Complexo hidrelétrico de Teles Pires – entre atropelos e irregularidades, povos indígenas são alijados. Entrevista especial com João Paulo Soares de Andrade e Karla Dilascio

Patricia Fachin – IHU On-Line

“Imagina alguém entrando na sua casa, sentando no seu sofá, comendo da sua comida, sem nem mesmo te conhecer ou te pedir permissão, ou te dar abertura para dizer não. É assim que as usinas entram na vida dos povos indígenas: sem bater na porta, ocupam todo o espaço, mudam todo o ambiente, impactam diretamente na segurança alimentar dessas populações, nos seus sistemas simbólicos, na rotina, sem perguntar, sem dar outra opção ou saída”, dizem João Paulo Soares de Andrade e Karla Dilascio, integrantes do Fórum Teles Pires, ao comentarem os impactos do complexo hidrelétrico de Teles Pires na vida dos povos indígenas Munduruku, Kayabi e Apiaká. (mais…)

Ler Mais

MPF/MT emite recomendação para que empresa se retrate sobre previsão do enchimento do lago da UHE São Manoel

A Usina Hidrelétrica São Manoel está localizada no Rio Teles Pires

Procuradoria da República em Mato Grosso 

O Ministério Público Federal em Mato Grosso (MPF/MT), por meio de sua unidade em Sinop, recomendou que a Empresa de Energia São Manoel (EESM), responsável pela Usina Hidrelétrica São Manoel localizada no Rio Teles Pires, faça uma retratação de forma ostensiva em relação aos avisos anteriores de que o enchimento do reservatório artificial da Usina se daria ainda no mês de agosto e com pedidos de desculpas à população da região, principalmente aos membros das etnias indígenas Kayabi, Munduruku e Apiaká. (mais…)

Ler Mais

Os Povos da Amazônia e o colonialismo interno. “Continua o tratamento colonial e desigual dos amazônidas e seus aliados”. Entrevista especial com Jane Beltrão

Patricia Fachin – IHU On-Line

Os conflitos envolvendo os povos da Amazônia, como comunidades indígenas e quilombolas, permanecem os mesmos, em certa medida, desde a Colônia, tendo a demanda por terras tradicionalmente ocupadas e a execução de grandes obras como as principais adversidades, diz a antropóloga Jane Felipe Beltrão à IHU On-Line. “Politicamente, nós amazônidas, e nossos aliados, padecemos do tratamento colonial e desigual dispensado desde a Colônia e que se mantém via colonialismo interno”, frisa. (mais…)

Ler Mais

MPF insiste na Justiça por suspensão de Belo Monte enquanto proteção de indígenas não estiver garantida

Menos da metade das bases operacionais e postos de vigilância das Terras Indígenas foi construída, e empresa não contratou vigilantes

Procuradoria da República no Pará

O Ministério Público Federal (MPF) entrou com recurso na Justiça para pedir a suspensão da licença de instalação da hidrelétrica de Belo Monte, no sudoeste do Pará, até que sejam executadas ações de proteção das Terras Indígenas (TIs) da região do médio rio Xingu. (mais…)

Ler Mais

Hidrelétrica inunda cachoeira sagrada, retira urnas indígenas e gera crise espiritual na Amazônia

Carlos Madeiro – UOL

A inundação de cachoeiras sagradas, que deram lugar à construção da hidrelétrica de Teles Pires, localizada na divisa entre Pará e Mato Grosso, deu início a uma luta indígena pelo resgate das urnas funerárias que foram retiradas e levadas pelo empreendimento em 2014. Elas representam a vida dos ancestrais da etnia, que classifica o caso como “roubo” –a empresa diz que fez um “resgate”. (mais…)

Ler Mais

Qual valor dos povos indígenas no planejamento energético brasileiro?

