Povos Ciganos na luta pelos seus Direitos: basta de preconceito, perseguição étnica e racismo institucional em Minas Gerais. Por Alenice Baeta* e Gilvander Moreira**

No dia 30 de outubro de 2019 aconteceu na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) uma audiência pública, aliás, a primeira a tratar sobre este importante tema, convocada pela Comissão dos Direitos Humanos representados pelas deputadas Leninha (PT), Andréia de Jesus (Psol) e pelo deputado Celinho Sintrocel (PCdoB), com o objetivo de debater a violação de direitos dos Povos Ciganos e Políticas Públicas nos âmbitos municipal e estadual.

(mais…)

Ler Mais

MP-BA investiga discriminação religiosa de organização de livraria flutuante e determina retirada da mensagem

Organização internacional cristã publicou nas redes sociais pedindo orações ao anunciar uma viagem para Salvador e disse que a cidade é conhecida por ‘crenças em demônios’.

Por G1 BA

O Ministério Público do Estado da Bahia (MP-BA), por meio da promotora Lívia Vaz, anunciou nesta sexta-feira (25) que vai investigar a discriminação religiosa por parte da organização internacional cristã Good Books for All Ships (GBA Ships), responsável pelo navio Logos Hope, considerado a maior livraria flutuante do mundo.

(mais…)

Ler Mais

“Não se faz revolução no conforto”, diz liderança do Movimento Negro

Antonieta Luísa Costa, presidente do Instituto de Mulheres Negras de Mato Grosso (Imune), falou à Pública sobre a Amazônia negra, identidade racial e governo Bolsonaro

Por Thiago Domenici, Agência Pública

A quinta filha de Geraldo Henrique Costa e Angela Costa tem hoje 52 anos. De fala firme e contundente, Antonieta Luísa Costa, conhecida como Nieta, é uma das principais vozes do movimento negro em Mato Grosso.

(mais…)

Ler Mais

Perseguido como suspeito, jovem negro que praticava fotografia denuncia racismo em Jundiaí

Gabriel Souza, de 17 anos, é amante da fotografia, trabalha na borracharia da família e virou alvo de grupos de Whatsapp de moradores do bairro Eloy Chaves

Por Redação Revista Fórum

Amante da arte de fotografar, o jovem negro Gabriel Souza (@souza_dk) , de 17 anos, está sendo perseguido por moradores do bairro Eloy Chaves, em Jundiaí, interior de São Paulo, onde trabalha com seu pai, na borracharia da família.

(mais…)

Ler Mais

Considerada racista na Europa, tradição que utiliza ‘blackface’ vira patrimônio cultural em Holambra

Caracterização dos ‘Pedros Negros’, ajudantes do Papai Noel, começou mudar na Holanda após polêmica da pintura preta em rostos de pessoas brancas. Na cidade brasileira, no entanto, nova lei prevê manter características.

Por Rui do Amaral*, G1 Campinas e Região

A Prefeitura de Holambra (SP), maior colônia holandesa no Brasil, sancionou uma lei para transformar em patrimônio cultural e imaterial do município a festa de São Nicolau. A celebração, tradicional na Holanda, utiliza “blackface”, a pintura preta na pele do rosto de pessoas brancas, uma prática que, por ser considerada racista, começou a ser suspensa no país europeu desde o ano passado. A nova lei da cidade paulista, no entanto, prevê a preservação “das características iniciais desta tradição”.

(mais…)

Ler Mais

Facebook passa pano para o racismo

Por Tatiana Dias, na Newsletter do The Intercept Brasil

Há dois anos, uma página do Facebook de “orgulho branco” – seja lá o que isso for – ostenta um mapa-múndi com a porcentagem de pessoas brancas em cada país na linha do tempo. Nos comentários, os seguidores lamentam a “queda” no percentual da população branca no mundo. “Portugal está até bem”, conforma-se um. “O número de brancos está diminuindo </3”, lamenta outro. “Coincidência as regiões com maior concentração branca (com exceção de Japão e Coreia do Sul) serem desenvolvidas, e os restantes subdesenvolvidos, não é mesmo?”, ironiza um terceiro.

(mais…)

Ler Mais

Prefeitura do Rio pede lacre em livro com beijo gay e cita ECA, que não menciona homossexualidade

Romance gráfico ‘Vingadores, a cruzada das crianças’ mostra beijo entre dois personagens masculinos. Prefeitura ameaçou cassar licença da Bienal e enviou fiscais da Prefeitura ao local. Bienal recorreu à Justiça.

Por G1

Depois de o prefeito do Rio, Marcelo Crivella, ter dito nesta quinta-feira (5) que iria pedir para recolher da Bienal do Livro exemplares de um livro com a imagem de um beijo entre dois personagens masculinos, a Prefeitura divulgou uma nota dizendo que histórias com cenas desse tipo devem ter “lacre” e “advertência do respectivo conteúdo”.

(mais…)

Ler Mais

MPF consegue condenação por crime de ódio e racismo contra indígena

Réu proferiu comentário racista sobre a morte de um indígena em uma publicação em site do sul do Tocantins

Procuradoria da República no Tocantins

O Ministério Público Federal conseguiu a condenação de um homem pelo crime de prática, indução ou incitação à discriminação ou preconceito. No dia 30 de abril de 2018, o réu postou um comentário discriminatório e preconceituoso em relação à etnia indígena, em uma matéria veiculada no site Portal do Amaral, do sul do Tocantins, fazendo referência ao assassinato do indígena Dodô Tyhanté Javaé, em Formoso do Araguaia. Utilizando-se de sua conta do Facebook, o réu fez o seguinte comentário: “Tinha que ter dado na cara, índio é folgado mesmo”.

(mais…)

Ler Mais

Discurso de violência e ódio do governo incentiva preconceito e crimes contra indígenas, afirmam representantes da sociedade civil em audiência pública

Pedro Calvi / CDHM

As Comissões de Direitos Humanos e Minorias (CDHM) e de Legislação Participativa (CLP), da Câmara dos Deputados discutiram, nesta quinta-feira (5/9), as violações de direitos nas políticas de meio ambiente em terras indígenas e os impactos dessa situação nas políticas sociais. O resultado do encontro também vai fazer parte de um relatório que será entregue ao Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos, durante a reunião de meio período da Revisão Periódica Universal (RPU), em Genebra, Suíça, de 18 a 20 de setembro.

(mais…)

Ler Mais

“Direito dos povos de terreiro” está disponibilizado para ser baixado da internet

“A obra reúne trabalhos que, a partir de diferentes perspectivas críticas, abordam a relação entre o(s) direito(s) e os povos de terreiro, com vistas ao reconhecimento das comunidades tradicionais de matriz africana em sua diversidade sociocultural. O diálogo entre o universo das religiões afro-brasileiras e a gramática das instituições estatais, marcado por históricos silenciamentos, injustiças e mal-entendidos, precisa ser restabelecido em termos não de autoridade, mas de alteridade, num contexto pluralista. Para além de salvaguarda dos direitos à identidade, à igualdade na diferença, ao território, ao patrimônio cultural e ambiental, à liberdade e à vida, todos temas que atravessam as discussões deste livro, estão em jogo, hoje, acima de tudo, o sentido e o futuro de nossa democracia.”

(mais…)

Ler Mais