E as urnas deram a resposta! O Legado Olímpico que já era

Hugo Costa – RioOnWatch

Existia um projeto para o Rio, um projeto Olímpico, com uma consultoria internacional contratada para orientar em como aplicar o modelo do Legado Olímpico de Barcelona, tão referenciada mundialmente como exemplo de legado Olímpico, em nossa cidade. Pagamos por esta consultoria em 1995 e ela previa um verdadeiro legado Olímpico para o Rio: a recuperação da Zona Norte da cidade com a construção do Parque Olímpico na Ilha do Fundão. Esta era a proposta da primeira vez que nos candidatamos a sediar as Olimpíadas (Rio-2004). Esta proposta não saiu vencedora devido as fragilidades da cidade (mobilidade urbana, violência e condições de lixo e esgoto da Zona Norte do Rio). Na candidatura posterior, para o Rio-2012, que incluía antes a realização dos Jogos Pan-Americanos, o modelo mercadológico de construção do espaço ganhou seu primeiro espaço na Barra da Tijuca, cujo investimento significou também em uma nova auto estrada para a cidade, para desbravar esta fronteira de expansão da cidade: a Linha Amarela. (mais…)

Ler Mais

Professores de escolas públicas nas favelas do Rio descrevem desafios e esperam por mudança

Raven Hayes – RioOnWatch

O descontentamento e a desmoralização dos professores no Rio de Janeiro estão crescendo. Recentemente, uma greve coordenada pelo sindicato estadual dos professores terminou, após quatro meses. Os professores em greve demandavam um aumento salarial e mais investimento em educação. Devido as muitas brechas existentes no sistema educacional no Rio de Janeiro, professores e profissionais das escolas estão criando suas próprias soluções para garantir o sucesso dos alunos. (mais…)

Ler Mais

Ocupação Cultural na Vila Autódromo comemora memória, resistência e esperança

Nour El-Youssef – RioOnWatch

No domingo, 25 de setembro a Vila Autódromo organizou mais um evento Ocupa Vila Autódromo celebrando a memória, resistência e esperança da comunidade. Localizada na beira do Parque Olímpico na Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio, a comunidade enfrentou a remoção e a demolição de suas casas pela prefeitura durante os anos que antecederam os Jogos Olímpicos de 2016. A batalha de resistência da comunidade foi árdua e longa. O resultado foi a remoção de cerca de 700 famílias. No entanto, com protestos fortes e persistentes, 20 famílias foram capazes de permanecer no local original e agora moram em casas construídas pela prefeitura. (mais…)

Ler Mais

Há um legado paralímpico para as favelas do Rio?

Lisa Hollenbach – RioOnWatch

Os Jogos Paralímpicos deveriam ter sido um momento decisivo para os estimados 45 milhões de brasileiros com alguma deficiência física, pois deveriam ter deixado “um legado de acessibilidade”, conforme anunciado pelo Comitê Olímpico Brasileiro. Mas Valdir Mansur, um ex-jogador cadeirante de rugby da Rocinha, vê com ceticismo a entrega desse prometido–e tão necessário—legado. (mais…)

Ler Mais

Primavera Afro aumenta consciência negra e discute Olimpíadas no Rio

Mariah Barber – RioOnWatch

O dia 10 de setembro marcou o início da Primavera Afro e a 6ª edição da Feira Crespa, cujo objetivo é reconhecer o valor da cultura e beleza negra no Rio de Janeiro. O evento ocorreu no Campo de Santana, no Centro do Rio, onde cerca de 150 pessoas se reuniram ao longo do dia. Durante o evento, foram realizados debates sobre racismo institucional e identidade negra, exibição de trabalhos criados por designers negros, prática de capoeira, dança de hip-hop e música brasileira. A programação teve apoio de empresários negros e artistas locais. (mais…)

Ler Mais

O filme ‘Olympia’ mistura documentário e fantasia para contar a história da corrupção no Rio

Sarah Cronin – RioOnWatch

Olympia é um filme chocante, que mistura documentário e ficção ao explorar a natureza da corrupção durante a preparação para os Jogos Olímpicos de 2016. Inspirado no trabalho do jornalista investigativo Lucio Vaz e por acontecimentos reais da história do Brasil, o roteirista e diretor Rodrigo Mac Niven faz uma inteligente justaposição entre o mundo ficcional e não ficcional. O filme, realizado através de uma campanha de financiamento colaborativo bem sucedida, foi finalizado em apenas seis meses. A estreia será essa quinta-feira, 15 de setembro. Parte lenda, parte documentário, parte thriller político, Olympia parece assombrosamente familiar ao Rio de Janeiro pós-Olímpico. (mais…)

Ler Mais

Saber viver, crônica de Cândido Grzybowski*

Portal Ibase

Os Jogos Paralímpicos são carregados de densa significação sobre o viver. Uma espécie de jogos sombra das Olimpíadas – aliás, eles nem podem usar o nome, uma marca registrada como propriedade intelectual do COI, que revela a sua contaminação pelo “negócio” dos jogos. Eles celebram a busca do viver, a demonstração de que ser atleta é, acima de tudo, uma atitude diante do que a vida nos dá. Saber viver é acreditar que o impossível pode se tornar possível usando a energia que brota de dentro da gente. Os atletas paralímpicos ampliam enormemente o sentido do viver humano. (mais…)

Ler Mais

A pequena ONG que mudou a forma de fazer reportagens sobre as favelas do Rio durante as Olimpíadas

“Se jornalistas não têm acesso às comunidades ou noção de suas histórias, eles começam a produzir os mesmos velhos estereótipos.”

Katia Savchuk – RioOnWatch

“Crianças maltrapilhas” fuçando o lixo. Milhões de pessoas amontoadas “em barracos em meio a esgoto e tristeza”. “Um mundo de gangues de jovens, crimes violentos e tráfico de drogas” que representa uma “zona proibida“. Essas eram algumas das descrições das favelas do Rio que apareciam nos principais meios de comunicação global enquanto a cidade se preparava para sediar os Jogos Olímpicos. (mais…)

Ler Mais

Depois do modelo olímpico: as favelas cariocas entre o mercado e a militarização

Por Marcos Barreira – Blog da Boitempo

1.

Desde os anos 1990, ganhou forma no Rio de Janeiro um modelo de urbanismo seletivo e superficial. Esse novo urbanismo pretende maquilar as contradições do espaço urbano enquanto os agentes da esfera política simulam uma situação de normalidade capitalista e criam a imagem da cidade como “lugar atrativo” para empresas e projetos turísticos. (mais…)

Ler Mais