Chacina de Unaí: mantida condenação de Norberto Mânica e de outros dois réus pelos crimes

MPF vai recorrer contra redução das penas e contra anulação da sentença de Antério Mânica

Procuradoria Regional da República da 1ª Região

Conforme defendido pelo Ministério Público Federal, o Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1) manteve a condenação de Norberto Mânica enquanto mandante do assassinato de servidores do Ministério do Trabalho – três fiscais e um motorista – no dia 28 de janeiro de 2004, no episódio que ficou conhecido como Chacina de Unaí. Em julgamento realizado na segunda-feira (19), outros dois réus, Hugo Alves Pimenta e José Alberto de Castro, também tiveram os recursos negados pelo tribunal e deverão ser presos como intermediários do crime. Eles foram condenados pelo tribunal do júri em Minas Gerais em novembro de 2015. (mais…)

Ler Mais

Chacina de Unaí: recursos de Antério e Norberto Mânica serão julgados na segunda-feira pelo TRF1

Irmãos foram condenados em 2015 pelo Tribunal do Júri. Se condenação for mantida, eles devem começar a cumprir as penas de prisão

Ministério Público Federal em Minas Gerais

Nesta segunda-feira (19), o Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1) irá julgar os recursos interpostos pelos irmãos Norberto e Antério Mânica contra a sentença que os condenou a 100 anos de prisão, cada um, pelo assassinato dos servidores do Ministério do Trabalho – três fiscais e um motorista – no dia 28 de janeiro de 2004, no episódio que ficou conhecido como Chacina de Unaí. (mais…)

Ler Mais

Para alimentar salmão norueguês, soja brasileira desmata e explora trabalho escravo

Três empresas brasileiras que exportam concentrado de soja para a Noruega têm fornecedores que já foram flagrados com trabalho escravo, desmatamento ilegal e posse ilegal de terras

Por André Campos e Antônio Biondi, Repórter Brasil

Principal produtora mundial de salmão, a Noruega compra do Brasil maior parte da matéria-prima usada para alimentar seus cardumes. Todos os meses, milhares de toneladas de proteína de soja concentrada saem dos portos brasileiros e cruzam dez mil quilômetros do oceano Atlântico rumo aos tanques de peixes do país nórdico. O problema é que essa cadeia de negócios da soja brasileira está marcada por crimes ambientais e trabalhistas. (mais…)

Ler Mais

Governo Bolsonaro quer fiscalizar corrupção, mas não ambiente e trabalho. Por Leonardo Sakamoto

no blog do Sakamoto

Ao nomear o juiz federal Sérgio Moro como xerife, Jair Bolsonaro diz que seu governo vai aumentar a fiscalização contra a corrupção. Ao mesmo tempo, vem criticando a fiscalização tanto de crimes ambientais quanto aquelas que identificam violações a direitos trabalhistas, demanda de empresários que apoiaram sua campanha. (mais…)

Ler Mais

Após denúncia do MPF, Justiça condena duas pessoas por trabalho escravo na região de Araraquara (SP)

Uma delas aliciou 12 maranhenses para colheita de laranja em fazenda de Bariri; a outra manteve vítimas sob condições degradantes

Procuradoria da República no Estado de S. Paulo

Duas pessoas foram condenadas em Araraquara (SP) por aliciamento e redução de 12 trabalhadores a condições análogas à escravidão. As vítimas vieram de Penalva (MA) em 2011 com promessa de serviço na safra de laranja em uma fazenda na região do município paulista de Bariri. Um dos réus foi o responsável por arregimentar os empregados no Maranhão, enquanto o outro os manteve em situação precária de habitação e não garantiu condições mínimas para o exercício digno do trabalho. As penas de prisão, substituídas por realização de serviços comunitários e pagamento de prestação pecuniária, são resultado de uma denúncia do Ministério Público Federal contra ambos. (mais…)

Ler Mais

Candidato ao governo pernambucano pertence a família recordista em trabalho escravo

Em oito anos, 1.406 trabalhadores foram resgatados da Destilaria Araguaia; irmão do senador Armando Monteiro foi condenado à prisão por gestão fraudulenta

Por Bruno Stankevicius Bassi, em De Olho nos Ruralistas

Com apenas quatro deputados federais vinculados à Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA), Pernambuco não está entre os estados mais representativos na bancada ruralista. No entanto, assim como o vizinho Alagoas – veja na reportagem “Usineiros e seus defensores dão as cartas na política alagoana“– a política pernambucana é historicamente dominada por famílias usineiras. (mais…)

Ler Mais

As condições reais de vida determinam a consciência. Por Gilvander Moreira*

Não cabe dicotomia entre sujeito e objeto no processo de pesquisa, nem separação entre teoria e prática. O sujeito vê/analisa o objeto, mas este também vê/influencia o sujeito. Não apenas o escultor faz uma escultura a partir da pedra, mas a pedra também molda o escultor. Segundo a filosofia sartreana “a obra constrói seu próprio autor ao mesmo tempo que ele cria a obra” (MÉSZÁROS, 1991, p. 38). Essa perspectiva teórica nos dá a possibilidade de nos aproximarmos/afastarmos metodologicamente do objeto da pesquisa. Esse processo dialético de tensão entre sujeito/objeto não pode ser entendido como neutralidade ou completo afastamento teórico-metodológico do objeto em questão. Ao contrário, por essa razão o processo de pesquisa é um processo dialético. “Toda vida social é essencialmente prática. Todos os mistérios que induzem a teoria ao misticismo encontram sua solução racional na prática humana e na compreensão dessa prática” (MARX; ENGELS, 2007, p. 534 e 539). A Observação Participante “é uma técnica de eleição para o pesquisador que visa compreender as pessoas e as suas atividades no contexto da ação, podendo reunir na Observação Participante, uma técnica de excelência que lhe permite uma análise indutiva e compreensiva” (CORREIA, 2009, p. 31). (mais…)

Ler Mais

Fiscais resgatam trabalhadores em situação análoga à de escravo no PA

Por Pedro Peduzzi – Repórter da Agência Brasil

Fiscais do Ministério do Trabalho resgataram três trabalhadores em situação considerada análoga à de escravo, em uma fazenda no Pará. Atuando como vaqueiros e auxiliares de serviços gerais, eles estavam em um empreendimento em São Félix do Xingu, sudoeste do estado, em um alojamento em condições precárias, infestado de ratos, no meio da mata, sem água nem instalações sanitárias. (mais…)

Ler Mais