Trabalho escravo: Fiscais resgatam grupo que levava gado a pé em trecho de 930 km na Transamazônica

Ação ocorreu em três cidades do Pará: Novo Repartimento, Brasil Novo e Uruará

Ministério do Trabalho / IHU On-Line

Trinta trabalhadores mantidos em condição análoga à de escravidão no estado do Pará foram resgatados na última semana. Eles integravam três comitivas que faziam o transporte de gado de corte a pé pelas margens da BR-230 (Rodovia Transamazônica), nos municípios de Novo Repartimento, Brasil Novo e Uruará. Todos trabalhavam para o mesmo empregador, um fazendeiro da região. O resgate foi feito pelo Grupo Especial de Fiscalização Móvel, composto pelo Ministério do Trabalho, Ministério Público do Trabalho, Defensoria Pública da União e Polícia Rodoviária Federal. (mais…)

Ler Mais

MPF denuncia quatro por trabalho escravo em fazendas de cacau na Bahia

Os empregadores não ofereciam condições mínimas de habitação e moradia e não asseguravam os direitos trabalhistas das vítimas

Ministério Público Federal na Bahia

O Ministério Público Federal (MPF) em Ilhéus (BA) denunciou, na última semana, quatro pessoas por trabalho escravo em duas fazendas de cacau no distrito de Vila Brasil, em Una (BA) e na zona rural de Uruçuca (BA). De acordo com as ações penais, ajuizadas pelo procurador da República Gabriel Pimenta Alves na última sexta-feira, 18 de maio, doze trabalhadores viviam em condições degradantes, sem higiene, energia elétrica, água encanada ou banheiros, além de não possuírem seus direitos trabalhistas assegurados. O resgate dos trabalhadores ocorreu em junho e setembro de 2017, após ação conjunta da Gerência Regional do Trabalho, do Ministério Público do Trabalho e da Polícia Rodoviária Federal. (mais…)

Ler Mais

MPF/RJ denuncia empresária por trabalho escravo e tortura

Empregada doméstica chegou a ficar sete dias sem comer porque estava doente e não poderia trabalhar

Procuradoria da República no Rio de Janeiro

O Ministério Público Federal (MPF) no Rio de Janeiro (RJ) denunciou uma empresária por trabalho escravo e tortura. Entre dezembro de 2010 e fevereiro de 2011, ela teria submetido uma das empregadas domésticas que trabalhava em sua casa, então em Copacabana, a condições degradantes de trabalho. (mais…)

Ler Mais

CPT Bahia realiza Semana de Comunicação de Prevenção e Combate ao Trabalho Escravo

Após 130 anos da abolição da escravatura no Brasil, ainda hoje, trabalhadores/as do campo e da cidade são encontrados em situações análogas à de escravo. De 1995 a 2017, em todo o país, foram 2.531 casos fiscalizados com 52.766 pessoas resgatadas, em atividades diversas, tendo a pecuária líder desse ranking com 53% dos casos, segundo dados da Comissão Pastoral da Terra

CPT Bahia

Em 2017, dos 540 trabalhadores/as libertados/as no Brasil, 34 deles estavam na Bahia. É para alertar a população dos riscos e da existência do trabalho escravo contemporâneo que a Comissão Pastoral da Terra na Bahia (CPT) realiza, de 8 a 12 de maio, a Semana de Comunicação da Campanha de Prevenção e Combate ao Trabalho Escravo, em várias cidades do estado com entrevistas aos meios de comunicação. (mais…)

Ler Mais

Trabalho escravo: estadunidense pagava R$ 230 para cortadores de eucalipto na Bahia

Cinco trabalhadores foram resgatados no dia 16 em fazenda no município de Angical; ex-capitão do Exército dos EUA, Andrew Christopher Vallas diz ter 27 mil hectares no Brasil

Por Alceu Luís Castilho, em De Olho nos Ruralistas

Salário: R$ 230. Sem carteira de trabalho. Alojamento sem água, sem banheiro, sem energia elétrica. A situação flagrada no oeste da Bahia pela Superintendência Regional do Trabalho e Emprego, no dia 16, tem um sobrenome estrangeiro envolvido (ainda que não divulgado pela operação): o de Andrew Christopher Vallas, um estadunidense que tentou a naturalização, em 2015, mas não foi localizado pela justiça brasileira. (mais…)

