#RetrocessoAmbientalNão: MPF e MP/RO movem ação para retirada imediata dos invasores da Flona do Bom Futuro

Órgãos pedem que União seja obrigada a retirar com urgência os invasores, utilizando a Força Nacional de Segurança, e a aumentar número de fiscais do ICMBio na unidade de conservação federal

Pelo menos duas frentes de invasão estão em curso na Floresta Nacional (Flona) do Bom Futuro, unidade de conservação federal localizada nos municípios de Porto Velho e Ariquemes (RO). Por causa disso, o Ministério Público Federal (MPF) e o Ministério Público Estadual (MP/RO) ingressaram com uma ação civil pública na Justiça Federal para obrigar a União a retiraros invasores, reprimir os crimes ambientais com a presença da Força Nacional e disponibilizar recursos para aumentar o número de fiscais do Instituto Chico Mendes de Biodiversidade (ICMBio). (mais…)

Ler Mais

Em São Paulo, 52 mil pessoas foram vítimas de conflitos no campo, diz pesquisa

Observatório levantou, ao todo, 174 episódios envolvendo diversas populações do estado que é tido como o mais moderno e economicamente avançado do país. Os resultados da pesquisa foram apresentados neste sábado (13), no seminário “Lutas Sociais Hoje a Questão Agrária em São Paulo”, no auditório do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região

Rede Brasil Atual / CPT (mais…)

Ler Mais

O Custo Humano dos Agrotóxicos: fotojornalista argentino retrata vítimas da contaminação

Por Luís Eduardo Gomes, no Sul 21

O fotojornalista argentino Pablo Ernesto Piovano, que trabalha no jornal Página 12, apresentou nesta sexta-feira (12), durante o FestFoto, realizado no Centro Cultural CEEE Erico Verissimo, em Porto Alegre, o trabalho fotográfico “O Custo Humano dos Agrotóxicos”. A obra documental é o resultado de cinco viagens que ele fez a regiões agrícolas do país vizinho para retratar vítimas de contaminação por venenos agrícolas. São imagens de pessoas com manchas e caroços na pele, mãos, braços e pernas deformadas, crianças com problemas resultantes de malformações fetais. (mais…)

Ler Mais

20ª Romaria das águas e da terra de Minas Gerais, no noroeste de MG, coração do agronegócio

Por frei Gilvander Luís Moreira[1], da CPT

Com o Tema: “Povos da Cidade e do Sertão Clamando por Água, Terra e Pão”; e com o Lema: “Povos, Rios, Veredas e Nascentes são Dons de Deus em Romaria e Resistência”, a 20ª Romaria das águas e da terra de Minas Gerais está acontecendo de forma processual no Noroeste de Minas, na Diocese de Paracatu, e terá celebração final dia 23 de julho de 2017, na cidade de Unaí. Estão acontecendo várias pré-romarias nas seguintes cidades: Uruana, Buritis, Chapada Gaúcha, Arinos, Urucuia, Bonfinópolis, Unaí, Boqueirão, Paracatu, etc. Convocada pela memória subversiva do Evangelho da Vida e da Esperança, fiel ao Deus dos pobres, à terra, às águas de Deus e aos pobres da terra e das águas, também ouvindo o clamor que vem dos biomas violentados – Cerrados, Mata Atlântica, Amazônia, Caatinga, Pampas e Pantanal – e seguindo a prática de Jesus, a Comissão Pastoral de Terra (CPT), há quatro décadas, vem realizando em todo Brasil, romarias da Terra, que com o passar dos anos, foi ampliada para Romaria das águas e da terra. (mais…)

Ler Mais

Risco de câncer de pele é sete vezes maior em trabalhadores expostos a agrotóxicos

É o que mostra pesquisa inédita do Instituto Nacional do Câncer (Inca), vinculado ao Ministério da Saúde. A descoberta reforça a demanda, urgente, pela produção agroecológica

por Cida de Oliveira, da RBA

A exposição excessiva aos raios solares, principalmente entre as 10 e 16 horas, é a maior causa do câncer de pele –  o tipo de maior incidência no Brasil. No entanto, uma pesquisa concluída recentemente no Instituto Nacional do Câncer José de Alencar (Inca), vinculado ao Ministério da Saúde, sugere que que os agrotóxicos podem estar muito mais envolvidos no surgimento da doença do que se pensava. (mais…)

Ler Mais

Barragem de mineradora chinesa compromete o Rio Tundaíme no Equador

Por Fábio Zuker, na Amazônia Real

Tarapoto (Peru)A cientista social e militante Gabriela B., de Quito, no Equador, analisou o atual momento político na administração final do presidente Rafael Correa, o processo constituinte, com ampla participação indígena, e os retrocessos das ações na área ambiental. “A verdade é que o extrativismo se intensificou como nunca nesses últimos anos. A renegociação dos contratos petroleiros permitiu que o Estado aumentasse, e muito, a sua parte. Pois antes os ganhos eram insignificantes. E isso também permitiu ao Estado entrar em outras lógicas mais, digamos, “gananciosas”. Um caso que é hoje emblemático é o da comunidade indígena Shuar de Nankint, na Cordilheira do Condor. O projeto Cóndor Mirador é um dos maiores projetos de mineradoras do país, uma empreitada chinesa. A análise de impacto ambiental realizada pela empresa mostra que o Rio Tundaíme, um rio vivo e despoluído, será desviado. No leito deste rio vão colocar todos os detritos das mineradoras, uma barragem como aquela que se rompeu em Brasil [refere-se ao caso de Mariana], só que nove vezes maior”, diz a cientista equatoriana em depoimento exclusivo ao antropólogo e jornalista Fábio Zuker durante a VIII Fórum Social Panamazônico (Fospa). (mais…)

Ler Mais

Desabafos Indigenistas: Sobre as mãos e o sentimento do mundo

O Indigenista

Lembrei-me hoje do massacre promovido pela Polícia Militar do Paraná ao MST, em Quedas do Iguaçu, em abril de 2016. Decorriam poucos dias do início do dessa tristeza que assola o país. Na ocasião, almoçando com um colega no mercado municipal de Manaus, comentei que aquelas seriam apenas as primeiras vítimas do estado de exceção que se instalaria no Brasil. Considerando-me exagerada e sensacionalista, ele debochou e sentenciou: isso nada tem a ver com a crise política da República. (mais…)

Ler Mais