Ministro dos Direitos Humanos, Silvio Almeida promete rever atos baseados em ódio e preconceito

Evento marca início da gestão: “não permitiremos que ministério permaneça sendo utilizado para reprodução de mentiras”

Redação Brasil de Fato

Em seu primeiro discurso como ministro dos Direitos Humanos e da Cidadania, Silvio Almeida prometeu rever “todo ato ilegal baseado no ódio e no preconceito” realizado pela gestão de Jair Bolsonaro (PL) e pela ex-ocupante do cargo, a senadora eleita Damares Alves. (mais…)

Ler Mais

Privatização das águas: o fracasso da Inglaterra

Há 33 anos, Thatcher vendia os serviços de água e saneamento do país. Hoje, britânicos enfrentam aumentos abusivos de tarifa, danos ao meio ambiente, rios e mares sujos e má gestão. OMS recomenda “aumento drástico” de investimentos públicos

Por Alessandra Monterastelli, no Outra Saúde

Na semana passada, quando o grupo de Cidades da equipe de transição de Lula propôs rever a privatização das águas e do saneamento no Brasil, começou a gritaria. Em manchete, o Estadão queixou-se: entre as ideias da equipe está a de não vender as empresas estaduais que abastecem a população, nem oferecer dinheiro público aos privatizadores. Nessas condições, prosseguiu o jornal, será difícil executar os planos construídos no governo Bolsonaro e transformar a água em mercadoria… (mais…)

Ler Mais

Cozinhas solidárias: projeto do MTST já distribuiu um milhão de refeições e ganha prêmio da ONU

As cozinhas entregam almoço grátis todos os dias, há quase dois anos, nas periferias de 14 estados brasileiros

Gabriela Moncau, no Brasil de Fato

O Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) foi um dos três ganhadores do prêmio Desafio da Infância Saudável, promovido pela Unicef, o fundo das Organizações das Nações Unidas (ONU) para a infância, em parceria com o setor social da empresa farmacêutica dinamarquesa Novo Nordisk. O projeto premiado em 100 mil dólares para expandir suas ações é o das Cozinhas Solidárias: uma rede de 31 cozinhas comunitárias que, para combater a fome, distribui seis mil refeições gratuitas a cada dia. (mais…)

Ler Mais

Rede D’or compra SulAmérica: a saúde financeirizada

Dois analistas veem a incorporação da seguradora pela gestora de hospitais e sua relação com o lucro recorde das empresas do setor. Como o Estado pode regular a saúde suplementar? O que isso tem a dizer ao SUS?

Por Gabriel Brito, no Outra Saúde

Na quarta-feira, 14/12, o CADE (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) deu parecer definitivamente favorável à compra da seguradora de saúde SulAmérica pela Rede D’or, dona e gestora de hospitais, clínicas e laboratórios no país. Contestado pelos concorrentes do setor, o negócio havia sido fechado em junho e desde então era criticado. Após analisar o caso durante cerca de um mês, o órgão regulador deu sinal verde à transação. A Rede D’or já detinha 29,8% das ações da SulAmérica e comprou o restante por R$ 6,1 bilhões. (mais…)

Ler Mais

Direitos humanos: “Nesta luta tem que ter claro o seguinte: talvez você tenha que dar a própria vida”. Entrevista especial com Jair Krischke

“Ando muito pela América Latina e é só no Brasil que há essa cultura contra os direitos humanos”, afirma o presidente do Movimento de Justiça e Direitos Humanos – MJDH

Por: Patricia Fachin, em IHU

Envolvido na luta pelos direitos humanos desde 1961, quando ocorreu a Campanha da Legalidade no Rio Grande do Sul, Jair Krischke, fundador e presidente do Movimento de Justiça e Direitos Humanos – MJDH, empregou a vida na missão de salvar presos políticos que foram torturados pelas ditaduras militares brasileira, argentina e uruguaia. Investigador da Operação Condor, uma aliança entre as ditaduras da América do Sul durante os anos 1970, ao longo das últimas quatro décadas ele denunciou vários casos de tortura e desaparecimento na região, acompanhou inúmeros processos legais e intermediou negociações de asilo político para refugiados. (mais…)

Ler Mais

MPF quer que Exército adote política de cotas em processos seletivos para colégios militares

Com interpretação restrita da lei, Força Armada vem negando o direito de estudantes pretos, pardos, indígenas e com deficiência às vagas

O Ministério Público Federal (MPF) ajuizou uma ação civil pública para que o Exército reserve cotas sociais e raciais nos concursos de admissão de alunos nos colégios militares. Atualmente todas as vagas dos certames são destinadas à ampla concorrência, o que contraria as ações afirmativas previstas em lei que buscam a promoção da igualdade de oportunidades para pessoas pretas, pardas, indígenas e com deficiência. O MPF pede que a Justiça determine a designação de percentuais mínimos das vagas nas unidades militares a candidatos que se enquadrem nesses perfis, segundo as normas em vigor para as instituições de ensino federais. (mais…)

Ler Mais

Precisamos olhar para a saúde das mulheres encarceradas

Pesquisa inédita revela lado pouco conhecido do aprisionamento feminino. Além do crescimento explosivo, devido a um punitivismo primitivo, ele expõe detentas a condições sanitárias dramáticas. Adivinhe que grupos sociais são os mais atingidos?

Por Gabriela Leite, em Outra Saúde

O Brasil precisa olhar para a saúde de suas mulheres encarceradas. É o que sugere um artigo elaborado por pesquisadores da Universidade Federal do Ceará (UFC) e da Universidade de Tulane, em Nova Orleans, Estados Unidos. Eles organizaram um estudo que avaliou, em 1.327 mulheres em presídios femininos em todas as regiões do país, alguns indicadores de saúde como presença de doenças infecciosas. Entre as condições analisadas estão ISTs, doenças crônicas, fatores de risco como uso de álcool, peso e nível de sedentarismo. Uma primeira conclusão que salta aos olhos é a de que as mulheres têm mais eventos adversos à saúde do que os homens presidiários. (mais…)

Ler Mais