A verdade sobre o legado olímpico do Rio: favelas compartilham lutas e vitórias no lançamento do PACS

Por Gigi Ong-Alok, no Rio On Watch

No dia 31 de julho, o Instituto de Políticas Alternativas para o Cone Sul (Instituto PACS) lançou a sua publicação mais recente, “Rio Olímpico: qual o legado um ano depois dos Jogos?“, na Casa Pública em Botafogo. Refletindo sobre as consequências dos Jogos, o relatório esclarece a disparidade entre os benefícios prometidos e a realidade cotidiana vivida pelos moradores da cidade. O PACS convidou oradores do Horto, Complexo da Maré, Vila Autódromo e Maracanã para compartilharem as suas histórias de resistência e desafio comunitário. O evento ressaltou como as estratégias de desenvolvimento para o megaevento, especificamente, dirigiram-se às favelas do Rio através de crescentes intervenções policiais pela UPP, incidentes contínuos de remoções de favelas, exclusão do mercado e negligência pública. Seguindo os princípios fundamentais da publicação, o evento focou em duas perguntas: Qual o legado deixado? Para quem foi benéfico? (mais…)

Ler Mais

Samarco pagou só 1% do valor de multas ambientais por tragédia de Mariana

Ibama e governos de MG e ES aplicaram 68 multas, que totalizam 552 milhões de reais; Apenas a entrada de uma, parcelada em 59 vezes, foi paga. Empresa recorre das outras

Por Talita Bedinelli, El País Brasil

A tragédia de Mariana, que deixou 19 mortos e um rastro de lama e destruição ao longo de 600 quilômetros entre Minas Gerais e Espírito Santo, completará dois anos em novembro. Mas, até agora, as principais multas impostas pelos órgãos ambientais dos governos federal e dos dois Estados afetados à mineradora Samarco, dona da barragem que se rompeu, ainda não foram pagas. Das 68 penalidades, que totalizam quase 552 milhões de reais, 67 estão em fase de recurso. Apenas uma, parcelada em 59 vezes, começou a ser quitada: o valor corresponde a 1% do total. (mais…)

Ler Mais

A Samarco, a justiça brasileira e a nudez em praça pública

Por Thiago Alves*, do MAB

A semana começou com o noticiário nacional sendo surpreendido pela informação de que Jacques de Queirós Ferreira, juiz federal na mineira Ponte Nova, acatou o argumento da defesa dos dirigentes da Samarco Mineração S.A à época do rompimento da barragem de Fundão, em 5 novembro de 2015, e suspendeu o processo criminal referente à tragédia. (mais…)

Ler Mais

Um Ano Após as Olimpíadas: O Que Restou no Rio e no Complexo do Alemão? #QueLegado

O que tem movido os corações aflitos nesses dias de caos e extrema insegurança?

Cleber Araújo – RioOnWatch

Observando os dias atuais, é perceptível o medo e o estado de pânico que todos têm vivido cotidianamente. Um passo à frente é algo desafiador. É um ato de agradecimento se permanecermos vivos. Pois está cada dia mais difícil viver nessa cidade do medo, essa cidade que se afundou em corrupção institucionalizada e patrocinada por governantes que só pensaram em roubar do povo, de forma descabida e sem nenhum pudor, o que ainda restava. (mais…)

Ler Mais

Um Ano Após as Olimpíadas, a Vida Continua na Maré #QueLegado

Um ano depois das Olimpíadas no Rio de Janeiro, pouco se fala do legado Olímpico deixado para os moradores do conjunto de favelas da Maré, um dos maiores complexos do Rio, com mais de 140 mil moradores

Thaís Cavalcante – RioOnWatch

Mobilidade

Desde os preparativos das Olimpíadas, as obras e mudanças passaram a fazer parte da rotina dos cariocas. Uma das iniciativas do transporte público que impactou o território foi a construção do BRT TransBrasil, que teve sua obra parada durante os Jogos e retomada em abril deste ano, na Avenida Brasil. O BRT não é o ônibus convencional. Inicialmente ele contará com ônibus biarticulados, cerca de 16 estações e 18 passarelas. A expectativa de um trânsito mais acessível ainda é a esperança de muitos, como Willian Gomes, 22 anos que mora na Maré e circula de ônibus diariamente. “Minhas expectativas são positivas, isso ajudará bastante o povo a chegar no trabalho, faculdade e casa, por exemplo, uma vez que o transporte público não nos favorece junto com o trânsito encontrado na pista em horários e dias de pico”, afirma ele. (mais…)

