Uma ditadura para chamar de sua

Fausto Salvadori, editorial da Ponte Jornalismo

Os sinais estão todos aí para quem quiser ver. O governo do presidente Jair Bolsonaro já colocou em marcha um projeto que busca eliminar os poucos avanços que a democracia brasileira conquistou a partir de 1988 e instalar uma ditadura para chamar de sua. Não vai seguir os métodos ruidosos dos militares que o antecederam: nada de fechamento do Congresso ou instalação de censores dentro das redações. Bolsonaro e seus apoiadores — não podemos esquecer que o novo autoritarismo não vem sendo implantado só pelo governo federal, mas também por governadores, grupos paramilitares e até por autoproclamados jornalistas — seguem o método dos novos candidatos a ditadores, como Viktor Orbán na Hungria ou Recep Tayyip Erdoğan na Turquia, em que a democracia, como dizia o poeta, não chega ao fim numa explosão, mas com um suspiro.

(mais…)

Ler Mais

Censura e ameaças atingem jornalistas que criticam Bolsonaro

PH Amorim foi afastado do “Domingo Espetacular” da Record; Sherazade, do SBT, teve a cabeça pedida pelo dono da Havan

Lu Sudré, Brasil de Fato

O afastamento do jornalista Paulo Henrique Amorim do programa Domingo Espetacular, noticiado nesta segunda-feira (24) pela Record TV, trouxe à tona discussões sobre perseguição e censura aos profissionais da imprensa. 

(mais…)

Ler Mais

‘Epidemia ministerial’: TIB publica pela primeira vez a pesquisa da Fiocruz sobre drogas que o governo engavetou

Por Tatiana Dias, Ines Garçoni, no The Intercept Brasil

Há dois meses, o Intercept e a Casa da Democracia revelaram que o governo esconde desde 2017 o 3º Levantamento Nacional Domiciliar sobre o Uso de Drogas, pesquisa nacional que investigou o consumo de substâncias lícitas e ilícitas por brasileiros. O estudo, feito pela Fundação Oswaldo Cruz, a Fiocruz, foi o maior já feito sobre o tema – foram ouvidas 16.273 pessoas em 351 cidades – e custou aos cofres públicos mais de R$ 7 milhões.

(mais…)

Ler Mais

Governo proíbe instituições federais de terem seus próprios sites

Por Gilberto Dimenstein, no Catraca Livre

Em meio à turbulência política e econômica do governo Jair Bolsonaro, um decreto pulicado em abril passou despercebido.

decreto 9.756, publicado no dia 11 de abril, proíbe as instituições federais de terem seus próprios sites e determina que as notícias a serem divulgadas deverão passar por aprovação prévia. A medida entra em vigor a partir de dezembro de 2020.

(mais…)

Ler Mais

AGU pede ao STF que autorize a entrada da polícia nas universidades

O objetivo, segundo documento assinado pelo ministro André Mendonça, seria coibir propaganda eleitoral irregular

Por Rafaela Felicciano, no Metrópoles

O ministro da Advocacia-Geral da União (AGU), André Mendonça, enviou uma carta ao Supremo Tribunal Federal (STF) em que defende a entrada da polícia em universidades federais para coibir propaganda eleitoral irregular. Na justificativa dele, não pode haver uma decisão geral que proíba a presença de forças militares e cada caso deve ser analisado separadamente pelo juiz eleitoral da região.

(mais…)

Ler Mais

MPF em Uberaba (MG) recomenda que UFTM e IFTM garantam liberdade acadêmica e previnam assédio a professores e alunos

Objetivo é evitar que intimidações resultem em censura aos professores e estudantes em instituições mineiras

O Ministério Público Federal (MPF) em Uberaba (MG) recomendou à Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM) e ao Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Triângulo Mineiro (IFTM) a adotarem medidas efetivas para garantir o pluralismo de ideias e de concepções pedagógicas no âmbito das instituições. O objetivo é evitar que intimidações e ameaças a professores e alunos, motivadas por divergências políticas e ideológicas, resultem em censura.

(mais…)

Ler Mais

Exército veta participação de alunos de colégios militares em Olimpíada de História alegando ideologia da prova

Na primeira fase da Olimpíada Nacional de História do Brasil, da Unicamp, foram abordados temas como identidade de gênero e acesso de indígenas às universidades. Exército alega que o exame não segue a proposta pedagógica do seu sistema de ensino.

Por Nathalia Zorzo, na CBN

O Departamento de Educação e Cultura do Exército proibiu os alunos de todos os colégios militares do país de participar da 11ª edição da Olimpíada Nacional de História do Brasil, organizada pela Unicamp, alegando que as questões da primeira fase da prova têm ‘viés ideológico conflitante’ com os princípios do Exército Brasileiro. 

(mais…)

Ler Mais

Nota da UFRJ sobre bloqueio de 41% de seu orçamento

“Prestes a completar 100 anos em 2020, a UFRJ é a maior universidade federal do país. Presença registrada nas cinco melhores posições nos mais diversos rankings acadêmicos na América Latina, a instituição conta com 266 cursos/habilitações de graduação, 130 cursos de mestrados acadêmico e profissional e 94 cursos de doutorado. Segundo o Ranking Universitário Folha 2018, a Universidade é a mais inovadora do país, o que também se deve à sua pluralidade: seu corpo social é composto por 67 mil estudantes, mais de 4 mil docentes e 9 mil servidores técnico-administrativos.”

***

(mais…)

Ler Mais

Ministro da Educação diz que cortará verba de universidade por ‘balbúrdia’ e enquadra UnB, UFF e UFBA

Sem detalhar critérios, o ministro Weintraub disse ao ‘Estado’ que a medida considera o desempenho acadêmico aquém do esperado ou promoção de ‘bagunça, evento ridículo’; governo definiu contingenciamento de R$ 5,8 bilhões para Educação

Por Renata Agostini, em O Estado de S.Paulo

BRASÍLIA – O Ministério da Educação (MEC) vai cortar recursos de universidades que não apresentarem desempenho acadêmico esperado e, ao mesmo tempo, estiverem promovendo “balbúrdia” em seus câmpus, afirmou o ministro Abraham Weintraub ao Estado. Três universidades já foram enquadradas nesses critérios e tiveram repasses reduzidos: a Universidade de Brasília (UnB), a Universidade Federal Fluminense (UFF) e a Universidade Federal da Bahia (UFBA), disse. Segundo ele, a Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), em Minas Gerais, está sob avaliação.

(mais…)

Ler Mais

Os adultos saíram da sala

Por João Paulo Cunha, no Brasil de Fato

Só pode haver uma coisa pior que o governo Bolsonaro: a incapacidade em combatê-lo com as armas da razão e da força da mobilização popular. Em quatro meses o país ficou mais pobre, mais burro, mais autoritário, mais violento e mais isolado no concerto das nações democráticas. Não se trata de um descaminho, resultado de um plano mal executado, mas de um projeto. A derrota da civilização é uma conquista do atraso.

(mais…)

Ler Mais