Por assédio, Rússia abre inquérito contra brasileiros que constrangeram mulher

A decisão do governo foi uma reação à denúncia apresentada pela advogada e ativista russa, Alyona Popova

Por Agência Estado, no Diário de Pernambuco

O Ministério do Interior da Rússia abriu um inquérito formal contra os brasileiros que, nos primeiros dias da Copa do Mundo, constrangeram uma mulher em Moscou, num vídeo que difundiram pela internet. A decisão do governo foi uma reação à denúncia apresentada pela advogada e ativista russa, Alyona Popova. Numa carta endereçada a ela, a polícia de Moscou confirmou que iniciou investigações. (mais…)

Ler Mais

Brasil será “paraíso dos agrotóxicos”, diz pesquisador

Para Fernando Carneiro, da Fiocruz, deixar o registro de novos produtos a cargo de Ministério da Agricultura, como prevê projeto de lei, representa perigo para a população brasileira

Por Anna Beatriz Anjos, A Pública

Na última segunda-feira (25), a comissão especial criada na Câmara dos Deputados para discutir o projeto de lei 6.299/2002, que propõe alterações na atual legislação de agrotóxicos, aprovou texto que divide opiniões. De um lado, empresários do agronegócio comemoram o parecer do relator Luiz Nishimori (PR-PR) sob o argumento de que moderniza a aprovação e regulação dos pesticidas. Do outro, organizações de promoção à saúde coletiva e defesa do meio ambiente afirmam que o relatório flexibiliza significativamente o processo, o que representa riscos não só aos trabalhadores do campo, mas também aos consumidores dos alimentos expostos aos agrotóxicos. (mais…)

Ler Mais

Fabiana Cozza: “Eu não sou uma vítima”, por Eliane Brum

Em entrevista exclusiva, a cantora fala pela primeira vez sobre a renúncia ao papel da grande dama do samba, Dona Ivone Lara, devido aos protestos por não ser tão preta quanto a personagem

No El País Brasil

Em 30 de maio, a cantora Fabiana Cozza foi anunciada para aquele que seria o maior papel de sua carreira: interpretar Dona Ivone Lara, conhecida como a “grande dama do samba”, num musical sobre a sua vida. Em seguida, começaram os protestos nas redes sociais: Fabiana, filha de pai negro e de mãe branca, tem a pele mais clara do que a personagem. Para quem criticou a escolha da artista, este seria um caso de “colorismo”: quanto maior a pigmentação da pele, menores as oportunidades. Numa estrutura racista, os negros de pele mais clara têm mais possibilidades e acessos do que os negros de pele mais e escura. Para os críticos, a protagonista deveria ser vivida por uma cantora e atriz mais preta do que Fabiana. Em 4 de junho, um dia antes de ir para Cuba para cantar com a Orquestra Filarmônica Duchesne Guzán, da Escola Superior de Artes de Havana, Fabiana renunciou ao papel em uma carta pública. (mais…)

Ler Mais

MPF realiza reunião para debater a situação da Reforma Agrária no Tocantins

A reunião aconteceu em Brasília, na última terça-feira, 26.

Procuradoria da República no Tocantins

No dia 26 de junho foi realizada reunião entre a Procuradoria Regional dos Direitos do Cidadão no Tocantins e a Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão como o objetivo de tratar sobre a demora na execução da política da reforma agrária no Estado do Tocantins. (mais…)

Ler Mais

Renúncia fiscal com agrotóxicos é de R$ 9 bilhões no Brasil, segundo o TCU

Valor estimado deixou de ser arrecadado entre 2010 e 2017 com alíquota zero de Cofins e PIS/Pasep, tributos importantes para a seguridade social, que incluem saúde, educação e assistência social

por Cida de Oliveira, da RBA

O Brasil deixou de arrecadar R$ 9 bilhões no período de 2010 a 2017 somente com a isenção fiscal da Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins) e do PIS/Pasep para o setor de agrotóxicos. Esses tributos têm papel relevante para subsidiar a seguridade social, que inclui as áreas de saúde, educação e assistência social. (mais…)

Ler Mais

A anarquia judicial e o Brasil na noite trevosa. Por Aldo Fornazieri

No GGN

O golpe promoveu a mais profunda desorganização institucional que o país já experimentou nos breves períodos de sua frágil vida democrática. A corrosão da legitimidade institucional levou o Executivo e o Legislativo à irrelevância, à infuncionalidade e ao desgoverno. Esses poderes, simplesmente faliram, não funcionam, a não ser num único aspecto: o de fazer o mal ao povo e ao Brasil. Com a falência do governo e do Congresso, sobrou o poder Judiciário, que se tornou o centro das decisões políticas do país, usurpando competências e violando a Constituição. Se, por algum tempo após o golpe, o Judiciário, comandado pelo STF, dava a aparência de ser um poder unitário com as naturais divergências, aos poucos foi revelando ser um poder anárquico e promotor da anarquia judicial, da ilegalidade e da recorrente violação da Constituição. (mais…)

Ler Mais

Não existe nação una, mas brasileiros divididos entre Neymar e Marcos Vinicius

Nada há de comum entre a lamúria do jogador milionário e o desamparo de mãe pobre da Maré. O artigo é de Angela Alonso, professora do departamento de sociologia da USP e presidente do Centro Brasileiro de Análise e Planejamento, em artigo publicado por Folha de S. Paulo

IHU On-Line

É Copa do Mundo. Os símbolos nacionais deveriam unir a nação, mas o que agrega os brasileiros é menos que aquilo que os aparta. (mais…)

Ler Mais

Feira de riquezas. Por Janio de Freitas

Decisão de submeter privatizações ao Congresso era há muito necessária

Na Folha

O governo sumiu. Foi sua melhor providência em dois anos de invasão da Presidência e adjacências. O Supremo Tribunal Federal ocupou o vazio: em uma semana, foi mais criticado do que em todo o seu tempo pregresso, cujo silêncio impositivo, por temor ou interesse, só foi perfurado já no século 21. Mas do Supremo saiu, apesar de logo atacada, uma decisão há muito necessária. (mais…)

Ler Mais