Ler Mais

Milhares de ações sobre a tragédia de Mariana se arrastam na Justiça

Mais de 20 meses depois do pior desastre socioambiental da história do país, processo contra a Samarco e outros responsáveis pela poluição de quilômetros de rios e devastação de povoados se arrastam entre centenas de recursos, que se estendem também a punições administrativas

 Valquiria Lopes , Gustavo Werneck, no Estado de Minas

Adiamento de prazos, recursos na Justiça às centenas e determinações atendidas apenas em parte mostram que a suspensão do processo criminal que apura a responsabilidade sobre as mortes resultantes do rompimento da Barragem do Fundão, em Mariana, não é o único motivo de decepção para quem espera respostas para a maior tragédia socioambiental da história do país, provocada pela Mineradora Samarco. O último jato de água fria para quem aguarda punições para o desastre ocorreu na segunda-feira, quando a Justiça Federal em Ponte Nova, na Zona da Mata, suspendeu a ação penal para análise de alegação da defesa do presidente licenciado da mineradora, Ricardo Vescovi, sobre suposto uso de prova ilícita no processo. A decisão se soma à morosa tramitação de uma lista de ações judiciais e administrativas (veja abaixo). Mais que isso, mostra que, após quase dois anos, a Justiça tão esperada por moradores ao longo da Bacia do Rio Doce e defensores do meio ambiente está longe ser alcançada. (mais…)

Ler Mais

‘Você compra remédio ou comida’: as escolhas das famílias que vivem com um salário mínimo em SP

Há certos meses em que Carlos e Odilene deixam de comprar sabonete. Moradores de uma ocupação, eles trocam o conforto da higiene por um pedaço de carne a mais no prato. Reginaldo e Rafaela não têm previsão para trocar o telhado quebrado do barraco em que vivem, na favela de Paraisópolis. Melhor aguentar as goteiras a deixar de alimentar seus três filhos. Renata enfrenta uma maratona diária: percorre quilômetros em busca de feiras e sacolões que vendam alimentos mais baratos para a produção de marmitex. É na diferença de centavos na batata ou no tomate que ela encontra o lucro para sustentar sozinha a família, composta por mais sete crianças, em um cortiço na região da cracolândia

Essas são as escolhas diárias feitas por famílias que vivem com um salário mínimo, R$ 937, na cidade de São Paulo. Chefes de família contaram à BBC Brasil como se desdobram para esticar por 30 dias os rendimentos – e evitar ter que morar na rua. (mais…)

Ler Mais

Atingidos repudiam suspensão de processo criminal contra a Samarco

Vergonhosamente, esta decisão é a única resposta que a Justiça consegue dar aos atingidos e a toda sociedade brasileira 21 meses depois do crime.

No MAB

O Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) repudia a decisão da Justiça Federal de Ponte Nova (MG) que suspendeu o processo criminal contra 22 pessoas acusadas de serem responsáveis pelo rompimento da barragem de Fundão que provocou a morte de 19 pessoas e um aborto forçado pela lama em Bento Rodrigues. O juiz Jacques de Queirós Ferreira acatou o argumento da defesa que considera que as escutas telefônicas foram feitas de forma ilegal. (mais…)

Ler Mais

Justiça Federal suspende ação criminal que tornou acusados réus por homicídio no desastre de Mariana

Samarco, Vale, BHP Billiton, VogBR e 22 pessoas são rés na ação. Decisão foi dada após pedido de anulação feito por advogado de dois réus, que alega ilegalidade em escutas telefônicas.

Por Fernando Zuba, Flávia Cristini e Pedro Ângelo, TV Globo e G1 MG

A Justiça Federal em Ponte Nova, na Zona da Mata de Minas Gerais, suspendeu o processo criminal que tornou rés 22 pessoas e as empresas Samarco, Vale, BHP Billiton e VogBR por causa do desastre com a barragem de Fundão, em Mariana, em novembro de 2015. A reportagem teve acesso à decisão, que data de 4 de julho deste ano. A defesa do diretor-presidente licenciado da Samarco, Ricardo Vescovi, e do diretor-geral de operações, Kleber Terra, alegou que escutas telefônicas usadas no processo foram feitas de forma ilícita. (mais…)

Ler Mais