Nota de esclarecimento da APIB: Terra Indígena Katxuyana-Tunayana, o que se passa?

Na APIB

Em 28.02.2018 foi publicada a Portaria ITERPA no. 119/2018 (DOE no. 33.567), homologando o Território Quilombola de Cachoeira Porteira, com uma área de 225 mil hectares.

Esse Território localiza-se às margens do rio Trombetas, no município de Oriximiná/PA, tendo em sua vizinhança a Terra Indígena Katxuyana-Tunayana, delimitada pela Funai em 16 de outubro de 2015, publicado no Diário Oficial da União em 20 de outubro de 2015 (DOU nº 200, Seção 1, p. 22-25). (mais…)

Ler Mais

Testemunhas do assassinato de Marielle dão detalhes sobre o crime e dizem que PMs as expulsaram do local

Jornal O Globo localizou duas pessoas que afirmam ter presenciado o momento em que vereadora e motorista foram executados no Centro do Rio. Ambas contaram versões idênticas e nenhuma foi ouvida pela polícia.

No G1

Uma reportagem publicada na edição deste domingo (1) pelo jornal O Globo revela novos detalhes sobre a execução da vereadora do Psol Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes. As informações foram dadas por duas testemunhas que não foram ouvidas pela polícia. Ambas teriam afirmado que policiais militares mandaram testemunhas sair do local do crime. (mais…)

Ler Mais

A ditadura segue viva na violência de milicianos e policiais corruptos. Por Leonardo Sakamoto

No blog do Sakamoto

O Brasil tem uma longa história com a tortura como instrumento de punição ou convencimento. Durante as sessões realizadas no 36º Distrito Policial (local que abrigou a Oban e, posteriormente, o DOI-Codi, na capital paulista), durante a ditadura militar, os vizinhos do bairro residencial do Paraíso reclamavam dos gritos de dor e desespero que brotavam de lá. As reclamações cessavam com rajadas de metralhadora disparadas para o alto, no pátio, deixando claro que aquilo continuaria até que o sistema decidisse parar. Mas o sistema nunca para por conta própria. (mais…)

Ler Mais

Golpe 64: Estado brasileiro não reconhece camponeses assassinados na ditadura

Liderança do Movimento dos Pequenos Agricultores denuncia relação do governo militar com o agronegócio brasileiro

Por Júlia Dolce, no Brasil de Fato

Entre as maiores vítimas do golpe militar brasileiro, que completa 54 anos neste domingo, 1º de abril, está o campesinato. O fato, no entanto, ainda é pouco discutido na sociedade brasileira. O Estado reconhece apenas 29 dos 1196 camponeses assassinados pela ditadura, estatística obtida em um levantamento de 2012 da Secretaria Nacional de Direitos Humanos e reiterada no relatório final da Comissão Camponesa da Verdade em 2014. (mais…)

Ler Mais

O ovo de serpente da intervenção no Rio

As milícias – compostas majoritariamente por ex-policiais (muitos expulsos das corporações) – se tornaram o grande negócio paralelo descoberto por setores das “forças de ordem” do Rio

Por Maurício Thuswohl, na RBA

Além do indefectível efeito anestésico que aos poucos vai dominando os corações e mentes de boa parte dos “indignados”, os quinze dias decorridos desde o atentado que matou a vereadora carioca Marielle Franco e o motorista Anderson Gomes nos trouxeram a certeza de que um ameaçador ovo de serpente está sendo chocado no Rio de Janeiro, com a anuência – para não dizer incentivo – do governo federal. Ao tirar proveito da situação de falência financeira, administrativa e política do Rio provocada pela gestão desastrosa de seu próprio partido, o MDB, e inventar uma intervenção na segurança pública fluminense que parece ter o principal objetivo de trazer dividendos a seu próprio governo, o presidente Michel Temer dá uma perigosa carta branca a setores das “forças de ordem” acostumados a preencher suas páginas com letras vermelhas de sangue. (mais…)

