Neves. Sempre polêmico em suas decisões e pronunciamentos, o ministro nunca foi alvo da imprensa brasileira da forma como deveria, mesmo tendo sido o primeiro a quebrar uma tradição dentro do Senado, a de ser indicado por unanimidade – Gilmar recebeu 14 votos contrários à sua nomeação para o STF em 2002. (mais…)

Ler Mais

Edital oferece R$ 680 mil em projetos de jornalismo investigativo

Comunique-se

O Fundo Brasil divulgou que vai lançar durante o 12º Congresso Internacional de Jornalismo Investigativo da Abraji o edital Jornalismo Investigativo e Direitos Humanos. A iniciativa vai investir R$ 680 mil em 17 projetos de reportagens que contem histórias relevantes e que contribuam para melhorar a compreensão da sociedade sobre violações de direitos humanos. O anúncio oficial está marcado para quinta-feira, 29. (mais…)

Ler Mais

Erramos: uma entrevista sobre os deslizes do jornalismo

Ombudsman da Folha e editor do Nexo são entrevistados 72 horas após a revelação da conversa pouco republicana entre Temer e o empresário Joesley Batista. No centro do debate: quando o jornalismo erra

por Agência Pública

Setenta e duas horas após a revelação do site do jornal O Globo que noticiou uma conversa pouco republicana entre o presidente Michel Temer e o empresário Joesley Batista, da JBS, o repórter da Agência Pública Lucas Ferraz se reunia com a ombudsman da Folha de S.Paulo, Paula Cesarino, e o editor do Nexo, João Paulo Charleaux, para uma entrevista no quente dos acontecimentos que convulsionou o país. (mais…)

Ler Mais

Brasília recebe o Terceiro Encontro Nacional pelo Direito à Comunicação

Pulsar

Entre os dias 26 e 28 de maio acontece em Brasília o Terceiro Encontro Nacional pelo Direto à Comunicação (ENDC). O evento é realizado pelo Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação (FNDC) e vai debater mídia e democracia no Brasil. Uma das mesas que fazem parte da programação vai abordar os desafios da radiodifusão comunitária, com participação da Amarc Brasil (Associação Mundial de Rádios Comunitárias). Para saber mais sobre o que esperar dessa mesa e do encontro como um todo a Pulsar Brasil conversou com Taís Ladeira, representante da Amarc. (mais…)

Ler Mais

Entrevista especial Pulsar: Qual o papel da mídia na crise política brasileira?

Pulsar

A crise política enfrentada pelo Brasil a cada dia atinge novos patamares, deixando à tona a fragilidade do regime democrático do país. Os noticiários e as manchetes dos jornais estampam  crimes de corrupção cometidos por políticos e empresários brasileiros. A mídia expõe e fala de todos, mas quem fala da mídia? Como entender o papel desempenhado pelos grandes grupos de comunicação na maior crise política da história recente do país? (mais…)

Ler Mais

Triste fim da imprensa? O embate entre Lula e Moro “em revista”

O modelo de negócio no qual estão assentadas Istoé e Veja agoniza em virtude das receitas que minguam. Temos contraditoriamente, por um lado, uma queda vertiginosa das tiragens de jornais e revistas e, por outro, um aumento exponencial de conteúdos jornalísticos nas plataformas digitais. Donde podemos concluir que a crise é desse modelo de negócio que estruturou a imprensa monopolista e não do jornalismo. Faz-se urgente o exercício do jornalismo para além das fronteiras de um negócio que, para manter-se a todo o custo, atenta contra os princípios da própria imprensa.

Por Rosane Borges, no blog da Boitempo (mais…)

Ler Mais

A construção de um embate: imagens e representações de Lula e Moro nos jornais impressos

Por Patricia Bandeira de Melo e Marcia Rangel Candido, no Manchetômetro

Há alguns meses o cenário político brasileiro é tomado por uma instabilidade aguda: inúmeras denúncias de corrupção afetam os cargos executivos mais altos do país e são mobilizadas em um espetáculo midiático que, mais do que fomentar a contestação do sistema e a expansão da democracia, inspira a ampla descrença na política e incide de maneira desigual sobre os atores envolvidos. (mais…)

Ler Mais

Os números não mentem: rolo compressor midiático trabalha em favor das reformas

Por João Filho, no The Intercept Brasil

Em junho do ano passado, Otávio Frias Filho, diretor editorial e um dos herdeiros da Folha de S.Paulo, participou de uma conferência em Londres em que se discutiu o papel da mídia na crise política brasileira. Uma das convidadas era a jornalista britânica Sue Branford, que criticou a falta de pluralidade da imprensa e apontou o maciço apoio dos grandes veículos de comunicação ao processo de impeachment de Dilma. Irritado, Frias tentou desqualificá-la ao dizer que sua visão correspondia à da “militância do PT” e completou dizendo que a “mídia não manipula ninguém”. Em outro momento da conferência, defendeu a Folha ao dizer que a empresa tratou de forma igualmente crítica os governos FHC, Lula e Dilma – e que o mesmo aconteceria com Temer. (mais…)

Ler Mais