Depois de Lula, o lulismo

Por Wilson Gomes, na Cult

No último fim de semana antes do impeachment de Dilma, ninguém foi às ruas defendê-la ou protestar contra o desfecho do drama político que se anunciava, inexorável. O assassinato político da presidente aconteceu no Senado, mas as ruas, tão supervalorizadas pela esquerda, ou se fizeram presentes apenas para garrotear a presidente já sem fôlego, nos meses precedentes, ou aceitaram em cúmplice silêncio o ritual que pôs fim à sua agonia. No final do ato, por suprema ironia, vimos Cássio Cunha Lima, adaga à mão, declamar que fazia o que fazia atendo ao apelo do povão. Ato contínuo, apontava para a galeria, na direção de Kim Kataguiri, o chefe de uma startup digital de ódio político recém-incubada justamente para representar uma metonímia do “povo brasileiro” na luta para tomar do PT o governo que este acabara de ganhar pelo voto popular. (mais…)

Ler Mais

Ruralômetro: Maioria dos deputados recebeu doação de desmatadores. Como isso reflete na sua atuação?

Empresas e pessoas que cometeram crimes e infrações ambientais doaram R$ 58 milhões para mais da metade da Câmara. Entre eles, está Cristiane Brasil e o ministro do Meio Ambiente

por Ana Aranha e Guilherme Zocchio – Repórter Brasil

Mais da metade dos deputados federais eleitos para a atual legislatura recebeu financiamento de doadores que estão na lista de autuados do Ibama. Dos 513 eleitos, 249 receberam um total de R$ 58,9 milhões em doações oficiais de empresas e pessoas que desmataram e queimaram florestas, entre outros crimes e infrações ambientais. O valor inclui contribuições diretas e indiretas — quando o dinheiro passa pelo comitê ou diretório do partido. (mais…)

Ler Mais

O Monitoramento e a Gestão Ambiental do Território Apinajé

Associação União das Aldeias Apinajé-Pempxà

Nesta matéria descrevemos alguns ilícitos e problemas verificados durante as Ações de Vigilância e Monitoramento Ambiental realizadas entre setembro de 2017 e janeiro de 2018 por lideranças Apinajé nas áreas do Veredão, Ribeirão dos Caboclos, Cocalinho, Buriti Comprido, Pontal, Barra do Dia e rio Tocantins, áreas críticas e vulneráveis consideradas portas de entrada de invasores que adentram à terra indígena com objetivo de roubar recursos naturais e praticar outras atividades ilícitas. (mais…)

Ler Mais

Repórter Brasil lança Ruralômetro e mostra: Em cada 10 deputados federais, 6 têm atuação desfavorável ao meio ambiente, indígenas e trabalhadores rurais

Ferramenta desenvolvida pela Repórter Brasil avalia o comportamento socioambiental dos parlamentares eleitos em 2014 a partir de como votam e dos projetos que elaboram

Por Ana Magalhães e Reinaldo Chaves, na Repórter Brasil

Pelo menos 313 deputados federais, ou 61% da Câmara, têm atuação parlamentar desfavorável à agenda socioambiental. Eles votam e elaboram projetos que têm impacto negativo para o meio ambiente, povos indígenas e trabalhadores do campo. (mais…)

Ler Mais

MPF inclui Grupo Anglo em ação que busca reparação de danos causados por desmoronamento de porto no Amapá

É pedido bloqueio imediato de R$ 100 milhões para garantir a recuperação das áreas degradadas

Ministério Público Federal no Amapá

O Ministério Público Federal (MPF) no Amapá requer à Justiça Federal a inclusão de quatro empresas do Grupo Econômico Anglo na ação civil pública em que pede a restauração do dano ambiental resultante do desmoronamento do porto de embarque e desembarque de minério, em Santana, a 17km da capital Macapá. Em caráter liminar, o órgão quer o bloqueio de R$ 100 milhões como garantia de reparação ambiental da área degradada. O requerimento foi protocolado nesta segunda-feira (29). (mais…)

Ler Mais

#TrabalhoEscravoNão: crime e impunidade persistem no Rio de Janeiro e Espírito Santo

Treze ações contra escravidão tramitam na 1ª instância no RJ e outras 7 em Varas capixabas

