Entidades de direitos humanos e movimentos sociais repudiam Plano Nacional de Segurança Pública

No Justificando

No mesmo dia (terça-feira, 21) em que o então ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, está sendo sabatinado pela Comissão de Constituição e Justiça do Senado Federal (CCJ) como candidato para a vaga de ministro no Supremo Tribunal Federal (STF), diversas entidades de classe, movimentos sociais e intelectuais divulgaram uma nota repudiando o Plano Nacional de Segurança Pública, proposto pelo ministro, em janeiro deste ano, e amplamente criticado. Com seus 62 slides, o Plano foi uma das respostas do governo federal à grave situação do sistema prisional brasileiro, que somente nas duas primeiras semanas deste ano já havia registrado mais de uma centena de mortes. (mais…)

Ler Mais

De uma branca para outra, por Eliane Brum

No El País Brasil

Thauane,

Em 4 de fevereiro, você postou o seguinte texto em sua página no Facebook: “Vou contar o que houve ontem, pra entenderem o porquê de eu estar brava com esse lance de apropriação cultural: eu estava na estação com o turbante toda linda, me sentindo diva. E eu comecei a reparar que tinha bastante mulheres negras, lindas aliás, que tavam me olhando torto, tipo ‘olha lá a branquinha se apropriando da nossa cultura’, enfim, veio uma falar comigo e dizer que eu não deveria usar turbante porque eu era branca. Tirei o turbante e falei ‘tá vendo essa careca, isso se chama câncer, então eu uso o que eu quero! Adeus’. Peguei e saí e ela ficou com cara de tacho. E, sinceramente, não vejo qual o PROBLEMA dessa nossa sociedade, meu Deus”. (mais…)

Ler Mais

Construção de uma sociedade sem discriminações é desafio para a democracia. Entrevista especial com Roger Raupp Rios

Vitor Necchi – IHU On-Line

Uma consequência do acúmulo de lutas e reivindicações contra preconceito e discriminação é o surgimento do direito da antidiscriminação. “Pode-se perceber que quanto mais a democracia, não só política, mas também social, consolida-se, aumentam a quantidade e a qualidade das respostas diante de discriminação”, avalia o desembargador federal Roger Raupp Rios. (mais…)

Ler Mais

Uma introdução à Educação Pública no Rio de Janeiro

Por , no Rio On Watch

O Estado do Rio de Janeiro é entre os lugares com o maior número de escolas públicas do mundo, só na cidade do Rio são mais de 1000 escolas municipais, sem contar as estaduais. Em todo o Brasil, as escolas públicas absorvem aproximadamente 80% dos alunos. As vagas nas escolas públicas são alocadas com base na localização por um comitê da secretaria municipal e estadual e, diferentemente dos Estados Unidos, análises sugerem que “não há evidência de que a educação pública seja uma dimensão importante na escolha de bairro” para os cariocas. (mais…)

Ler Mais

São Paulo segundo seu novo prefeito [só tem/terá brancos ricos]

Por Raquel Rolnik, em seu blog

Em um vídeo destinado a atrair investidores internacionais para seu programa de privatizações de serviços e espaços públicos de São Paulo, a gestão Doria deixou bem claro com que cidade e com quais moradores se relaciona. A imagem transmitida é a da São Paulo corporativa, meca do consumo e dos negócios, o lugar de moradia e circulação do 1%: rico e poderoso. Não por acaso, no vídeo não aparecem negros e negras, não aparecem jovens, não aparecem ciclistas, grafites e pixações. Nessa cidade, à venda no mercado financeiro global, realmente não há espaço para manifestações culturais transgressoras e heterogêneas como o grafite. Essa é a Cidade Linda de Doria. Seguramente não é a nossa. Confira aqui o vídeo: (mais…)

Ler Mais

A Academia está sempre de portas abertas para os privilegiados

Gizele Martins – RioOnWatch

Historicamente a academia é um espaço ocupado apenas pelos privilegiados: por ricos e pela classe média. No Brasil, nós que somos das periferias e favelas, só estamos conseguindo entrar nesse espaço há um pouco mais de uma década pelo sistema de cotas. E isso não foi por bondade dos governantes, foi por causa da luta histórica dos movimentos negros do nosso país. (mais…)

Ler Mais

“Policial decide quem é usuário e traficante a partir de cultura racista”

Pesquisadora Rosane Borges vê “conluio do Judiciário e da imprensa em relação à criminalização da juventude negra”

por Pedro Borges, da Iniciativa Negra – Ponte/CartaCapital

Autora de uma dissertação de mestrado foi sobre o imaginário do negro nos programas policiais, a jornalista e pós-doutoranda da Universidade de São Paulo (USP) Rosane Borges aborda nessa entrevista a relação entre mídia, racismo, encarceramento em massa e guerra às drogas. “A gente vê um conluio do judiciário e da imprensa em relação à criminalização da juventude negra”, afirma Rosane, que é colunista da Carta Capital e da Boitempo, além de integrante da Comissão de Jornalistas pela Igualdade Racial (COJIRA-SP) e conselheira da Iniciativa Negra por uma Nova Política sobre Drogas. (mais…)

Ler Mais

ES – ‘Quando a gente sai da aldeia, tem que saber lidar com a estupidez e a discriminação’

Por Fernanda Couzemenco, Século Diário

“Quando a gente sai da aldeia pra estudar ou trabalhar, tem que saber lidar com a estupidez e a discriminação”, afirma a estudante do curso técnico de Enfermagem, Mirtes Sebastião.

Mirtes é uma bela jovem Tupinikuim, que estuda e trabalha em Vitória e cuida dos filhos em Caieiras Velha, Aracruz, norte do Estado. Conta que sempre estudou em escolas fora da aldeia e sempre foi boa aluna. Mas, ainda assim, a discriminação racial foi e continua sendo uma constante em sua vida. (mais…)

Ler Mais