O impacto dos gestos concretos de acolhimento de Francisco para a comunidade LGBT+. Entrevista especial com Cris Serra

Por: Ricardo Machado, em IHU On-Line

 A “imagem gay-friendly” do papa Francisco, construída em contraste com seus dois últimos antecessores, não contempla as declarações do pontífice condenando a teoria de gênero. Apesar desta posição aparentemente antagônica, a mudança de enfoque pastoral de seu pontificado “é inegável”, pontua Cris Serra, pesquisadora do Centro Latino-Americano em Sexualidade e Direitos Humanos – CLAM, coordenadora nacional da Rede Nacional de Grupos Católicos LGBT e ativista de Católicas pelo Direito de Decidir. “Francisco não se limita a defender uma ‘Igreja em saída’, uma Igreja que vá em direção às periferias, uma Igreja de ‘pastores com cheiro de ovelha’. Ele demonstra o que diz com seus atos ao receber em audiência o homem trans espanhol e sua companheira; ao lavar os pés da travesti numa Quinta-feira Santa; ao dizer para o gay chileno vítima de abuso por sacerdotes que Deus o fez assim e o ama como ele é; ao receber o grupo de católicos LGBT ingleses; entre tantas outras iniciativas”, afirma.

(mais…)

Ler Mais

MST realiza 1º Encontro de Gênero e Diversidade Sexual na região de Campinas (SP)

“Que nada nos defina, que nos sujeite. Que a liberdade seja nossa própria substância, já que viver é ser livre!”, já escreveu Simone de Beauvoir

Por Coletivo de Comunicação MST/SP
Da Página do MST

Em tempos de termos como “ideologia de gênero” e “cura gay”, urgem ações de reafirmação que coloquem a pauta da diversidade sexual e da igualdade de gênero no centro do debate. Com esse desafio, aconteceu, no último domingo (7), o 1° Encontro de Gênero e Diversidade Sexual da região de Campinas. Participaram da atividade mulheres e sujeitos LGBT oriundos de acampamentos e assentamentos do MST na região. Patricardo, combate ao machismo, LGBTfobia e racismo foram alguns dos temas discutidos.

(mais…)

Ler Mais

“O amor é lindo demais para ser odiado”

Jovem integrante do Coletivo LGBT Sem Terra no Rio Grande do Sul fala sobre a luta em busca de respeito e liberdade

Por Catiana de Medeiros, na Página do MST

Desde criança, Priscila Lazzaretti Piccolotto aprendeu que o amor, o respeito e o cuidado ao próximo são atitudes que transformam vidas. Filha de assentados da Reforma Agrária, a gaúcha nascida em São Jerônimo, na região Carbonífera, conta que nunca lhe faltaram incentivos para passar adiante esse espírito humano e solidário. “Eu sonhava em crescer e poder ajudar as pessoas. Ainda pequena não sabia como fazer isso direito, hoje estou na busca de formação”, acrescenta.

(mais…)

Ler Mais

Cinquenta anos depois daquela noite no bar Stonewall

Era uma noite de verão em Nova Iorque naquele 28 de junho de 1969. Os frequentadores do bar Stonewall passavam por mais uma revista abusiva da polícia, o que era rotina. Os frequentadores, na maioria negros, travestis e latinos eram humilhados, agredidos e chantageados. Porém, naquela noite resolveram dar um basta e houve uma revolta contra a polícia. O movimento se estendeu por outros dias e ficou conhecido como “o levante Stonewall”, que seria o começo da luta da população LGBT por seus direitos. A vergonha dava lugar ao orgulho. A ideia se expandiu mundo afora e esta semana completa 50 anos.

por Pedro Calvi / CDHM*

Para marcar essas cinco décadas de trajetória, seis Comissões da Câmara dos Deputados realizaram nesta terça-feira (25/6), o Seminário “Memória, Verdade e Justiça – 50 Anos de luta LGBTI+”. A iniciativa é das Comissões de Cultura, Defesa dos Direitos da Mulher, Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa, Direitos Humanos e Minorias, Educação, Legislação Participativa, Seguridade Social e Família; Trabalho, Administração e Serviço Público.

