“O Governo e Belo Monte têm uma dívida impagável com a população do Xingu e de Altamira”

Antônia Melo da Silva recebe o Prêmio Soros por defender os direitos de 30.000 indígenas desalojados pela construção de Belo Monte

Por Lola Hierro, El País Brasil

Antônia Melo da Silva (Piripiri, Piauí, 1949) não é um rosto novo na luta pelos direitos humanos e ambientais. Está há mais de duas décadas na linha de frente de uma batalha que não está disposta a perder; a que ela — e centenas, milhares como ela — mantêm contra as barragens de Belo Monte, às margens do rio Xingu, no Estado brasileiro do Pará, que forçou 30.000 pessoas a abandonar suas terras. Sua tenacidade e coragem lhe valeram ser reconhecida, aos 68 anos, pelo prêmio anual da Fundação Alexander Soros, uma organização destinada a promover os direitos civis, a justiça social e a educação mediante a concessão de subvenções a movimentos que se destacam nesse trabalho. Antônia recebeu o prêmio em 10 de outubro em Nova York, representando o Movimento Xingu Vivo para Sempre, a associação que ela mesma fundou e com a qual tornou sua causa conhecida no mundo todo. (mais…)

Ler Mais

A emenda em projeto de lei que expõe Pantanal a avanço de agrotóxicos a hidrelétricas

Vinícius Lemos, para a BBC Brasil*

Enquanto a Amazônia voltou às manchetes neste ano com idas e vindas do governo Michel Temer (PMDB) na extinção da Reserva Nacional do Cobre e Associados (Renca), o Pantanal, patrimônio ambiental brasileiro, reconhecido pela ONU como Patrimônio Natural da Humanidade e Reserva da Biosfera, passa por um momento chave para seu futuro. (mais…)

Ler Mais

Famílias denunciam omissão da empresa Santo Antônio Energia em Rondônia

Atingidos pela usina em Jaci Paraná vão realizar reunião com Ibama, ANA e concessionária para debater impactos da obra

Lilian Campelo, Brasil de Fato

Cerca de cem pessoas atingidas por barragens ocuparam, por dois dias, o prédio da superintendência do Ibama em Porto Velho, capital de Rondônia. A ação teve resultado positivo. O grupo, atingido pela barragem de Santo Antônio, conseguiu marcar uma reunião pública com representantes da Agência Nacional de Águas e com o Ibama para tratar dos impactos socioambientais causados pela usina. (mais…)

Ler Mais

MPF investiga se Força Nacional cometeu irregularidades ao perseguir indígenas Munduruku em Mato Grosso

Representantes da usina São Manoel ajuizaram ação de interdito proibitório e obtiveram liminar com determinação de não ocupação do canteiro pelos Munduruku manifestantes

MPF MT

O Ministério Público Federal em Mato Grosso (MPF/MT) instaurou inquérito civil para apurar a ocorrência de irregularidades na execução da ordem de mobilização da Força Nacional de Segurança Pública com relação aos indígenas da etnia Munduruku. Portaria do Ministério da Justiça e Segurança Pública, assinada no último dia 13, autorizou a Força Nacional a “prevenir quaisquer ocorrências que possam por em risco a segurança dos envolvidos, a ordem pública, a continuidade das obras de conclusão da Usina Hidrelétrica (UHE) de São Manoel”, localizada entre os estados de Mato Grosso e Pará. (mais…)

Ler Mais

MPF divulga ata de audiência pública que tratou de passivos sociais decorrentes da UHE Cana Brava

Audiência ocorreu no último dia 12 de setembro, em Minaçu (GO)

Ministério Público Federal em Goiás

O Ministério Público Federal em Goiás (MPF) divulgou, nesta quarta-feira (11), a ata da audiência pública que tratou de passivos sociais decorrentes da implementação da Usina Hidrelétrica (UHE) de Cana Brava. O evento ocorreu no último dia 12 de setembro, em Minaçu, município a 505 quilômetros da capital Goiânia. (mais…)

