Nota de apoio do MPBA à promotora de Justiça Lívia Maria Santana e Sant’Anna Vaz

MP BA

O Ministério Público do Estado da Bahia manifesta seu apoio irrestrito à promotora de Justiça Lívia Maria Santana e Sant’Anna Vaz, coordenadora dos Grupos de Atuação Especial de Defesa da Mulher e da População LGBT (GEDEM) e de Proteção dos Direitos Humanos e Combate à Discriminação (GEDHDIS), que vem sofrendo duros ataques pessoais, com ofensas e ameaças, em virtude de sua atuação. A Instituição afirma a sua convicção na eficiência e lisura do trabalho que a promotora realiza no enfrentamento a injustiças históricas e práticas desrespeitosas sofridas especialmente por mulheres, homossexuais, negros, comunidades religiosas de matrizes africanas e grupos sociais oprimidos. (mais…)

Ler Mais

Suzane Jardim: “É uma obrigação dos movimentos sociais pensarem a questão racial para além dos meses temáticos e datas simbólicas”

Historiadora, blogueira e ativista, Suzane Jardim, fala sobre a importância do Novembro Negro e sobre questões raciais

Por Leonardo Fernandes, da Página do MST

No dia 20 de novembro do ano de 1695 era assassinado Zumbi dos Palmares, que deixou um legado de luta pela liberdade do seu povo. Mais de 300 anos se passaram para que em 2003 a data entrasse oficialmente nas efemérides do calendário escolar, prestando a justa e simbólica homenagem. (mais…)

Ler Mais

O mito da democracia racial

Por Mônica Fenalti Delgado Pasetto, no GGN

Caetano Veloso, tratando sobre o nascimento de sua amizade com Gilberto Gil, no livro Verdade Tropical conta que sua mãe um dia lhe disse: “Caetano, venha ver o preto que você gosta”. E o cantor registra ainda: “Eu sentia a alegria por Gil existir, por ele ser preto, por ele ser ele, e por minha mãe saudar tudo isso de forma tão direta e tão transcendente”. (mais…)

Ler Mais

Sobre o racismo de William Waack e os seus risinhos irônicos

Não foi um destempero do Waack. Foi a exposição do raio-X do que pensa o jornalismo da Globo. Ele pode ser afastado, demitido. Mas a Globo continuará sendo a Globo

Por Dennis de Oliveira, na Fórum

Bombou nas redes sociais o comentário racista feito pelo jornalista William Waack (veja AQUI), âncora do Jornal da Globo, durante o intervalo de uma transmissão. Diante da repercussão negativa, a emissora agiu rápido: soltou uma nota e afastou temporariamente o jornalista. (mais…)

Ler Mais

Novembro Negro: Ministério Público BA realizará encontros com povos de terreiros

Entre os anos de 2014 a 2017, foram registrados pelo Gedhdis 132 procedimentos envolvendo casos de intolerância religiosa no estado. “O intuito dos encontros é justamente promover um diálogo com os povos de terreiros, agentes públicos e sociedade civil sobre a tradição religiosa e a necessidade de combater qualquer tipo de preconceito”

MP Bahia

Fortalecer as relações das comunidades religiosas de matrizes africanas com os órgãos públicos a fim de atender demandas específicas desse seguimento, a exemplo do combate à intolerância religiosa, é uma das metas do Ministério Público estadual. Em uma das atividades realizadas pela instituição este mês, quando se comemora o ‘Novembro Negro’, o MP realizará encontros com povos de terreiros, sociedade civil e representantes de órgãos públicos ligados à temática para identificar as principais dificuldades enfrentadas e traçar diretrizes conjuntas para resguardar direitos das comunidades de matrizes africanas. (mais…)

Ler Mais

A questão racial e a “política do checklist”

Por Lia Vainer Schucman, no Justificando

É novembro e, como de costume, as pessoas que dedicam a vida à luta antirracista são chamadas para eventos, palestras e celebrações para lembrar a consciência negra.

Eu tenho recusado convites para ir em instituições que não querem encarar o tema de frente. O motivo é simples: não aceito mais colaborar com a “politica do checklist”. (mais…)

Ler Mais

Inep recorre ao STF contra decisão que impede regra de direitos humanos no Enem

Jornal do Brasil*

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), por meio da Advocacia-Geral da União (AGU), ingressou com recurso no Supremo Tribunal Federal contra a decisão judicial que anulou um dos critérios de correção da redação do Enem 2017, que tratava da eliminação de candidatos que usassem termos contrários aos direitos humanos no texto da prova. (mais…)

Ler Mais

Homicídio de jovens no Brasil é parte de uma série de violações de direitos, diz agência da ONU

Na ONU

A cada 23 minutos, um jovem negro é assassinado no Brasil. Segundo dados do Ministério da Saúde, das 60 mil pessoas assassinadas por ano no país, 67,9% têm entre 15 e 19 anos e, destes, 71,5% são negros e negras. Entre a população jovem negra assassinada, 93,4% são do sexo masculino.

Para o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), os homicídios são a ponta do iceberg de uma série de violações de direitos da juventude. “É necessário fortalecer trajetórias e investir em juventude, incluindo uma vida sem discriminação e violência, sem racismo, com o devido acesso à Justiça, à educação de qualidade, à saúde e ao emprego digno”, afirmou Anna Cunha, oficial de programa da agência da ONU. (mais…)

Ler Mais