Acordo judicial suspende atividades da Potássio do Brasil em Autazes (AM)

Por J. Rosha, assessoria de comunicação do Cimi Norte I

A empresa Potássio do Brasil LTDA teve o licenciamento ambiental para exploração de silvinita no município de Autazes (AM) – localizado a 113 quilômetros da capital – suspensa por força de acordo na 1ª Vara da Justiça Federal. O acordo aconteceu na audiência realizada na tarde da última sexta-feira, 17/03, sob a presidência da juíza Jaiza Maria Pinto Fraxe que determinou o prazo de seis meses “para que haja deflagração do procedimento de consulta ao povo indígena Mura (e suas aproximadas 32 aldeias) e comunidades tradicionais ribeirinhas conforme Convenção 169 da OIT”. Além disso, a empresa foi proibida de realizar qualquer ato que implique influência ou cooptação das lideranças indígenas. (mais…)

Ler Mais

Belo Sun: TJPA libera licença para instalação de mineradora em Senador José Porfírio

Desembargadora concedeu recurso parcial ao projeto da empresa Belo Sun, denunciado por danos ao meio ambiente

Por Júlia Dolce, no Brasil de Fato

A empresa mineradora Belo Sun Mining Corporation está apta para a instalação da mina de ouro em Volta Grande do Xingu,  no município de Senador José Porfírio, no sudeste do Pará.  Essa foi a determinação da desembargadora Célia Regina de Lima Pinheiro, do TJPA, Tribunal de Justiça do Estado do Pará, nesta terça-feira. (mais…)

Ler Mais

Teia dos Povos: 5ª Jornada de Agroecologia da Bahia e Jogos Indígenas Pataxó (Porto Seguro, Bahia)

A cidade de Porto Seguro (BA), receberá, a partir do dia 19 a 23 de abril, a 5ª edição da Jornada de Agroecologia da Bahia e Jogos Indígenas Pataxó

Por Teia Dos Povos

Estão abertas as inscrições para a 5ª Jornada de Agroecologia da Bahia, evento organizado desde 2012 pela Teia dos Povos – Articulação de movimento sociais, comunidades tradicionais e Povos Indígenas – que, nesta edição, terá parceria com os Jogos Indígenas Pataxó e a Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB) e será realizado em Porto Seguro, de 19 a 23 de abril. (mais…)

Ler Mais

À margem do milagre do São Francisco

Idealizada há um século, transposição enfim é inaugurada, ao custo de R$ 9 bilhões. Mas, por enquanto, muitas comunidades do semiárido do Nordeste só veem a água passar, enquanto outras ainda esperam que ela chegue.

Por Nádia Pontes, na Deutsche Welle

A menos de um quilômetro do canal que traz as águas do rio São Francisco para a Paraíba, muitas torneiras estão secas. No bairro onde Gabriel mora, na cidade de Monteiro, por onde a obra da transposição entra no estado, a vizinhança paga a conta enviada pela companhia de saneamento, mas água só tem quem contrata o caminhão-pipa. (mais…)

Ler Mais

Ribeirinhos expulsos por Belo Monte apresentam lista de moradores que devem voltar ao Xingu

Comunidades tradicionais dos beiradões do Xingu querem ser reconhecidas e reassentadas em torno do reservatório da hidrelétrica.

MPF/PA

Dezenas de famílias de ribeirinhos que tiveram suas histórias bruscamente interrompidas pela construção da usina de Belo Monte, no Xingu, travam uma batalha desde 2015 para terem voz e direitos reconhecidas no processo de licenciamento da hidrelétrica, que se instalou ignorando e tornando invisíveis as comunidades mais características de qualquer rio amazônico. A batalha tem momentos definitivos esta semana, em Altamira, quando o documento chamado de Relatório de Reconhecimento Social, elaborado pelos próprios ribeirinhos como resultado de um processo de identificação comunitária, vai ser debatido com o Ibama (Instituto Brasileiro de Meio Ambiente) e a Norte Energia. (mais…)

Ler Mais

Guardiões de sementes crioulas realizam encontro no sertão sergipano

Evento contou com o apoio direto do Movimento dos Pequenos Agricultores (MPA) e da Rede Sergipana de Agroecologia

Por Daniela Bento e Thais Moura*, Expressão Sergipana, no Brasil de Fato

Plantar, colher, guardar e distribuir não só sementes, mas também conhecimentos. Essa é a missão dos Guardiões das sementes crioulas. Nessa perspectiva, aconteceu, entre os dias 16 e 17 de março, na Unidade de Produção Camponesa do MPA, localizada no município de Canindé do São Francisco, o Encontro estadual dos guardiões(ãs) das sementes da liberdade e encontro territorial do programa de manejo da agrobiodiversidade de sementes do semiárido. Com o tema “Semeando a Rede Sementes da Liberdade”, o evento envolveu entidades da sociedade civil, redes e movimentos, além de entidades de pesquisas que vem discutindo o tema das sementes crioulas no estado. (mais…)

Ler Mais

Pescadores artesanais querem denunciar o país por falta de atenção ao setor

As entidades representativas de pescadores artesanais, oceanógrafos e ambientalistas consideram que o Brasil não estaria cumprindo os compromissos de proteger a pesca artesanal como meio de segurança alimentar e erradicação da pobreza

Correio Braziliense / CPT

Entidades representativas de pescadores artesanais, oceanógrafos e ambientalistas preparam um documento técnico para denunciar o Brasil internacionalmente por causa da falta de prioridade que vem sendo dada ao setor. Signatário de um documento que define diretrizes internacionais para a pesca artesanal sustentável, elaborado em 2014, na 31ª Sessão do Comitê de Pesca (COFI), da Organização das Nações para Agricultura e Alimentação (FAO), o Brasil não estaria cumprindo os compromissos de proteger a pesca artesanal como meio de segurança alimentar e erradicação da pobreza. A gota d’água, segundo o Movimento dos Pescadores e Pescadoras Artesanais (MPP), foi a transferência, por meio de um decreto presidencial, da Secretaria de Aquicultura e Pesca do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) para o Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC). (mais…)

Ler Mais

Moratória da soja: solução contra o desmatamento ou marketing corporativo?

Parte 9 – Após mais de uma década, pacto voluntário entre empresas e ONGs deixa dúvidas sobre eficácia em proteger a Amazônia.

Por Mauricio Torres, Sue Branford, The Intercept Brasil

Em 2014, a imprensa nacional e internacional noticiou com alarde a explosão do desmatamento na Amazônia. Naquele ano, uma área de floresta equivalente ao estado de Alagoas (27 mil km2) foi destruída, um aumento de mais de 100% em relação a 1997. Por trás dos números, a expansão da soja na região figurava como um grave vetor do desmatamento. (mais…)

Ler Mais

Quem fica mais tempo na timeline: bife podre, índio morto ou escravidão?, por Leonardo Sakamoto

No blog do Sakamoto

A pergunta do título, mais do que uma provocação, é uma tentativa de entender como funciona o comportamento humano.

Nesta sexta (17), a Polícia Federal deflagrou a Operação Carne Fraca, para desarticular uma suposta organização criminosa envolvendo fiscais agropecuários para liberar produtos sem verificação. A investigação, que focou na venda ilegal de carne, envolveu dezenas de empresas, como as gigantes BRF (dona da Perdigão e Sadia) e JBS (dona do Friboi e da Seara). A operação revelou, inclusive, a venda de carnes impróprias ao consumo humano e a reembalagem de produtos vencidos. (mais…)

Ler Mais