ANP faz pesquisa sísmica no Oeste de Santa Catarina e avisa que vai retornar ao Paraná

Como sempre, comboio de caminhões vibradores percorre rodovias sem aviso prévio dos riscos do fracking aos gestores públicos e à população. No Paraná, pesquisas estão proibidas

Por Silvia Calciolari, Não ao Fracking Brasil

A presença dos caminhões vibradores contratados pela Agência Nacional de Petróleo de Gás (ANP) nas rodovias do Oeste de Santa Catarina pegou os gestores públicos e moradores da região de surpresa. Dionísio Cerqueira, colada com a cidade paranaense de Barracão, Guarujá do Sul, Guaraciaba e Campo Erê são localidades onde o comboio já passou e pasmem, a população soube pela imprensa. (mais…)

Ler Mais

ES – Para cumprir condicionante, Jurong terá de recontratar trabalhadores locais

Por Fernanda Couzemenco, Século Diário

Dos 1010 trabalhadores hoje na ativa dentro da Jurong Aracruz, menos de 50 são moradores das comunidades diretamente impactadas pelo empreendimento – Barra do Riacho, Vila do Riacho e Barra do Sahy. Os demais, mais de 950, são oriundos ou da sede de Aracruz ou de outros municípios. Essa desproporção afronta uma das condicionantes do licenciamento ambiental do empreendimento, que estabelece a contratação de 70% da mão de obra local. (mais…)

Ler Mais

Números não apontam benefícios nas cadeias com participação privada

Mesmo defasados, dados oficiais indicam mortalidade maior nos presídios da gestão privada; presença das empresas no setor prisional ainda é tímida

por Bruno Fonseca, Iuri Barcelos, Lucas Ferraz, Thiago Domenici, da Agência Pública

Um dos grandes problemas quando se fala do sistema penitenciário é a falta de dados atualizados. Quando apresentou um plano nacional de segurança para dar uma resposta à matança nos presídios, neste mês, o ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, afirmou que não há registro sobre a quantidade de presos nas penitenciárias brasileiras. (mais…)

Ler Mais

Constituintes de 1988 reafirmam caráter permanente dos direitos indígenas

Ex-deputados constituintes confirmam que não houve intenção de incluir limite temporal para os direitos territoriais indígenas no texto da Constituição

No ISA

O ataque contra os direitos indígenas, de populações tradicionais, assentados de reforma agrária e de todos os brasileiros ao meio ambiente aprofunda-se no governo Temer. A Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 215 segue como uma ameaça no Legislativo. A PEC pretende transferir aos parlamentares a última palavra sobre as demarcações de Terras Indígenas. (mais…)

Ler Mais

“Fora do modelo privado ninguém sabe quanto custa o preso no Brasil”

Proprietário da Reviver, especializada em administrar presídios, defende o lucro com a gestão do cárcere e afirma que o massacre ocorrido em Manaus na cadeia controlada por uma concorrente não pode “ofuscar o sucesso” do modelo

por Lucas Ferraz e Thiago Domenici, da Agência Pública

As matanças neste início de ano nas prisões do Norte do país, com chacinas em unidades do Amazonas, Roraima e do Rio Grande do Norte, motivadas por disputas entre facções criminosas que deixaram mais de cem mortos, levantaram críticas e suspeitas sobre a atuação da iniciativa privada nos presídios. (mais…)

Ler Mais

Menos que escravos

A historiografia dá conta de que a escravidão indígena perdurou, não-oficialmente mas em escala razoável, até meados dos anos 70

Da Pedra

O Museu da Escravidão é um sonho antigo do Movimento Negro brasileiro. Recentemente, a secretária municipal de cultura do Rio de Janeiro, Nilcermar Nogueira, neta de Cartola e Dona Zica, falou com o prefeito da cidade sobre o tema. A ideia é que o museu seja no Porto do Rio, onde estão as ruínas do Cais do Valongo, o porto que mais recebeu negros escravizados das Américas. (mais…)

Ler Mais

O odor nauseante dos presídios misturado ao sangue, por Gerivaldo Neiva

No Justificando

O odor de todos os presídios é uma mistura nauseante de fezes, urina, esgoto, suor, roupas sujas e emboloradas, doenças de pele e do couro cabeludo, corpos sujos e comida azeda. É assim em todos eles, embora distantes quilômetros um do outro. Talvez os detentos e agentes penitenciários não sintam mais esse odor. Suas narinas já se acostumaram. Na verdade, diante de tanto horror nos presídios, esse odor nauseante torna-se um detalhe insignificante. Para os detentos, por exemplo, pior é a tortura, a falta de qualquer expectativa ou oportunidade dentro do presídio e, principalmente, a possibilidade concreta de morrer a qualquer momento. (mais…)

Ler Mais

Especialistas rebatem defesa de Barroso de privatização da UERJ

No Justificando

Em artigo publicado no jornal O Globo neste sábado, 15, o ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), defendeu um modelo de financiamento privado para as Universidades Públicas nos moldes norte-americanos. O ministro se baseou na crise financeira na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) para propor a privatização do ensino público superior. “Precisamos conceber uma universidade pública nos seus propósitos, mas autossuficiente no seu financiamento” – afirmou. (mais…)

Ler Mais

“A gente vai morrer no espírito também”. Hidrelétricas avançam sobre terras e vidas Munduruku

Por Mauricio Torres e Sue Branford, na The Intercept Brasil

“É um tempo de morte. Os Munduruku vão começar a morrer. Vão começar a se acidentar e até acidente simples vai matar o Munduruku. Vai cair raio e matar o índio. O índio vai tá trabalhando na roça e um pau vai cair em cima do índio e não é à toa que o pau vai cair em cima dele. Ponta de pau afiado vai furar o índio que estiver caçando. E é impacto porque o governo mexeu no lugar sagrado”. (mais…)

Ler Mais