Livro digital sobre memória dos saberes tradicionais em território Guarani-Kaiowá será lançado, em 23/7

Por Verônica Almeida, no Informe Ensp

O ObservaPICS lança, dia 23 de julho, o livro digital Pohã Ñana (Plantas Medicinais): fortalecimento, território e memória Guarani e Kaiowá, mais um produto da pesquisa Práticas tradicionais de cura e plantas medicinais mais prevalentes entre os indígenas da etnia Guarani-Kaiowá,  na região Centro-Oeste coordenada pelos pesquisadores Paulo Basta, da Escola Nacional de Saúde Pública (Ensp-RJ), e Islândia Carvalho (Fiocruz Pernambuco), coordenadora do observatório. Além dos dois, são organizadores da publicação Aparecida Benites (Kuñatãi mbo`y arandu) e Ananda Meinberg Bevacqua (Kunãtai tucamby).

(mais…)

Ler Mais

Aílton Krenak e a busca da totalidade cósmica

Em Ideias para adiar o fim do mundo, ele argumenta: Ocidente gerou uma sociedade de ausências. Desconectou-nos da memória ancestral, da Natureza e das experiências em comunidade. Evitar catástrofes requer descolonizar a vida

por Alex Hotz*, em Outras Palavras

Não é de hoje que as reflexões de Ailton Krenak provocam intensas discussões e provocações aos pensadores convencionais. Líder indígena, pensador herdeiro dos saberes tradicionais e defensor dos direitos de seu povo, Ailton fala de um lugar onde os saberes ainda não foram colonizados e nem se renderam a materialidade eurocêntrica. Seu discurso transcrito carrega os potenciais da oralidade e estimula a reflexão para além das regras formais da escrita convencional e acadêmica. Tudo isso encontramos em seu pequeno e profundo livro intitulado As ideias para adiar o fim do mundo (2019) e na mais recente publicação intitulada O amanhã não está à venda (2020), ambos pela editora Companhia das Letras.

(mais…)

Ler Mais

Estudantes da UFPE, em Caruaru, adaptam enredo do ‘Auto da Compadecida’ para o período de pandemia do coronavírus

Projeto é uma adaptação livre da obra de Ariano Suassuna. Lançado em podcast, o trabalho traz o cangaceiro Severino de Aracaju como o Capitão Covid, que é alérgico a sabão.

Por Joalline Nascimento, G1 Caruaru

A ideia de transformar o cangaceiro Severino de Aracaju, da obra “Auto da Compadecida”, no Capitão Covid bem que poderia ter sido de João Grilo, mas não foi. A proposta surgiu em um projeto de extensão do curso de comunicação social da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), em Caruaru, no Agreste. Sob a orientação de duas professoras, os estudantes desenvolveram o “Auto da Compadecida em tempos de pandemia” – um podcast em formato de radionovela.

(mais…)

Ler Mais

MPF pede para Ibama descumprir despacho do Ministério do Meio Ambiente que anistia invasores da Mata Atlântica em SP

Despacho do ministro Ricardo Salles pode levar ao cancelamento indevido de multas por infração ambiental no estado, segundo Ministério Público Federal.

Por Sabina Simonato, SP1, no G1

O Ministério Público Federal (MPF) em São Paulo pediu ao Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) que descumpra o decreto do Ministério do Meio Ambiente que praticamente “anistia” proprietários rurais que invadiram a Mata Atlântica no estado.

(mais…)

Ler Mais

Carta aberta pela preservação e recuperação da Aldeia de São Fidélis, Valença

Valença, 24 de Abril de 2020 – Dia de São Fidélis

Mais um monumento em Valença poderá cair. Não estamos falando dos casarões da Praça da República, do Teatro Municipal, da Câmara, da Cadeia (embora estes requeiram também atenção urgente). Trata-se da Igreja de São Fidélis, cujos festejos (outrora comemorados com uma cavalgada) esse ano passaram despercebidos. Documentos mostram que é ela, talvez, uma das construções mais antigas ainda em pé, já que sua existência remonta ao período em que se iniciou a construção da Igreja do Amparo, em 1757.

(mais…)

Ler Mais

A fábrica da desunião. Por Rubens R.R. Casara

Na Revista Cult

Geração ofendida

Para muitos, a sensação é de termos sido lançados em um pesadelo. Diante dos absurdos que se repetem, há uma pergunta que ainda não recebeu uma resposta adequada: como permitimos essa longa noite que parece não ter fim?

Por um lado, a visão de mundo hegemônica parece indicar que os “outros” devem ser percebidos como ameaças, concorrentes e, não raro, inimigos que devem ser destruídos. O egoísmo tornou-se virtude em um mundo em que o objetivo principal é a acumulação de capital.

(mais…)

Ler Mais

Você conhece os mistérios da Serrinha? O ninho da abundância cultural Carioca

Por Flávio Silva, no Rio On Watch

Me chamo Flávio da Silva França Alves, mais conhecido como Mestre Flavinho, sou batuqueiro, jongueiro, imperiano e fundador do Projeto Herdeiros. Nascido e criado no Morro da Serrinha, desde as primeiras horas de vida recebi de Olorun uma visão das minhas origens ancestrais.

A História do Morro da Serrinha

A comunidade do Morro da Serrinha tem mais de 100 anos de existência. Está localizada em MadureiraZona Norte do Rio. Sua história começa logo no início do século XX. Após a abolição da escravidão por lei e da proclamação da república, as pessoas escravizadas não receberam nenhum tipo de indenização. Os trabalhos que realizavam no campo de forma escrava foram substituídos por mão-de-obra de imigrantes europeus, que diferente deles recebiam por seu trabalho. A falta de perspectivas no campo forçou a migração dos negros para a então capital, o Rio de Janeiro. 

(mais…)

Ler Mais

O modo de funcionamento da humanidade entrou em crise. Por Ailton Krenak

Em entrevista exclusiva, o líder indígena Ailton Krenak reflete sobre o significado da pandemia e faz um alerta:“se voltarmos à chamada ‘normalidade’, não valeram de nada as mortes de milhares de pessoas”

Por Bertha Maakaroun, no Jornalistas Livres

O mundo está em suspensão. O momento é de recolhimento, de silêncio. A experiência do isolamento social, para enfrentar o horror do novo coronavírus, pode trazer lições valiosas à humanidade. “Se essa tragédia serve para alguma coisa é mostrar quem nós somos. É para nós refletirmos e prestar atenção ao sentido do que venha mesmo ser humano. E não sei se vamos sair dessa experiência da mesma maneira que entramos. Tomara que não”, afirma o escritor Ailton Krenak, de 66 anos, um dos mais destacados ativistas do movimento socioambiental e de defesa dos direitos indígenas e doutor honoris causa pela Universidade de Juiz de Fora.

(mais…)

Ler Mais

Ouça canções do Candomblé gravadas em 1940: etnomusicologia

Do Observatório Nacional de Cultura

Em 2002, Xavier Vatin, professor de antropologia na Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB), encontrou nos arquivos da Universidade de Indiana (EUA) uma vasta coleção de áudios gravados pelo linguista americano Lorenzo Turner durante uma viagem à Bahia. Tratava-se de um tesouro ainda inédito: mais de cem discos de alumínio (um total de 17 horas de áudio) contendo registros de sacerdotes e sacerdotisas de candomblés dos anos 1940.

(mais…)

Ler Mais