Ler Mais

Uma alternativa para o debate da água

Fórum Alternativo Mundial da Água foi lançado em encontro que reuniu 3,5 mil atingidos por barragens no Rio de Janeiro

Maíra Mathias – EPSJV/Fiocruz

“Água e energia com soberania, distribuição da riqueza e controle popular”. No embalo do lema cantado por um auditório lotado de pessoas atingidas por barragens foi lançado ontem (05) no Rio de Janeiro o Fórum Alternativo Mundial da Água (Fama). Marcado para acontecer entre os dias 17 e 22 de março de 2018 em Brasília, o evento é resultado da articulação entre entidades nacionais e internacionais interessados em construir um outro debate em torno do bem natural. Isso porque o Fama não tem ‘alternativo’ no nome por acaso: no mesmo período e local se realizará a oitava edição do Fórum Mundial da Água, onde empresas transnacionais apresentarão sua agenda sobre o tema.  (mais…)

Ler Mais

Moradores de Congonhas não aceitam alteamento de barragem da CSN

ALMG / Fato Real

Representantes de associações de moradores e de entidades de classe do município de Congonhas entregaram à Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) um abaixo-assinado exigindo que a barragem de rejeitos de minério de ferro da mina Casa de Pedra, da Companhia Siderúrgica Nacional (CSN), não seja alteada acima da cota atual de 933 metros. Eles temem a ocorrência de um acidente de graves consequências socioambientais, como ocorreu em 2015, em Mariana, com o rompimento da barragem de Fundão, da Samarco. Os moradores temem que a estrutura da barragem não suporte receber mais rejeitos. Por isso, pedem que uma comissão seja criada, no âmbito da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Semad), com a participação de representantes da comunidade, para acompanhar o processo. A comissão encampou o pedido e vai apresentar à Semad requerimento nesse sentido. (mais…)

Ler Mais

8º Encontro Nacional do MAB afirma luta pela soberania nacional

Mais de três mil e quinhentos atingidos e atingidas por barragens de todo o Brasil afirmam necessidade da luta pela soberania nacional, pelo projeto energético popular e pelos direitos dos atingidos

No MAB

O Terreirão do Samba, no Rio de Janeiro, foi palco do maior encontro de atingidos por barragens da história do Brasil entre os dias 1 e 5 de outubro de 2017. Mais de 3.500 atingidos e atingidas organizados no Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), centenas de trabalhadores e trabalhadoras e militantes de organizações de 19 países celebraram a vida, a solidariedade na luta dos povos e refletiram sobre os desafios do próximo período. (mais…)

Ler Mais

O canto da sereia neoliberal e a privatização da Eletrobras

Os defensores das privatizações se baseiam em uma ideologia míope, que nega as limitações do mercado e cujos resultados práticos não cumprem as promessas de melhorias e barateamento dos serviços.

Por Política Econômica da Maioria (POEMA), no Voyager

Seguindo à risca o receituário neoliberal diante da mais profunda crise econômica da história brasileira[1], o Governo Federal anunciou um novo pacote de privatizações[2], das quais a que chama mais atenção é a privatização da Eletrobras, que responde por 31% do total da capacidade instalada de geração de energia elétrica no país (sendo 94% de fontes renováveis[3]), além de 61 mil quilômetros de linhas de transmissão (quase 50% do total nacional)[4]. (mais…)

Ler Mais

O mapa da vida Munduruku

Lideranças do povo Munduruku estão dando continuidade ao mapeamento de seu território no Rio Tapajós, registrando os locais importantes para sua sobrevivência física e cultural

Greenpeace

Qual a história que conta um mapa? O que ele revela? O que existe em um território para além do que o olhar comum pode ver? Entre os dias 10 e 24 de agosto, lideranças do povo Munduruku do Alto e do Médio Tapajós percorreram o território Daje Kapap Eypi, conhecido como Terra Indígena Sawré Muybu, para mapear e registrar os lugares importantes para a vida do povo, destacando especialmente os locais que estão ameaçados pela construção de hidrelétricas. (mais…)

Ler Mais