Procuradoria-Geral da República

Cena 1: após a doença grave de um trabalhador, os filhos de 10 e 6 anos foram forçados a trabalhar num sítio em Sapucaia (RJ) para a família continuar numa casa do terreno. Trabalhavam das 5h às 12h, com pausa para a escola e volta ao trabalho às 17h. Nos fins de semana, o trabalho não tinha intervalo. As crianças eram agredidas com cordas e vara de ferrão e trabalhavam sob sol ou chuva. Para o MPF, “a autoria dos delitos ficou demonstrada pela análise conjunta da denúncia ao Disque 100, relatório social, depoimentos de duas testemunhas e, principalmente, declarações das vítimas”. (mais…)

Ler Mais

Processo ‘é muito constrangedor para o Brasil’, diz advogado de Lula na ONU

Geoffrey Robertson se disse “estarrecido” porque no Brasil “não há presunção de inocência”. Ele criticou juízes e chamou o sistema de “primitivo”. Segundo ele, a acusação não iria adiante na Europa

Por Vitor Nuzzi, da RBA

São Paulo – Por diversos fatores, o processo envolvendo o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva relativo ao apartamento tríplex em Guarujá “é muito constrangedor para o Brasil”, na avaliação do advogado australiano-britânico Geoffrey Robertson, que integra a defesa de Lula perante o Comitê de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU). Autorizado a presenciar o julgamento no Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), na semana passada, Robertson questionou o comportamento de magistrados e o sistema judicial brasileiro. “Peço desculpas por usar essa expressão, mas o sistema ainda é primitivo”, disse quase ao final da exposição. (mais…)

Ler Mais

Carta aberta da Abrasco sobre a Febre Amarela no Brasil

Abrasco

Há exatamente um ano a Associação Brasileira de Saúde Coletiva divulgou a Carta aberta Abrasco sobre a Febre Amarela no Brasil, assinada por esta entidade e mais seis instituições do Movimento da Reforma Sanitária Brasileira onde apelava para que o Ministério da Saúde, dentro de seu papel constitucional, organizasse e coordenasse o combate à Febre Amarela, mobilizando e integrando ações dos estados, municípios, centros de pesquisa, universidades e meios de comunicação. 12 meses depois, a Abrasco dirige-se novamente às autoridades sanitárias do Ministério da Saúde, das Secretarias Estaduais e Municipais de saúde e à sociedade brasileira para fazer o alerta: a ameaça da urbanização da Febre Amarela nos obriga a definir políticas de curto e médio prazo para prevenir futuros surtos. Leia a carta na íntegra: (mais…)

Ler Mais

A (i)moralidade do juiz moralista

Por Frederico de Almeida, no Justificando

Quando se descobriu que o juiz Marcelo Bretas, responsável pelo braço fluminense da Operação Lava Jato, obteve auxílio-moradia para si e para sua esposa, também juíza, a resposta do magistrado foi no sentido de dizer que ele apenas pleiteou judicialmente um direito que considerava ter. Vamos deixar de lado, por enquanto, o fato de que a resposta de Bretas veio por meio de seu perfil no Twitter, cheio de ironias, gracinhas e emojis. (mais…)

Ler Mais

No Brasil, 517 anos de expropriação e de luta pela terra, por frei Gilvander Moreira[1]

A “Pesquisa Qualidade de Vida nos Assentamentos”[2], realizada em 2010, junto aos assentamentos de reforma agrária de todo o país, mostrou que em termos de infraestrutura e condições de vida 84% são alfabetizados, 70% das moradias possuem mais de 5 cômodos, 76% possuem algum tipo de tratamento de dejetos, 79% informaram acesso suficiente à água e 76% possuem energia elétrica. Mas 57% estavam descontentes com as condições das estradas ou vias de acesso aos lotes e 56% ao acesso a hospitais e postos de saúde. Relativo à renda foram constatadas diferenças por região, por exemplo: 27% das famílias em Santa Catarina auferem uma renda familiar mensal de mais de cinco salários mínimos e 29% delas, no Ceará, menos que meio salário mínimo. No entanto, a maioria das famílias assentadas no país produz uma renda familiar mensal de até dois salários mínimos. (mais…)

Ler Mais