Protesto do Conselho Popular Contra Remoções entrega Manifesto Coletivo sobre Moradia

por Hari Pannum, em RioOnWatch

No dia 18 de maio, membros do Conselho Popular se manifestaram pela segunda vez este ano em frente ao Palácio da Cidade em Botafogo. Em torno de 40 manifestantes–moradores e aliados de comunidades ameaçadas de remoção, como Rio das Pedras, Barrinha, Indiana e Horto–se encontraram na Praça Corumbá para protestar a contínua falta de medidas em relação aos direitos à moradia por parte do Prefeito Crivella e da recém-nomeada Secretária de Urbanismo, Infraestrutura e Habitação Verena Andreatta. Como disse Jaqueline Andrade Costa, da Barrinha, “nada aconteceu” nos dois meses desde a última manifestação em Botafogo. Tal inércia revela as “falsas promessas” que foram feitas ao Conselho Popular, tal como a de que a prefeitura criaria uma equipe para trabalhar com cada comunidade ameaçada de remoção. (mais…)

Ler Mais

518 anos depois: povos indígenas do Rio inauguram o Conselho Estadual dos Direitos Indígenas

por Désirée Poets, em RioOnWatch

No dia 17 de maio, os povos indígenas do estado do Rio inauguraram o Conselho Estadual dos Direitos Indígenas (CEDIND) no prédio da OAB no Centro da cidade. A cerimônia reuniu antigos ativistas indígenas e gerações mais novas, constituindo um marco importante numa longa história da luta indígena no Rio de Janeiro. (mais…)

Ler Mais

Justiça rejeita denúncia contra ‘tomataço’ em Gilmar

Ricardo Rocchi foi acusado pelo Ministério Público Federal por incitação à prática de crime, mas juíza Renata Lotufo considera que liberdade de expressão é um ‘direito fundamental de 1.ª geração, que possui inegável posição preferencial em relação aos demais direitos’

por Julia Affonso e Luiz Vassallo, em Estadão

A juíza federal Renata Andrade Lotufo rejeitou a denúncia contra Ricardo Rocchi por suposta incitação pública à prática de crime, por haver organizado em rede social um ‘tomataço pacífico‘ contra o atual ministro do Supremo, Gilmar Mendes. Segundo a acusação da Procuradoria da República, Rocchi compareceu em eventos em que o ministro esteve presente e atirou-lhe tomates em protesto a decisões dadas por ele. (mais…)

Ler Mais

O Brasil, os caminhoneiros e a política

por Elaine Tavares, em Palavras Insurgentes

Quando em 2013 a direita foi às ruas houve uma surpresa geral. Havia muito tempo que esse campo não travava batalhas no campo aberto. Sua tática, desde o golpe de 1964, era a das salas acarpetadas, dos acordinhos espúrios, da pressão via dinheiro. Mas, tampouco o país tivera na direção alguém identificado  com os trabalhadores. Lula e depois Dilma vinham de um partido de trabalhadores e ainda que seguissem a cartilha liberal, o nome “trabalhadores” na sigla que os representava parecia perigoso demais. O período de vacas gordas na economia passara e a realidade de país dependente assomava outra vez. À classe dominante já não interessava mais o PT no governo e ela decidia que queria de volta o poder político. (mais…)

Ler Mais

Redes de agroecologia como uma alternativa à agricultura industrial. Entrevista especial com Paulo Petersen

por Patricia Fachin, em IHU On-Line

“Um dos objetivos principais da agroecologia é construir sistemas agroalimentares aproximando a produção do consumo. Isso só é possível quando os atores dos territórios se articulam em rede para retomar a autonomia sobre o processo de produção e comercialização e isso exige organizações articuladas em redes”, diz Paulo Petersen, coordenador executivo da Articulação Nacional de Agroecologia – ANA, à IHU On-Line. Na avaliação dele, a expansão da agroecologia também depende de um estímulo das políticas públicas, que podem fomentar a transição de um modelo agrícola industrial para um modelo agroecológico. (mais…)

Ler Mais

Temer é como a greve: Veio de repente, incomodou e não sabemos como termina, por Leonardo Sakamoto

no blog do Sakamoto

Neste momento, o desafio de Michel Temer é convencer a política, a economia e a população de que ainda detém autoridade suficiente para conduzir o país – sem grandes sobressaltos – através do processo eleitoral de outubro e entregar o cargo nas mãos de alguém eleito pelo voto direto em janeiro de 2019. Ou seja, convencer de que é capaz de ir embora sem fazer mais nenhum estrago à instituições até lá. (mais…)

Ler Mais

Grileiros e madeireiros anunciam a morte de agricultores na região oeste do Pará

Osvalinda e Daniel Pereira são agricultores familiar e estão ameaçados há seis anos por madeireiros e latifundiários do município de Trairão, região oeste do Pará. No domingo (20), ao saírem de casa para fazer a colheita de maracujá, encontraram duas covas que trazem o prelúdio de suas mortes

CPT

“Eles querem nos matar, é difícil ver isso, querem acabar com nossas vidas. Não podemos mais sair de casa… parece que estou aqui enterrada ao lado de Daniel”. (mais…)

Ler Mais

Comunidade científica rechaça “Lei do Veneno” sob análise na Câmara

Manifesto da Sociedade Brasileira pelo Progresso Científico foi subscrito por 23 entidades

Do Brasil de Fato / MST

A Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) divulgou, no dia 22 de maio, um manifesto contra a aprovação do Projeto de Lei (PL) nº 6.299/2002, conhecido como “Pacote do Veneno”. Até esta segunda-feira (28), outras 23 sociedades científicas subscreveram o documento, que alerta para os perigos da flexibilização dos controles sobre agrotóxicos no país. (mais…)

Ler Mais

Cuidar da Casa Comum, para evitar desastre anunciado

De origens indígenas ancestrais, o Bem Viver revela-se uma forma política de resistência ao capitalismo e à modernidade — assim como alternativa a esse mesmo sistema capitalista

Por Ivo Lesbaupin*, em Outras Palavras

“Bem viver” é uma concepção de vida proveniente dos povos indígenas andinos, presente tanto nos Aimara (Bolívia) quanto nos Quechua (Bolívia e Equador), e também dos povos Guarani (Brasil, Paraguai): Suma Qamaña em aimara, Sumak Kawsay em quechua, Teko Porã em guarani. Não tem uma definição única, mas podemos indicar alguns elementos comuns. Segundo esta concepção, não existe de um lado o ser humano e de outro a natureza, mas todos – seres humanos e demais seres – fazem parte da natureza. Com ela devemos viver de forma harmoniosa: “para a perspectiva do Viver Bem, a natureza não é um objeto; não é uma fonte de recursos e matérias primas; é um ser vivo. Esta dimensão ecológica da realidade reconhece que a natureza é indivisível e intrinsecamente imbricada à vida dos seres humanos; somos parte da natureza” (Isabel Rauber) . (mais…)

Ler Mais

Tierras de comunidades campesinas y concesiones mineras

Por Luis Hallazi*, en Servindi

En el siglo XVI el virrey Toledo crea los pueblos de reducción, con la idea de “reducir”, a los indígenas que estaban dispersos por la mortandad que trajo la colonización salvaje. En esos pueblos de reducción se estableció una legislación donde se les otorgaba un área de reserva comunal para su crecimiento demográfico y un área para producir y pagar un tributo. (mais…)

Ler Mais