Há 49 anos, ditadura decretava o AI-5 inaugurando o terror como política

Transformação de adversários políticos em inimigos a serem eliminados é uma das heranças nefastas desse período que ainda permanecem, por exemplo, na atuação das polícias que reprimem negros, pobres e favelados

por Redação RBA

Há 49 anos, no dia 13 de dezembro de 1968, a ditadura civil-militar, iniciada com o golpe de 1964, fazia baixar por decreto o Ato Institucional nº 5 (AI-5), inaugurando um dos períodos mais cruéis da história brasileira, com o recrudescimento da censura, cassação de direitos políticos, perseguição, tortura e mortes. Tratava-se do “golpe dentro do golpe” dado pelos setores linha-dura das Forças Armadas, que pregavam a eliminação dos adversários políticos, tratados a partir de então como inimigos.  (mais…)

Ler Mais

Minas Gerais teve 1.531 presos políticos durante ditadura militar

Relatos revivem crueldade da tortura e sequelas deixadas nas vítimas do regime

Bernardo Miranda e Fransciny Alves – O Tempo

De Minas Gerais partiram as primeiras tropas militares para o golpe de 1964. Se o Estado foi protagonista na derrubada de João Goulart, também teve um importante papel na resistência à ditadura e, consequentemente, nos atos de repressão. O relatório final da Comissão da Verdade em Minas Gerais (Covemg), que vai ser lançado nesta quarta-feira (13), somente em seu primeiro volume, detalha mortes e desaparecimentos forçados de 17 militantes no Estado e o assassinato e “sumiço” de 49 mineiros pelo país, além de identificar 1.531 presos políticos em Minas. (mais…)

Ler Mais

Volkswagen negocia para indenizar vítimas da ditadura militar no Brasil

Porta-voz na Alemanha disse que empresa negocia compensação financeira, mas não há definição de valores.

Por Agencia EFE, no G1

O grupo alemão Volkswagen, através de sua filial brasileira, está em negociações para indenizar as vítimas da ditadura militar no Brasil, mas ainda não há uma decisão sobre a quantia, segundo disse à Agência Efe um porta-voz da montadora na Alemanha. (mais…)

Ler Mais

‘Soldados do Araguaia’ fala dos traumas militares na ditadura brasileira

Paulo Henrique Silva* – Hoje em Dia

São Paulo – Não foram somente os militantes de esquerda que sofreram nas mãos de torturadores durante a ditadura no Brasil. Soldados do Exército que participaram da caça aos guerrilheiros também se tornaram vítimas dessa brutalidade, como revela o documentário “Soldados do Araguaia”, dirigido por Belisario Franca e apresentado na 41ª edição da Mostra Internacional de Cinema de São Paulo. (mais…)

Ler Mais

Corte Interamericana vai decidir se condena Brasil por morte de Herzog na ditadura

Juízo sobre assassinato do jornalista, em 1975, começou nesta quarta e deve ser concluído em 30 dias

No El País Brasil

A Corte Interamericana de Direitos Humanos teve uma jornada intensa nesta quarta-feira, com uma série de depoimentos prévios à sua decisão de condenar ou absolver o Estado brasileiro por torturar e matar o jornalista Vladimir Herzog, em 1975, durante um regime militar que o via como inimigo político. (mais…)

Ler Mais

‘O golpe de 2016 nos ajuda a ver como a construção de 64 e da ditadura foi paulatina’

Marco Weissheimer – Sul21

Qual relato sobre a ditadura civil-militar, implantada no Brasil pelo golpe de 1964, foi escrito pela Comissão Nacional da Verdade? Quais as omissões e silêncios presentes nessa narrativa e em que medida eles impactam o presente político do país? Qual a responsabilidade dos historiadores frente a esses questionamentos? Essas são algumas das perguntas centrais abordadas pela historiadora Caroline Silveira Bauer, professora do Departamento de História da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), em seu livro “Como será o passado? História, historiadores e a Comissão Nacional da Verdade” (Paco Editorial), que será lançado na 63a Feira do Livro de Porto Alegre, dia 2 de novembro, às 16h30, na Praça de Autógrafos. (mais…)

Ler Mais

Associação Waimiri Atroari ingressa em ação do MPF contra genocídio na ditadura militar no AM

Entidade que representa a etnia entende que os pedidos da ação têm relação direta com os interesses do povo indígena Waimiri Atroari

Procuradoria da República no Amazonas

A Associação Comunidade Waimiri Atroari (Acwa), que representa formalmente os interesses da etnia, pediu à Justiça para ingressar como interessada na ação movida pelo Ministério Público Federal (MPF) no Amazonas, na qual o órgão exige o reconhecimento de violações a direitos fundamentais e reparação de danos causados ao povo indígena durante a construção da BR-174, no período da ditadura militar no Brasil. (mais…)

Ler Mais

MPF/SP denuncia dois ex-delegados do DOPS por sequestro de militante do PCB na ditadura

Feliciano Eugênio Neto é considerado pela CNV um dos 434 mortos ou desaparecidos em decorrência da repressão militar

Procuradoria da República no Estado de S. Paulo

O Ministério Público Federal em São Paulo (MPF/SP) denunciou dois ex-delegados do Departamento de Ordem Política e Social do Estado de São Paulo (DEOPS/SP) pelo sequestro do metalúrgico Feliciano Eugenio Neto, militante do Partido Comunista Brasileiro (PCB). A prisão da vítima, “para averiguação”, sem flagrante ou comunicação à Justiça, ocorreu em 2 de outubro de 1975, e só foi formalizada (registrada em documento) pelos delegados no dia 31 de outubro daquele ano. (mais…)

Ler Mais

Nas ruas do Brasil, a ditadura ainda vive

Vias públicas batizadas em homenagem a torturadores e mandantes do regime militar estão presentes em todo o país

por Rodrigo Menegat para a Agência Pública

Uma rua de menos de 200 metros no centro de São Paulo leva o nome de Vladimir Herzog. Ela homenageia o jornalista que foi torturado e morto pela ditadura militar – que governou o país de 1964 até 1985 – e se constitui em uma pequena exceção: a maioria das ruas que levam os nomes de personagens do período homenageia o lado dos ditadores e seus colaboradores. (mais…)

Ler Mais

PMs marcam presença organizada em audiência sobre Direitos Humanos

Militares questionam conteúdo do Plano Estadual de Educação em Direitos Humanos que trata da Ditadura Militar, pedindo a retirada de expressões como ‘repressão’ e que seja abordado ‘o outro lado da história’

por Sarah Furtado, especial para Ponte Jornalismo

A Defensoria Pública do Estado de São Paulo recebeu, na manhã do dia 23, a 21ª audiência pública para discussão do Plano Estadual de Educação em Direitos Humanos. Mais uma vez, a presença massiva de policiais militares marcou um dia de votação. Dentre eles, apenas três usavam farda. (mais…)

Ler Mais