Modernização fracassada e manipulação dos sistemas de crenças: a luta por corações e mentes do Brasil

“Para dar significado às políticas públicas, o governo deposto deveria querer fazer justo o que nunca quis: organizar a base da pirâmide social e traduzir as “melhoras” como conquistas coletivas, acima das capacidades individuais. Não que os indivíduos, as mulheres e homens do Brasil, não sejam meritórios de suas vidas melhorarem, mas a ignorância política, somada à manipulação grosseira da fé alheia (blasfemando as palavras e obras do Cristo todo o tempo) e o culto ao individualismo estadunidense, fez da conquista material uma derrota ideológica”, escreve Bruno Lima Rocha, cientista político, professor de relações internacionais e de jornalismo. Eis o artigo.

No IHU

Ideologia importa, e muito. E sentimento religioso não é alienação, e menos ainda o idealismo ou a dimensão utópica da luta são “ruins”. Tampouco “dilemas de falsa consciência”. Muito pelo contrário. É na resultante entre câmbio ideológico, alteração nas relações sociais e instituições coletivamente controladas que residem chances reais de mudanças de profundas. A complexidade do tema e a observação do que ocorre em nosso país implica em desconstruir alguns mitos das “modernizações”. (mais…)

Ler Mais

Justiça negada: Após reforma, número de novos processos trabalhistas caiu pela metade

Nova lei, que determina que o trabalhador arque com os custos do processo caso perca a sentença, inibe a busca pela Justiça mesmo em casos em que cabe ações

por Marina Gama Cubas, Carta Capital

Passados quase seis meses da implementação da reforma trabalhista, o número de novos processos na Justiça do Trabalho caiu para quase a metade. Dados do Tribunal Superior do Trabalho (TST) registraram redução média de 46% dos ajuizamentos em todo país, entre dezembro de 2017 e março deste ano, em comparação ao mesmo período dos anos anteriores. Isso representa, em números absolutos, 381.270 processos a menos nos tribunais regionais. (mais…)

Ler Mais

Assembleia inicia regularização de comunidades quilombolas em Alagoas

Incra/AL

O Serviço de Regularização de Territórios Quilombolas do Incra/AL realizou, no último dia 26 de abril, a Assembleia de Abertura do Processo de Regularização Fundiária das Comunidades Quilombolas de Poços do Lunga e Passagem do Vigário, no município de Taquarana, Zona da Mata alagoana. A Assembleia tem o objetivo de dar início aos estudos do Relatório Antropológico e trazer às comunidades os órgãos e autoridades envolvidos. Estiveram presentes, além dos técnicos do Incra, representantes da Fundação Cultural Palmares, da Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário em Alagoas, da prefeitura de Taquarana, do governo de Alagoas e os quilombolas das comunidades em Regularização Fundiária. (mais…)

Ler Mais

Debate no Abril Indígena no CEDEFES é marcado por denúncias de violências e perseguições à indígenas no centro de Belo Horizonte

Alenice Baeta, no CEDEFES

No dia 23 de abril ocorreu o “Abril Indígena”  no CEDEFES cujo tema proposto foi  “Direitos Indígenas e a questão ambiental: partilhando reflexões para a luta”. Participaram da roda de conversa as lideranças indígenas Paulinho Aranã, Kapua Lana Puri, Eli Carajá, Anghô Pataxó e Raiô Pataxô, além de integrantes da equipe CEDEFES, sócios e demais participantes. Frei Gilvander Moreira, assessor da Comissão Pastoral da Terra-CPT,  também participou e filmou o evento. (mais…)

Ler Mais

Justiça no Pará determina que mineradora corte produção pela metade

A mineradora norueguesa Hydro Alunorte é investigada pelo vazamento de efluentes tóxicos em um rio na cidade de Barcarena, no Pará

Por Jonas Valente – Repórter Agência Brasil

A Justiça Federal no Pará determinou ontem (30) que a mineradora norueguesa Hydro Alunorte suspenda parcialmente as atividades. Na decisão, o juiz federal Arthur Pinheiro Chaves estabeleceu que a produção da mineradora deve ser reduzida a 50% da média dos últimos 12 meses. (mais…)

Ler Mais

Tudo está parecendo fora de lugar, por Cândido Grzybowski

do Ibase

Já estamos entrando em maio, a poucos meses das eleições. Nos 30 anos que nos separam daquele momento da Constituinte e da nova Constituição, talvez seja a primeira vez que, a essa altura, não sentimos no ar aquele clima de eleição chegando. Claro, todo mundo sabe que o único fato relevante até aqui foi a prisão de Lula, visando impedir que este grande líder de nosso tempo, gostemos ou não, dispute o pleito para presidente. Conversas de bastidores, naqueles espaços pouco iluminados da política e da costura de acordos, estão acontecendo, muito mais do que vaza nos noticiários e redes. Mas, por que estes papos sem transparência parecem não interessar ao povo? Será que a insatisfação com os representantes políticos e os partidos chegou ao ponto de levar muita gente a dar as costas à própria política? Já há muitos que fazem prognósticos de grande abstenção e votos brancos ou nulos nas eleições de outubro. (mais…)

Ler Mais

Nota do conjunto de movimentos de luta pela moradia de São Paulo: ‘Enquanto morar for privilégio, ocupar é um direito’

Na madrugada do dia 1º de maio de 2018, em São Paulo, uma tragédia aconteceu na ocupação do Largo Paissandu. As entidades e movimentos sociais que atuam na defesa do direito à moradia vêm manifestar solidariedade às famílias que estavam no imóvel. É inadmissível que este momento de tristeza e dor seja manipulado pelos verdadeiros responsáveis por tais situações para criminalizar os movimentos e os trabalhadores de baixa renda, que não têm alternativa senão viver nas ocupações. (mais…)

Ler Mais

As leis da invasão

por Joana Cunha, em Folha de S.Paulo

Quem passa pelas ruas do centro de São Paulo dificilmente calcula quantos edifícios públicos e privados estão invadidos por famílias que não têm um teto ou que preferem viver em ocupações para estar mais perto do trabalho.

O secretário de Habitação, João Sette Whitaker, afirma que não há cálculos oficiais, mas reconhece que esse modelo de moradia se intensificou na região e estima em torno de 40 a 50 prédios na parte central da cidade. Aproximadamente dez deles são públicos, segundo o secretário. (mais…)

Ler Mais