Vice de Raquel Dodge discorda de marco temporal estabelecido por Temer

Mariz Maia afirmou que vai atuar para destravar a demarcação de terras indígenas

Por Vinicius Sassine, O Globo

O vice-procurador-geral da República, Luciano Mariz Maia, entende que o marco temporal para demarcação de terras indígenas é o estabelecido desde a Constituição de 1934, e não uma linha de corte a partir de 1988, ano da Constituição Federal vigente. A posição dele contraria o entendimento expresso em parecer da Advocacia-Geral da União (AGU) aprovado pelo presidente Michel Temer. Ao GLOBO, Mariz Maia afirmou que, como vice-procurador-geral de Raquel Dodge, vai atuar para destravar a demarcação de terras indígenas. (mais…)

Ler Mais

Policial que assassinou Sem Terra com tiro pelas costas vai a júri popular por homicídio qualificado

Na próxima quinta-feira (21), será realizado o júri popular do policial militar Alexandre Curto dos Santos, que assassinou com um tiro pelas costas o trabalhador rural Sem Terra Elton Brum da Silva há oito anos.

Por Catiana de Medeiros, da Página do MST

Na próxima quinta-feira (21), na 1ª Vara do Júri da Comarca de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, será realizado o júri popular do policial militar Alexandre Curto dos Santos, que assassinou com um tiro pelas costas o trabalhador rural Sem Terra Elton Brum da Silva. Oito anos após o crime, Curto vai a julgamento acusado por homicídio qualificado, ou seja, por impossibilitar a defesa da vítima. O réu ainda não foi preso. (mais…)

Ler Mais

MPF requisita investigação sobre ameaça a lideranças indígenas da aldeia Sucury’i, em Maracaju (MS)

Ameaças teriam se intensificado após manifestações dos índios e bloqueio de rodovia

Ministério Público Federal em Mato Grosso do Sul

O Ministério Público Federal (MPF) em Dourados (MS) requisitou à Polícia Federal (PF), na última sexta-feira (15), abertura de inquérito para apurar supostas ameaças aos membros da família indígena Turiba, pertencentes à aldeia Sucury’i, no município de Maracaju (MS). (mais…)

Ler Mais

Termoelétrica em Peruíbe: “cidade pode sofrer processo de transformação social e econômica semelhante ao de Cubatão”

Raphael Sanz, no Correio da Cidadania

A população de Peruíbe, município do litoral sul paulista, tenta barrar um megaprojeto de usina termoelétrica que pretende entrar na cidade trazendo consigo incalculáveis impactos sociais e ambientais. Mas Peruíbe não é uma cidade qualquer. A população se orgulha das suas riquezas naturais e vive basicamente do turismo. Além disso, a população ainda leva no seu currículo vitórias contra projetos nucleares e portuários no passado. Sobre isto conversamos com André Ichikawa e Pedro Delázari, do Coletivo Ativista Litoral Sustentável, grupo que estuda os impactos e se organiza junto com a população peruibense a fim de barrar a construção da termoelétrica. (mais…)

Ler Mais

Feridos pelo Estado – Parte 1: Fogo, Borracha e Fumaça

Da invasão da PUC em 1977 as jornadas de junho em 2013, nosso documentário investiga a repressão a manifestações; nessa primeira parte, abordamos a atuação da PM nos protestos populares

por Leonardo Blecher para a Agência Pública

Os protestos contra os preços do transporte público em junho de 2013 deram visibilidade ao modo como o Estado reage a manifestações populares no Brasil. Desde então, os casos de violência policial contra manifestantes ganharam notoriedade no país. (mais…)

Ler Mais

Cesteh/ENSP discute avaliação de impacto à saúde na construção de um complexo portuário nos municípios de Maricá e Saquarema

No Informe Ensp

O Centro de Estudos da Saúde do Trabalhador e Ecologia Humana (Cesteh/ENSP) realizará, na quarta-feira, 20 de setembro, mais uma atividade do projeto ‘Encontros do Cesteh’. Reunido pela segunda vez em 2017, agora, o debate será sobre o Observatório Regional de Tecnologias em Saúde, Ambiente e Sustentabilidade: avaliação de impacto à saúde na construção de um complexo portuário no litoral do Estado do Rio de Janeiro – municípios de Maricá e Saquarema. (mais…)

Ler Mais

“Tudo sai da floresta”: vivência reforça autonomia e saberes tradicionais na Terra Indígena Maró

Terceira vivência de notório saber e Nheengatu na TI Maró, no baixo Tapajós, reuniu mais de 130 indígenas de diversos povos para trocar saberes e conectar educação com defesa do território

Por Barbara Dias e Gilberto Cesar Lopes Rodrigues*, no Cimi

Na semana em que muitos desfilavam para comemorar a independência do Brasil como colônia de Portugal, 137 pessoas – em sua grande maioria alunos e professores indígenas da Terra Indígena (TI) Maró, município de Santarém, oeste paraense, e de outros territórios da região – se reuniram para refletir criticamente sobre a semana da pátria e os desfiles de 7 de setembro, trocar experiências e fortalecer seus saberes tradicionais. Foi o que ocorreu entre os dias 2 a 10 de setembro, quando a TI Maró, habitada pelos povos indígenas Borari e Arapium, sediou o 3º Projeto de Vivência de Notório Saber e Nheengatu na Terra Indígena. (mais…)

Ler Mais

Conselho de Psicologia vai recorrer à liminar do tratamento para reorientação sexual

Liminar expedida por juiz de Brasília permite que os psicólogos ofereçam tratamento conhecido como “cura gay”

Samanta do Carmo, Radioagência Nacional, no Brasil de Fato

O juiz Waldemar Cláudio de Carvalho, da Justiça Federal em Brasília, concedeu uma liminar permitindo que os psicólogos ofereçam tratamento de reorientação sexual, conhecido como cura gay. A decisão atendeu a um pedido de um grupo de psicólogos. Eles argumentaram que a Resolução do Conselho Federal de Psicologia sobre o tema, publicada em 1999, estaria censurando os estudos na área. (mais…)

Ler Mais

“Estamos vendo o fim da classe média assalariada brasileira”, diz Marcio Pochmann

Marco Weissheimer – Sul21

O Brasil que está saindo do atual período de recessão é um país praticamente sem uma burguesia industrial, limitado a uma burguesia comercial que compra e vende produtos, papeis ou ativos públicos e privados, com uma classe trabalhadora em situação muito precária, buscando sobreviver e uma classe média assalariada que está desaparecendo. A reforma trabalhista e a terceirização vão corroer os empregos assalariados intermediários nas grandes empresas privadas e no setor público. O que está emergindo é uma sociedade cada vez mais polarizada entre os muito ricos e a maior parte da população empobrecida. A avaliação é do economista Marcio Pochmann, professor da Universidade de Campinas (Unicamp), ex-presidente do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e presidente da Fundação Perseu Abramo, que esteve em Porto Alegre nesta segunda-feira (18), participando de uma homenagem a Marco Aurélio Garcia e de um debate sobre “O Capital”, organizado pela Fundação Maurício Grabois. (mais…)

Ler Mais