(mais…)

Ler Mais

Igrejas e Comunidades LGBTI+ realizam Congresso em São Paulo

Movimentos sociais do campo e das cidades, representantes religiosos e pessoas LGBTI+ discutem fundamentalismo e exclusão em nome da religião

Por Mario Manzi e Wesley Lima, na Página do MST 

O 1º Congresso Igrejas e Comunidades LGBTI+, realizado entre os dias 19 e 23 de junho, na Paróquia da Santíssima Trindade, da Igreja Anglicana em São Paulo, reuniu as duas questões propostas no nome do Congresso, com o objetivo de construir unidade em torno da luta contra a LGBTfobia, tendo como principal desafio romper com o conservadorismo e o fundamentalismo religioso presentes na história brasileira. O Congresso foi realizado pela Paróquia da Santíssima Trindade e por Koinonia Presença Ecumênica e Serviço com o apoio de Igreja Episcopal Anglicana do Brasil/Junta Nacional de Educação Teológica (JUNET); Christian Aid Brasil; Associação da Parada do Orgulho LGBT de São Paulo; AHF Brasil.

(mais…)

Ler Mais

Seminário marca 50 anos do movimento LGBTI+ : Memória, Verdade e Justiça

por Pedro Calvi / CDHM

Seis comissões da Câmara dos Deputados fazem, na próxima terça-feira (25/6) a partir das 9h, o Seminário “Memória, Verdade e Justiça – 50 Anos de luta LGBTI+”. A iniciativa é das seguintes Comissões: de Cultura, Defesa dos Direitos da Mulher, Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa, Direitos Humanos e Minorias, Educação, Legislação Participativa, Seguridade Social e Família; Trabalho, Administração e Serviço Público. O encontro ocorrerá no auditório Nereu Ramos.

(mais…)

Ler Mais

Pela primeira vez, igrejas se unem para discutir inclusão LGBTI+

Representantes da CPT também irão participar das atividades do I Congresso Igrejas e Comunidade LGBTI+ que será realizado entre os dias 19 e 23 de junho em São Paulo sob o tema “Diálogos Ecumênicos para Respeito à Diversidade”

por Alexandre Putti, em CPT

“Meninos vestem azul, meninas vestem rosa”. Essa foi a frase dita pela pastora evangélica Damares Alves, no dia em que assumiu o comando do ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos do governo Bolsonaro. O pensamento da ministra traduz a linha conservadora que muitas igrejas e líderes religiosos seguem, inclusive na luta contra os direitos da população LGBTI+.

(mais…)

Ler Mais

Rede Trans entrega dossiê ao presidente da CDHM

A Rede Nacional de Pessoas Trans do Brasil (REDETRANS) entregou nesta quinta-feira (23) ao presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados (CDHM), Helder Salomão (PT/ES), o Dossiê da Rede Trans 2018, lançado em janeiro deste ano. O documento traz números detalhados sobre a violência contra homens e mulheres trans no país e as ações desenvolvidas pela ONG para prevenir e combater esses crimes. O dossiê mostra que, em 2018, 150 pessoas trans foram brutalmente assassinadas no Brasil.

por Pedro Calvi / CDHM

“As pessoas trans não podem ser invisibilizadas nas políticas públicas e hoje, a identidade de gênero tem sido confundida com ideologia de gênero no Congresso. Estamos no caminho de construir um consenso, com a participação de várias bancadas, e aprovar um projeto de lei que também atenda essa população”, afirma Helder Salomão.

(mais…)

Ler Mais

CDHM reúne sociedade civil e ministra Damares Alves para discutir situação de conselhos e comitês do Executivo

Nesta quarta-feira (10), a Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados (CDHM) promoveu uma audiência pública para discutir a paralisação e o esvaziamento dos conselhos e comissões ligados ao governo federal, com a ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves e representantes de grupos ligados aos conselhos e comitês do Executivo

por Pedro Calvi, em CDHM

Atualmente existem no governo federal cerca de 40 conselhos, além de outros mecanismos de participação da sociedade civil, todos ligados a diversos Ministérios. A maioria foi criada na década de 1990, depois da promulgação da Constituição de 1988. O mais antigo, o da Saúde, existe desde 1930.

(mais…)

Ler Mais

Missionários, cristãos, “antifeministas”: como é o novo Ministério de Direitos Humanos comandado por Damares Alves

Após polêmica, ministra manteve estrutura e equipe de direitos LGBT, mas não definiu ações concretas

por Pedro Grigori, em Agência Pública

O Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MDH) tem gerado polêmica desde a sua instituição pela Medida Provisória (MP) 870/19, assinada no primeiro dia do governo Bolsonaro. A MP não mencionava diretamente os direitos LGBT como atribuição da pasta, provocando críticas e suscitando temores na comunidade. Além da ministra, pastora evangélica, a maioria das oito secretarias é dirigida por católicos ou evangélicos ativistas, comprometidos com movimentos que pregam valores religiosos.

(mais…)

Ler Mais