A usurpação do patrimônio público pela classe política e o golpe fatal da privatização da Eletrobras. Entrevista especial com Ildo Sauer

Patricia Fachin – IHU On-Line

Diante dos “escândalos de usurpação do patrimônio público pela classe política”, a reação comum da população é apoiar as propostas de privatização das empresas de economia mista, mas que estão sob o controle acionário do governo federal, como é o caso da Eletrobras – Centrais Elétricas Brasileiras S.A., diz Ildo Sauer à IHU On-Line, na entrevista a seguir, concedida por telefone. Entretanto, optar por esse caminho, defende, nos levará “a um golpe fatal”, porque “quanto mais se transferem esses grupos geradores de lucro para a iniciativa privada, mais poder eles passam a ter para subordinar o sistema político aos seus interesses”. (mais…)

Ler Mais

Sementes de resistência – encontro reunirá Núcleos de Agroecologia de todo o País

O I Encontro Nacional dos Núcleos de Agroecologia reunirá, de 8 a 11 de setembro, em Luziânia, mais de 170 pessoas de diferentes Instituições de Pesquisa, Ensino e Extensão de todo o Brasil

ABA / CPT

Sim, é possível construir – dentro e fora das universidades – caminhos para que o ensino, a pesquisa e a extensão possam seguir juntos. Essa é uma das principais propostas dos Núcleos de Agroecologia apoiados, desde 2010, pelos editais públicos construídos pelo CNPq, em parceria com diferentes ministérios. (mais…)

Ler Mais

Relatório aponta redução de 95% no orçamento de Temer para a Reforma Agrária

O Projeto de Lei Orçamentário de 2018 ainda passará por análise da Câmara dos Deputados, nesta quarta (6)

Por: José Eduardo Bernardes
Do Brasil de Fato / MST

O Projeto de Lei Orçamentária Anual (PLOA) de 2018, enviado por Michel Temer ao Congresso, promove cortes severos em ações estratégicas para a população do campo, quilombolas e indígenas. (mais…)

Ler Mais

Oito hipóteses sobre a nova crise

Rodrigo Janot está ameaçado, mas é a ponta do iceberg. As novas gravações abalam a casta política – e por isso, paradoxalmente, estimulam um “acordão”. A esquerda aceitará?

Por Antonio Martins | Imagem: Aroeira, Chocando Janot Outras Palavras

1. Ocorrida ao que tudo indica devido a um acidente bizarro, a revelação da conversa mantida em 17 de março por Joesley Baptista, dono da JBS, e Ricardo Saud – diretor da empresa, seu braço direito e confidente – tem potencial para provocar um novo tsunami político. Ela atinge em primeiro lugar o procurador-geral da República, Rodrigo Janot; e beneficia dois de seus grandes desafetos, Michel Temer e Gilmar Mendes. Mas esta é apenas a ponta de um gigantesco iceberg. Joesley e a JBS são paradigmas da corrupção da política, do sequestro da democracia pelos grandes grupos empresariais. Sua capacidade de financiar partidos e mandatos, e de obter em troca decisões que dobram a República a seus interesses, só é comparável à da Odebrecht. O dono do grupo confessou ter pago cerca de 600 milhões de reais em propina, para 1829 candidatos de 28 partidos. Mas a gravação indica que a JBS também cultivou relações capazes de “explodir o Executivo e o Judiciário”. Chega a insinuar detalhes picantes, que levaram a ministra Carmen Lúcia, presidente do STF, a falar em “conteúdo gravíssimo”, em ameaça “à dignidade institucional deste Supremo Tribunal Federal e a honorabilidade de seus integrantes”. (mais…)

Ler Mais