Ler Mais

Mulheres da caravana: elas respondem com amor e atitude à violência dos homens

Em região de tradição patriarcal e machista, mulheres são voz ativa na agricultura familiar, na agroindústria, na pesquisa, na produção acadêmica e em projetos sustentáveis para o Brasil

Por Cláudia Motta, especial para RBA e TVT

São Paulo – A marca da Caravana Lula pelo Sul do Brasil não foi a violência. Apesar de acontecimentos que alguns veículos escolheram para suas manchetes, o amor que une famílias e comunidades inteiras na lida pela subsistência diária foi preponderante, em número e grau. E gênero. E nesse quesito as mulheres sobressaem no cenário, numa combinação de força, doçura, competência e preparo profissional. (mais…)

Ler Mais

Brasil, a lanterna no ranking de participação de mulheres na política

Atuação feminina em cargos do Executivo é abaixo da média mundial e deixa país em último lugar no continente americano

Por Marina Rossi, no El País

Ao longo dos últimos anos, o mundo vem presenciando um grito potente de mulheres que, em diversos países, clamam por igualdade de gênero. Em diferentes esferas, dos estádios de futebol ao ambiente corporativo, há uma luta pela reivindicação feminina dos espaços e para a garantia dos direitos já conquistados. A primavera feminista é vivida no Brasil desde 2015 e este parece ser um movimento sem volta. (mais…)

Ler Mais

Domingo da Ressurreição: Greve de professores no Amazonas. Por José Ribamar Bessa Freire

No Taqui Pra Ti

Resurrexit sicut dixit, Aleluia, Aleluia!
Peixe no prato, farinha na cuia!

O movimento dos professores do Amazonas ressuscita com todo vigor deflagrando greve que já dura dez dias e se espalha por todo estado. Grevistas atravessam ponte de madeira em São Paulo de Olivença e panfletam de casa em casa, explicando à população que querem melhoria na qualidade de ensino. Outros desfilam em motos e bicicletas em passeata pelas ruas de Eirunepé. Pipocam manifestações em Parintins, Manaus, Tabatinga, São Gabriel, Manacapuru e outros municípios. Vigílias ocupam praças públicas dando aulas de civismo. O domingo é, simbolicamente, o da Ressurreição. (mais…)

Ler Mais

Reações ao atentado contra Caravana de Lula retratam a miséria da nossa democracia

Por João Filho, no The Intercept Brasil

Os tiros disparados contra um dos ônibus que integravam a caravana de Lula não podem receber outro nome que não o de atentado político. A barbárie que vem rodando a disputa política nos últimos anos arrombou a porta e promete ficar para a eleição.

A escalada da violência contra a caravana começou com pedradas, pauladas, ovadas, chicotadas e culminou com uma emboscada seguida por quatro disparos efetuados por arma de fogo. É triste ter que dizer o óbvio, mas não pode ser chamado de democrata quem não repudiou o ato com a veemência necessária, quem relativizou ou quem tentou imputar a co-autoria do crime à vítima. (mais…)

Ler Mais

Uma nova tentativa para julgar os torturadores da ditadura brasileira

Raquel Dodge pede que STF reabra caso Rubens Paiva e faz pressão para que Brasil siga corte interamericana. Procuradores em quatro Estados fizeram até agora 32 denúncias penais sobre crimes durante o regime

Por Flávia Marreiro, no El País

Aos 25 anos, Aylton Adalberto Mortati era um alvo preferencial da repressão durante a ditadura brasileira. Havia sido preso após um congresso de estudantes em 1968 e no ano seguinte participara de uma ação espetacular que sequestrou um avião que o levaria a Cuba. Em 1971, após treinamento para guerrilha, voltou ao Brasil clandestinamente para militar na resistência armada. Montou base em uma casa na Vila Prudente, em São Paulo, até que o aparelho em que vivia foi “estourado” pelos militares em 4 de novembro de 1971. Nunca mais foi visto e não houve qualquer registro sobre seu paradeiro nos documentos oficiais do regime. (mais…)

Ler Mais