À beira do abismo, governo pira e estuda confisco de FGTS de desempregados, por Leonardo Sakamoto

No blog do Sakamoto

A proximidade com o abismo está levando o governo Temer a perder o pouco pudor que ainda lhe restava com relação aos direitos de trabalhadores e a considerar soluções estapafúrdias. A última: estuda confiscar temporariamente parte do FGTS dos demitidos sem justa causa para, numa pedalada fiscal com a bicicleta alheia, ajudar a fechar as suas contas. (mais…)

Ler Mais

Seu churrasco tem soja? Um filme de Thomas Bauer

Por Campanha em Defesa do Cerrado

No Brasil, consumimos grandes quantidades de carne per capita e ano. O nosso alto consumo, bem como a demanda mundial por carne, gera um grande impacto ao planeta. A soja – produto base na produção da carne bovina, suína, aves e outras – domina hoje dois terços das terras férteis do mundo. O Brasil é um dos maiores exportadores de grande parte desta soja. Mas quais são as consequências do boom da soja onde ela é cultivada? O que significa para as populações locais o avanço do chamado “ouro verde”? (mais…)

Ler Mais

Recomendação do MPF pede que estado priorize contratação de professores indígenas em escolas indígenas

Por Fernanda Canofre, no Sul21

Uma recomendação do Ministério Público Federal (MPF) de Passo Fundo, na região norte do Rio Grande do Sul, expedida no dia 16 de junho, pede que a Secretaria Estadual de Educação contrate professores indígenas ou candidatos indígenas aprovados em concursos, para lecionar nas escolas indígenas, ao invés de ampliar a carga horária de outros docentes. O documento é endereçado diretamente às 7ª e à 39ª Coordenadorias Regionais de Educação, responsáveis por escolas da região, incluindo a Escola Estadual Indígena de Ensino Médio Fág Kavá, localizada dentro da Terra Indígena de Serrinha, no município de Ronda Alta. (mais…)

Ler Mais

No Mato Grosso do Sul, um mamão nem sempre é só um mamão

Por Alessandro Prado, Jean Menezes e Pedro Peruzzo, no Justificando

Este texto é uma denúncia de mais um ato de racismo e abuso policial praticado por agentes de segurança pública e vereadores de Paranaíba, no Mato Grosso do Sul. O Estado é conhecido internacionalmente pelos ataques a populações indígenas e parece querer não perder tempo em aumentar sua fama também em relação a racismo contra negros. Talvez os vereadores de Paranaíba e os policiais dessa cidade não tenham se dado conta de que ao mesmo tempo que nossas vidas estão flagradas 24 horas pelas redes sociais, também a deles está. Não existe mais lugares e nem pessoas neste país que estão à margem da lei se existir internet e câmeras de celular. (mais…)

Ler Mais

Documentário “Seu churrasco tem soja?” será lançado neste sábado no FICA, em Goiás

CPT

Por se tratar de uma produção austro-brasileira, o documentário foi lançado no mês de março em diversos estados da Áustria. E neste sábado, 24, o documentário será exibido pela primeira vez no Brasil durante a Mostra da Universidade Estadual de Goiás (UEG) na 19º edição do Festival Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental (FICA), realizado entre os dias 20 e 25 de junho na Cidade de Goiás (GO). (mais…)

Ler Mais

Novas medidas para ofertas de área de mineração intensificarão violência, afirma MAM

Mil lotes estarão aptos para serem negociados sob as novas regras, apresentadas pelo governo na quarta-feira (21)

Por Júlia Dolce, no Brasil de Fato

O Movimento Pela Soberania Popular na Mineração (MAM) considera uma ameaça para o meio ambiente e para o povo brasileiro os novos procedimentos para ofertas de áreas de lavra e pesquisa mineral, anunciados na última quarta-feira (21) pelo Ministério de Minas e Energia (MME) do governo do presidente golpista Michel Temer (PMDB). (mais…)

Ler Mais

Massacre de Pau D’Arco completa um mês sem que o Estado apresente respostas

Por Mauro Capagnani, na Justiça Global

Familiares e companheiros de luta dos dez trabalhadores rurais mortos pelas polícias militar e civil em Pau D’arco (PA) cobram do Estado respostas sobre o massacre, o maior dos últimos 21 anos no país. Amanhã (hoje), quando se completa um mês do crime, eles estarão nas ruas de Redenção – cidade que é o principal centro do Sul do Pará – em um ato em memória das vítimas. A intenção é exigir do Estado mais celeridade, tanto nas investigações e na responsabilização dos culpados, como no processo de assentamento das famílias na Fazenda Santa Lúcia, onde ocorreram os assassinatos, e na reparação aos familiares. O protesto começará à 8 horas da manhã, saindo de frente do batalhão da Polícia Militar em Redenção. (mais…)

Ler Mais