Por Sucena Shkrada Resk, ICV

Como o componente indígena entra na agenda socioambiental de planejamento da matriz elétrica brasileira, em especial, com relação a grandes empreendimentos hidrelétricos? Esse foi um dos pontos destacados durante o diálogo entre representantes de organizações não governamentais, que integram o Grupo de Trabalho de Infraestrutura, com equipe técnica da Empresa de Pesquisas Energéticas (EPE), no dia 17 de julho. O encontro ocorreu, na sede da empresa, no Rio de Janeiro. Esta é a segunda rodada de diálogo estabelecida desde 05 de maio (veja também Organizações socioambientais abrem espaço de diálogo com EPE para discutir planejamento da matriz elétrica) . (mais…)

Ler Mais

“Fatores organizacionais patogênicos” determinaram o rompimento da barragem de Fundão

Por Ferdinando Marcos, da UFMG, no Miniver

A conclusão é de Eugênio Diniz, da Fundacentro, o maior centro de pesquisa da América Latina na área de Segurança e Saúde no Trabalho. Para ele, sempre houve uma rede de fatores de risco envolvendo o rompimento da barragem, o que precisa servir de lição para outras empresas. Diniz afirmou haver uma série de “fatores organizacionais patogênicos” apresentados em vários outros desastres industriais ocorridos em todo o mundo: as pressões excessivas por produção, a falta ou ineficácia do Retorno de Experiência (comunicação entre gestores e operadores), insuficiência da cultura de segurança, fragilidade de organismos de controle e ausência de atualização contínua dos dados de risco. Para Eugênio, muitos desses problemas foram registrados na história da Samarco. (mais…)

Ler Mais

MPF/MT participa de resolução de impasse em ocupação da usina São Manoel

Indígenas da etnia Munduruku haviam ocupado canteiro de obras da hidrelétrica

MPF

Cerca de 200 indígenas da etnia Munduruku ocuparam o canteiro de obras da usina São Manoel, no rio Teles Pires, divisa do Pará com o Mato Grosso, na madrugada do último dia 16. Eles exigiam o diálogo com representantes do governo e das usinas hidrelétricas de Teles Pires e São Manoel no sentido de se encontrar soluções para impasses gerados pelos impactos das construções. O Ministério Público Federal (MPF) em Mato Grosso foi convidado a acompanhar a reunião representado pelo procurador Malê Aragão Frazão, e que contou com a presença do presidente da Fundação Nacional do Índio (Funai), Framklimberg de Freitas, o diretor da Empresa de Energia São Manoel (EESM), Antônio Brasiliano e o representante da empresa responsável pela Usina Hidrelétrica (UHE) Teles Pires, Arthur Loiola. (mais…)

Ler Mais

Carta de apoio ao Povo Munduruku

No dia 16 de julho de 2017 cerca de 200 pessoas do Povo Munduruku, em movimentação pacífica liderada pelas mulheres da etnia, ocuparam o canteiro de obras da Usina Hidrelétrica (UHE) São Manoel, localizada no rio Teles Pires, fronteira entre os estados do Pará e Mato Grosso. Dentre as reivindicações: o respeito à concretização da demarcação das Terras Indígenas, destaca-se a devolução das urnas funerárias e objetos que pertenceram a seus antepassados, e que foram desenterrados pela Companhia Hidrelétrica Teles Pires (CHTP) no período em que a obra foi iniciada, em agosto de 2011, construção de um museu que valorize a cultura Munduruku, e outras. (mais…)

Ler Mais

MP/RO e MPF recomendam que Santo Antônio Energia faça tratamento para melhoria de água potável

Famílias têm sofrido com a má qualidade da água para consumo humano. Tratamento deve ser feito no reassentamento Morrinhos

MPF/RO

A situação de famílias remanejadas para o reassentamento Morrinhos, localizado a 60 quilômetros de Porto Velho (RO), levou o Ministério Público Federal (MPF) e o Ministério Público de Rondônia a expedirem recomendação administrativa à empresa Santo Antônio Energia. As famílias vêm enfrentando problemas com a má qualidade da água para consumo humano, e a solicitação dos órgãos é para que a empresa interfira no tratamento da água utilizada para tal finalidade, em todos os lotes da comunidade. De acordo com os MPs, o problema tem afetado, diretamente, a produtividade e a renda familiar dos agricultores. (mais…)

Ler Mais