Ler Mais

Nova lista suja do trabalho escravo tem deputado estadual do MA

Pecuarista e produtor de carvão, Carlinhos Florêncio filiou-se no início do mês ao PCdoB; em 2014 ele declarou R$ 7,8 milhões em bens, entre eles cinco fazendas com 7.264 hectares 

Por Alceu Luís Castilho, em De Olho nos Ruralistas

Em 2008, candidato a prefeito em Bacabal (MA) pelo PHS, o deputado estadual Carlinhos Florêncio (PCdoB-MA) possuía R$ 1,3 milhão em bens. Seis anos depois, reeleito para a Assembleia Legislativa pelo PHS, seu patrimônio saltou para R$ 7,77 milhões. Entre as cinco fazendas declaradas está a Tremendal, em Parnarama (MA), com 4.295 hectares, carinhosamente chamada de Fazendinha. Foi nela que a fiscalização do Ministério do Trabalho encontrou nove trabalhadores em situação de trabalho escravo, em 2016, conforme atualização da lista suja divulgada no dia 10. (mais…)

Ler Mais

43% das novas empresas da “lista suja” do trabalho escravo são do agronegócio

Novo cadastro traz 37 novos empregadores; 16 deles são fazendeiros ou madeireiros

Brasil de Fato / CPT

As atualizações na “lista suja” do trabalho escravo mostram que o agronegócio continua sendo o setor que mais submete trabalhadores à condição análoga à escravidão no Brasil. O cadastro, divulgado na terça-feira (10) pela Divisão de Fiscalização para Erradicação do Trabalho Escravo (Detrae) do Ministério do Trabalho (MT), expõe um acréscimo de 37 novos empregadores na lista, sendo que, entre eles, 16 são donos de fazendas ou madeireiras, um total de 43%. (mais…)

Ler Mais

Pastelarias cariocas estão em nova “lista suja” do trabalho escravo

Por Piero Locatelli, da Repórter Brasil

Lanchonetes e pastelarias de chineses, uma empresa que vendia batata frita no Rock in Rio e construtoras do programa Minha Casa Minha Vida estão entre os 37 novos empregadores da “lista suja” do trabalho escravo. O cadastro foi divulgado nesta terça-feira, 10 de abril, pela Divisão de Fiscalização para Erradicação do Trabalho Escravo (DETRAE) do Ministério do Trabalho. Todos os nomes que constam na lista foram autuados por trabalho análogo ao de escravo por auditores fiscais, e tiveram o direito de recorrer em duas instâncias administrativas dentro do órgão. (mais…)

Ler Mais

Carne Fraca: Frigoríficos do país deveriam parar de nos envergonhar lá fora, por Leonardo Sakamoto

No Blog do Sakamoto

Quando a primeira fase da Operação Carne Fraca, que detectou fraudes no controle de qualidade de frigoríficos foi deflagrada, em março do ano passado, muita gente lembrou que esse setor é um dos mais problemáticos do país, com incidência de trabalho análogo ao de escravo, aposentadoria precoce forçada e morte de operários em unidades de processamentos, violência contra populações tradicionais, crimes ambientais, roubo de terras públicas, contaminação de água e de solo, sofrimento desnecessário de animais, fraudes na garantia da qualidade dos produtos e, é claro, corrupção. (mais…)

Ler Mais

MPF em Campina Grande (PB) pede prisão de pai e filho condenados por trabalho escravo

TRF aumentou penas de Marcelo Renato Arruda e George Luis Arruda, empresários do ramo de mineração

Procuradoria da República na Paraíba

O Ministério Público Federal (MPF) em Campina Grande (PB) pediu, nesta quarta-feira (21), que a Justiça Federal expeça mandados de prisão contra Marcelo Renato Arruda e seu filho George Luis Arruda. Ambos foram condenados pela prática do crime de redução a condição análoga à de escravo, tendo como vítimas 30 trabalhadores. Eles são proprietários da João Arruda Construções e Mineração – empresa localizada no município de Boa Vista, no Cariri do estado – e da companhia de mineração Dolomil – situada em Campina Grande. (mais…)

Ler Mais