Ocupação do MTST em São Bernardo do Campo é alvo de ataque a tiros

Tiros vieram de condomínio de alto padrão, vizinho do terreno. Um morador foi ferido e socorrido no pronto-socorro central da cidade

Na Rede Brasil Atual

A ocupação Povo Sem Medo, de São Bernardo do Campo, sofreu um ataque a tiros na tarde deste sábado (16). Os disparos vieram de um condomínio de alto padrão que fica ao lado do terreno. Audinei Serapião da Silva foi atingido com um tiro no braço e socorrido no pronto socorro central da cidade. Ele foi operado para que houvesse a retirada do projétil e passa bem, permanecendo em observação até este domingo. (mais…)

Ler Mais

LGBTs e direito à cidade: sobre corporalidades e afetos transgressores

por Marcos de Jesus Oliveira*, para Combate Racismo Ambiental

O “direito à cidade” como um direito de não exclusão dos espaços urbanos e como garantia de participação das decisões que afetam a organização da cidade e o cotidiano de quem nela vive é um conceito, mas também um slogan político cada vez mais enunciado nas últimas décadas. Algumas dessas enunciações, sobretudo, as advindas de movimentos e protestos sociais, carregam o desejo de afirmar um espaço urbano livre da privatização neoliberal operada pelo mercado financeiro cujas consequências mais imediatas são a remoção forçada de indivíduos, a restrição da mobilidade das populações periféricas e a negação da habitação digna como um direito de todos. O conceito também tem sido utilizado por inúmeras organizações sociais como estratégia de luta contra a escalada de violência urbana, em especial aquelas perpetradas pelos agentes estatais cuja função seria a de proteger os cidadãos, em defesa da desmilitarização do cotidiano urbano. (mais…)

Ler Mais

Auditoria inédita mostra prefeitura à mercê dos empresários de ônibus no Rio

A Pública teve acesso com exclusividade ao diagnóstico da PwC que a prefeitura tentou esconder. Estudo detalha ineficiência do sistema de ônibus e dá caminhos para redução da tarifa

por Adriano Belisário, da Agência Pública

Apesar de se tratar do principal meio de transporte do Rio de Janeiro, quando o assunto é planejamento e gestão do sistema de ônibus, a prefeitura fica à mercê dos empresários. Essa é a conclusão da auditoria feita pela PricewaterhouseCoopers (PwC) entre 2014 e 2016 para a gestão do ex-prefeito Eduardo Paes (PMDB). (mais…)

Ler Mais

Brasil: O racismo segue em ritmo acelerado para defender o capital [Opinião]

Por Thaiña Rodrigues, no Rio On Watch

Rio de janeiro, era julho e acontecia o Julho Negro –evento que promoveu encontros ao redor da cidade para debater o racismo em suas diferentes formas de existência– e presenciei duas cenas, em menos de 30 minutos no Centro da cidade que me deixaram perplexo. Ambos com objetivo de proteger o capital. (mais…)

Ler Mais

Neta do ‘Folha Seca’ do Horto considera homenagem ao seu avô pelo Jardim Botânico “uma palhaçada”

Por Sophia Zaia, no Rio On Watch

Orlando “Folha Seca” Pereira da Silva, o primeiro jardineiro de carteira assinada do Jardim Botânico do Rio de Janeiro, faleceu no dia primeiro de julho com cem anos de idade. Folha Seca é lembrado com muito orgulho por seus parentes e amigos na sua comunidade, o Horto Florestal. Ele morava no Horto com sua família–que continua morando lá–desde que recebeu permissão do Jardim Botânico para construir sua casa lá para morar perto do seu trabalho. A comunidade hoje é bicentenária. (mais…)

Ler Mais

SP – Governo do Estado especula com patrimônio imobiliário público

Por Pedro Mendonça e Raquel Rolnik*, no observaSP

Na última quinta-feira (24), o governo do estado de São Paulo abriu uma concorrência para contratar serviços de estruturação, administração, custódia e operação de um Fundo de Investimento Imobiliário (FII) composto por 267 imóveis públicos estaduais. Essa ação dá prosseguimento a um esforço empreendido pela gestão Alckmin para constituir instrumentos de garantia para os parceiros privados em  contratos de parcerias público-privadas (PPPs) estaduais, utilizando, para isso, os recursos resultantes da venda dos imóveis. Essa decisão, como veremos adiante, limita a capacidade de planejamento do poder público, além de causar remoções diretas e indiretas, o que põe em xeque sua capacidade de atender o interesse comum. (mais…)

Ler Mais

IPPUR lança LEDUB – Laboratório de Estudos das Transformações do Direito Urbanístico Brasileiro

No Rio On Watch

No dia 11 de agosto, o Colégio Brasileiro de Altos Estudos (CBAE) promoveu o evento de lançamento do Laboratório de Estudos das Transformações do Direito Urbanístico Brasileiro (LEDUB), “um ponto de convergência de estudiosos, profissionais, especialistas que consideram o direito urbanístico uma peça fundamental à engrenagem das metrópoles brasileiras”. O projeto foi desenvolvido pelo professor Alex Magalhães do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano e Regional (IPPUR), da UFRJ, e conta com um grupo de jovens pesquisadores e numerosos colaboradores das áreas urbanística e jurídica. Devido a natureza do tema o LEDUB traz à cena um diálogo interdisciplinar, independente de formação ou titulação, sendo bem-vindos todos aqueles que desejam se aprofundar na dimensão jurídica no fenômeno urbano.  (mais…)

Ler Mais

A verdade sobre o legado olímpico do Rio: favelas compartilham lutas e vitórias no lançamento do PACS

Por Gigi Ong-Alok, no Rio On Watch

No dia 31 de julho, o Instituto de Políticas Alternativas para o Cone Sul (Instituto PACS) lançou a sua publicação mais recente, “Rio Olímpico: qual o legado um ano depois dos Jogos?“, na Casa Pública em Botafogo. Refletindo sobre as consequências dos Jogos, o relatório esclarece a disparidade entre os benefícios prometidos e a realidade cotidiana vivida pelos moradores da cidade. O PACS convidou oradores do Horto, Complexo da Maré, Vila Autódromo e Maracanã para compartilharem as suas histórias de resistência e desafio comunitário. O evento ressaltou como as estratégias de desenvolvimento para o megaevento, especificamente, dirigiram-se às favelas do Rio através de crescentes intervenções policiais pela UPP, incidentes contínuos de remoções de favelas, exclusão do mercado e negligência pública. Seguindo os princípios fundamentais da publicação, o evento focou em duas perguntas: Qual o legado deixado? Para quem foi benéfico? (mais…)

Ler Mais