Crivella, o Pimbinha, a Freira e a Fera, por José Ribamar Bessa Freire

No Taqui Pra Ti

Já te contei, leitor (a), que meu irmão é artista plástico? Não? Então conto agora. O Tuta tinha nove anos, em 1958, quando participou do concurso infantil “Desenhe seu bairro” promovido pelo Colégio Aparecida, em Manaus. As melhores obras seriam expostas no salão do Clube do Luso e receberiam prêmios do então candidato a governador, Gilberto Mestrinho, que morava na rua Alexandre Amorim, quase ao lado da escola. Tuta foi desclassificado por escandalizar a diretora, irmã Anunciata, que chamou dona Elisa na sala da diretoria: (mais…)

Ler Mais

A história de Izabel Garcia e a vassoura de piaçaba, por José Ribamar Bessa Freire

No Taqui Pra Ti

“Em Rashomon vivia o diabo que de lá fugiu porque
 tinha medo dos homens” (Akira Kurosawa – 1950).

Ninguém ali naquela sala do prédio da Urca, no Rio, conhecia Izabel Garcia, ex-moradora do igarapé Poné. Nem mesmo Geraldo Andrello que perambulou anos pelo rio Negro e seus afluentes, observando o cotidiano dos índios do Uaupés. Só agora, setembro de 2017, é que o antropólogo Márcio Meira nos apresentou essa mulher que, no desespero, planejou se suicidar junto com os filhos. Mas sequer isso lhe foi permitido. O patrão dela, Diogo Gonçalves, dono da vida e da morte, se adiantou: estuprou-a, acorrentou-a ao tronco e mandou surrá-la até a morte, “libertando-a” do sofrimento. (mais…)

Ler Mais

Raquel Dodge precisa continuar com o combate à corrupção, por Janio de Freitas

Na Folha

Muitos esperam, com Michel Temer, que este último dia de Rodrigo Janot como procurador-geral da República marque o fim de um ciclo. É o que a futura procuradora-geral Raquel Dodge, a ser empossada amanhã, precisa impedir. Já que estamos enlameados de vergonha pelos borrifos do lodaçal de corrupção, não há por que parar, nem mesmo recuar. O melhor é ir em frente. Ir logo até o fim, seja qual for. Para isso, o que se espera de Raquel Dodge é a compreensão de que só será possível com o reenquadramento das instituições na sua natureza e nos seus limites. E nisso a sua contribuição é o reajuste de valores, concepções e métodos deformados na busca descontrolada de punições como moralização. (mais…)

Ler Mais

Furacão Irma: Após o apocalipse, os ricos herdarão a Terra, por Leonardo Sakamoto

No blog do Sakamoto

O problema é que os pobres são os que sempre se estrepam primeiro quando qualquer teoria se confirma.

A frase de efeito foi dita em uma conversa com um amigo letrado nos paranauês da Inteligência Artificial. Ele me explicava que o debate sobre a evolução das máquinas a ponto delas ganharem consciência (seja ela o que isso for) e, hipoteticamente, se voltarem contra nós, como a Skynet na série ”O Exterminador do Futuro”, é perfumaria de homem branco entediado. (mais…)

Ler Mais

Arte e artesanato indígena: muito além da simples beleza estética…

Por: Jairo Lima – Crônicas Indigenistas

Não escrevi nenhum texto semana passada. Não foi por preguiça, por excesso de trabalho ou por desapontamento ‘cármico’. Nada disso. O que impediu a pena de traçar minhas percepções semanais foram outros compromissos bastantes interessantes: revisão final do livro “Viagem Pelos Rios do Interior”, da amiga Dedê Maia e; continuidade da organização do meu acervo particular. (mais…)

Ler Mais

Catando piolhos: entre Jadelvone e Amazonino, por José Ribamar Bessa Freire

No Taqui Pra Ti

Supunhetemos que dia 27 de agosto aconteça um provável segundo turno da eleição para o mandato tampão de governador do Amazonas. Supunhetemos ainda que sobrem dois improváveis candidatos: Jadelvone Deltrudes (PPL vixe vixe) e Amazonino Mendes (PDT ex-PFL vixe vixe). Um dilema: em quem votar? Quem é politicamente mais digno do nosso voto: o cabeleireiro Jadelvone, um desconhecido da mídia, cuja convenção do partido tinha quatro pessoas, ou o ex-governador Amazonino – um notório finório cujas pilantragens ocupam as manchetes dos jornais do Amazonas há meio século? (mais…)

Ler Mais