“Quem vive da pistolagem está seguro. Pode matar, não vai acontecer nada”, por Leonardo Sakamoto

Blog do Sakamoto

”No Pará, quem vive do crime organizado e da pistolagem está tranquilo e seguro: pode matar que não vai acontecer nada. É uma situação para intervenção federal.” O desabafo foi feito por uma liderança social da região Sudeste do Pará que pediu para não ser identificada, pois teme ser a próxima na fila. (mais…)

Ler Mais

Escola Sem Partido pede fim da regra sobre Direitos Humanos na redação do Enem

Para movimento, norma que zera prova de quem disseminar mensagens de ódio e preconceito é inconstitucional e, por isso, pede suspensão na Justiça

Por iG São Paulo

O movimento idealizado pelo procurador do estado de São Paulo Miguel Nagib, o Escola Sem Partido (ESP), entrou com uma ação pública contra os organizadores do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) para pedir a suspensão de uma das regras de avaliação da prova. (mais…)

Ler Mais

CPT lança amanhã, em Salvador, relatório “Conflitos no Campo Brasil 2016”

Por CPT Bahia

A Comissão Pastoral da Terra (CPT) registrou no ano de 2016 o total de 1.295 conflitos por terra (o número total de conflitos por terra é a soma de três variáveis: Ocupações – Acampamentos -Ocorrências de Conflito. E foram 1.079 ocorrências de conflitos – onde houve alguma forma de violência –, é o número mais elevado desde quando a CPT iniciou a pesquisa, em 1985. Somente na Bahia foram 132 conflitos por terra, um aumento de 75% em relação a 2015. 61 pessoas foram assassinadas no país ano passado, 22% a mais do que em 2015 e o maior número desde 2003. Quatro delas em território baiano. (mais…)

Ler Mais

Dois meses do Massacre de Pau D’Arco: um crime do Estado ainda em andamento

Por Mario Campagnani, Justiça Global

O Massacre de Pau D’Arco, no sul do Pará, completou dois meses nesta segunda-feira, dia 24 de julho. A Justiça Global vem acompanhando o caso desde o início, pressionando o Estado a responder rapidamente sobre as responsabilizações pela morte dos trabalhadores rurais, assim como na reparação aos familiares e companheiros de luta das vítimas. O que se vê, contudo, é um cenário de aumento da tensão na região. Desde o momento da morte das 10 pessoas pelas mãos das polícias militar e civil, dentro da Fazenda Santa Lúcia, a Justiça Global foi a público dizendo “o Estado brasileiro não só não promove a justiça como ainda é o principal agente da violência contra a organização e a luta popular no campo“. Mesmo com toda a repercussão do caso, nacional e internacionalmente, a falta de medidas ainda levou a uma nova vítima, Rosenildo Pereira de Almeida, conhecido como Negão, de 44 anos, uma das lideranças do acampamento dos trabalhadores, no dia 7 de julho. (mais…)

Ler Mais

Dia 4: ‘Para Além dos Números’, a Baixada Grita por uma Análise Crítica do Atlas da Violência Neste ‘Julho Negro’

Chloe Villalobos, Gigi Ong-Alok – RioOnWatch

Como parte da semana Julho Negro, o Centro de Direitos Humanos da Diocese de Nova Iguaçu e o Fórum Grita Baixada realizaram um painel para discutir o Atlas de Violência 2017, um estudo publicado recentemente sobre a violência e homicídios no Brasil realizado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA). O estudo mostra que jovens negros são as principais vítimas da violência no Brasil. O painel do Julho Negro, intitulado “Para Além dos Números”, ilustrou a importância da humanização das estatísticas e das pesquisas. Especificamente, os pesquisadores revelaram o racismo institucionalizado por trás dos números surpreendentes que colocam a polícia brasileira como uma das mais assassinas em todo o mundo. (mais…)

Ler Mais

Dez anos após declaração internacional, indígenas sofrem

Cimi

Em seu décimo aniversário, a Declaração das Nações Unidas sobre os Direitos dos Povos Indígenas enfrenta sérios obstáculos para proteger populações tradicionais em todo o mundo. Segundo a relatora especial da ONU para os direitos dos povos indígenas, Victoria Tauli-Corpuz, a expansão das indústrias extrativistas, do agronegócio e dos “megaprojetos” de desenvolvimento e infraestrutura que invadem as reservas ainda permanecem como as principais ameaças para a maioria dos povos indígenas. (mais…)

Ler Mais

No Acre, lideranças indígenas e extrativistas são ameaçadas por se posicionarem contra políticas de “economia verde”

Cimi

Em encontro realizado na cidade de Xapuri (AC), de 26 a 28 de maio, povos da floresta criticaram as políticas de economia verde e demonstram preocupação com novos acordos discutidos entre o governo e a indústria de aviação. Na ocasião, representantes de cinco povos indígenas e de comunidades tradicionais que vivem e trabalham na floresta apresentaram denúncias de impactos de projetos de economia verde. O argumento é de que as políticas de compensação de carbono preveem restrições às comunidades, como limitações para práticas de agricultura, pesca, caça e uso de bens florestais.  (mais…)

Ler Mais

Militante da causa LGBT+ é assassinada a tiros em Betim

Karina Fátima dos Santos, de 38 anos, foi executada com três disparos no Bairro Bom Retiro. Até o momento, ninguém foi preso

Larissa Ricci , Mirna de Moura * – Estado de Minas

Uma mulher formada em direito e militante da causa LGBT+ foi assassinada a tiros na tarde desta terça-feira, em Betim, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. A vítima, identificada como Karina Fátima dos Santos, de 38 anos, levou três tiros. Natural de São Paulo, morava em Betim e estava na segunda fase do exame da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).  (mais…)

Ler Mais