Sergio Adorno: ‘Criar vaga em cadeia expande facções’

Para pesquisador, Plano de Segurança é ‘política atrasada’ e se deveria investir em um processo de ‘desencarceramento’

Por Fabio Leite, nto Estadão

Pesquisador do sistema carcerário há 40 anos e coordenador do Núcleo de Estudos da Violência (NEV) da Universidade de São Paulo (USP), o sociólogo Sérgio Adorno, de 64 anos, afirma que a política penitenciária brasileira “continua a mesma da década de 1950” e a solução para conter a violência nos presídios passa pela revisão do modelo de encarceramento massivo vigente no País. “Na prática, você expande as organizações criminosas simplesmente ampliando a oferta de vagas em presídios”, diz. Confira os principais trechos da entrevista: (mais…)

Ler Mais

Empatia, por Luis Fernando Veríssimo

Persiste um sentimento, não declarado mas evidente, de que criminoso tem que sofrer mesmo, que condições mais humanas nos cárceres são um luxo imerecido

No Globo

‘Empatia’, nos diz o dicionário, é a capacidade de sentir o que sentiria na situação ou nas circunstâncias experimentadas por outro. Ou seja, a capacidade de se colocar no lugar do outro e sentir o que ele sente, um requisito não só para a solidariedade e a caridade, mas para a vida civilizada. Há situações refratarias à empatia, que, por mais que você tente, não consegue imaginar. Você pode se imaginar preso, mas não consegue imaginar, por ser tão distante das suas expectativas, estar numa cela em que cabem cinco, com 15 — ou mais. O sistema carcerário brasileiro é um escândalo que atravessa os tempos e os governos e só se agrava. O ódio e a revolta nutridos pela condição desumana das cadeias superlotadas explodem, como nesse horror em Manaus, ultrapassam o nosso imaginário e destroçam qualquer tentativa de empatia. (mais…)

Ler Mais

“Favelas na Mídia: como a vinda da imprensa global na Era dos Megaeventos transformou a imagem das favelas”. Relatório lançado na Casa Pública

Por Laura Bachmann, no Rio On Watch

Na quinta, 15 de dezembro, a Comunidades Catalisadoras (ComCat), ONG que publica o RioOnWatch, lançou o seu relatório Favelas na Mídia: Como a Vinda da Imprensa Global na Era dos Megaeventos Transformou a Imagem das Favelas, um estudo sobre a representação das favelas na mídia internacional entre 2008 e 2016. (mais…)

Ler Mais

Massacres expressam a realidade mal conhecida de perigos que nos rondam, por Janio de Freitas

Na Folha

As matanças nos presídios de Manaus e Boa Vista não refletem apenas o criminoso sistema carcerário e as indiferenças perversas das classes média e alta, que servem de anteparo para a omissão dos governos em seus deveres penais. As explosões da violência encarcerada, crescentes em frequência e em Estados atingidos, expressam também a realidade mal conhecida de perigos que nos rondam a todos. (mais…)

Ler Mais

Cárcere feminino: mecanismo de docilização de mulheres “desviantes”

Por Thais Lemos Duarte e Fernanda Machado Givisiez, no Justificando

As mulheres são basicamente esquecidas nas rotinas do universo prisional, apesar de os dados indicarem um processo de superencarceramento feminino nos últimos anos. Segundo o Departamento Penitenciário Nacional (DEPEN), entre 2000 e 2014, o aumento da população prisional feminina foi de 567,4%, ao passo que a média do crescimento dos homens foi de 220,2%[1]. É fundamental um debate qualificado sobre o desencarceramento dessas mulheres, urgindo a criação de políticas neste sentido. Por outro lado, a proposta deste texto é realizar uma análise sobre o aprisionamento feminino no Brasil. (mais…)

Ler Mais

SP – Denúncia de Promotor de manifestantes presos causa espanto em juristas e parlamentares

Por Patricia Iglesio, no Justificando

A denúncia do promotor de justiça do Ministério Público de São Paulo, Fernando Albuquerque, de 18 manifestantes pelos crimes de corrupção de menores e corrupção ativa, em decorrência do episódio ocorrido na manifestação contra o governo Temer, quando foram presos na saída de um metrô, antes de chegarem ao protesto pacífico, tem recebido uma série de críticas de parlamentares, ativistas e juristas.

(mais…)

Ler Mais

Opinião: Os elogios fúnebres a Mário Soares não podem reescrever a história

Se o 25 de Abril de 1974 constitui o mais importante acontecimento da história de Portugal até hoje, Mário Soares deve ser recordado como um dos seus mais destacados adversários

Do O Diário, no Opera Mundi

Numa vida política tão prolongada e com um trajeto tão contraditório como a de Mário Soares nem todos os aspectos serão negativos. Mas, se se pretender nesta altura fixar o seu lugar na história, há um fato que para o nosso povo e o nosso país é mais relevante do que qualquer outro. Se o 25 de Abril de 1974 constitui o mais importante acontecimento da nossa história até hoje, Mário Soares deve ser recordado como um dos seus mais destacados e encarniçados adversários. Vasco Gonçalves e Álvaro Cunhal identificam nele o principal responsável pela contrarrevolução portuguesa. (mais…)

Ler Mais

BA – Marinha ergue muro, e quilombolas de Rio dos Macacos temem ficar sem acesso a água

Por Franco Adailton, no UOL

Cerca de 85 famílias remanescentes do Quilombo Rio dos Macacos, em Simões Filho, na divisa com Salvador, vivem em casas de barro cobertas com telhas de amianto, sem água encanada, energia elétrica e rede de esgoto. E, hoje, temem perder o único acesso que têm a água por conta de uma obra erguida pela Marinha. (mais…)

Ler Mais