Funarte cita Deus para reprovar apoio da Lei Rouanet a festival de jazz na Bahia

Órgão do governo do presidente Jair Bolsonaro também mencionou postagem feita pela organização do Festival do Capão nas redes sociais, em junho do ano passado, quando se posicionou como ‘festival antifascista e pela democracia’

Por G1 BA

A Fundação Nacional de Artes (Funarte) citou Deus em um parecer técnico para reprovar o pedido de apoio do Festival de Jazz do Capão, realizado na região da Chapada Diamantina, na Bahia, via Lei Federal de Incentivo à Cultura (Lei Rouanet). Além disso, o documento da Funarte também menciona uma publicação em rede social em que o evento se posiciona como “um festival antifascista e pela democracia”, para embasar o parecer de indeferimento do pedido.

(mais…)

Ler Mais

Fundação Palmares tem gestão voltada para o desmonte, afirmam ex-presidentes

Ex-dirigentes da Fundação Palmares lamentam ofensiva contra livros e apontam tentativa de esvaziamento da entidade em suas funções

Por Vitor Nuzzi, da RBA

Excluídos do acervo por “teor marxista”, “perversão” e outras inadequações apontadas pela atual gestão, livros da Fundação Palmares são mais um capítulo no processo de descaracterização da entidade, segundo dois de seus ex-presidentes. Para eles, além de certo obscurantismo, a medida ajuda a desviar a atenção para um incessante processo de “desmonte” da instituição, criada em 1988 (Lei 7.668).

(mais…)

Ler Mais

Historiadora Lilia Schwarcz traça paralelo entre a gripe espanhola e a pandemia de Covid-19 em evento do STF

Para a professora, a história guarda lições para que a sociedade atual aprenda com os erros e acertos do passado

STF

A antropóloga e historiadora Lilia Schwarcz participou, nesta sexta-feira (11), do evento virtual “Registros históricos em períodos de pandemia: um olhar para a Covid-19”, promovido pelo Supremo Tribunal Federal (STF). A professora da Universidade de São Paulo (USP) e de Princeton, nos Estados Unidos, traçou um paralelo entre a gripe espanhola de 1918 e a atual pandemia da Covid-19 e destacou as lições que a sociedade deve apreender com a crise.

(mais…)

Ler Mais

10° International Uranium Film Festival, online e gratuito, ocorre de 20 a 30 de maio

Uranium Film Festival

De 20 a 30 de maio de 2021, online e gratuito com o apoio da Cinemateca do MAM Rio 34 documentários e ficções de 26 cineastas de 15 países. Dois filmes sobre Fukushima e um filme sobre a criação da bomba atômica são estreias mundiais. Seis filmes são estreias na América Latina.

Dois eventos ao vivo online completam a programação. 

(mais…)

Ler Mais

“Um país que não tem memória não tem futuro”: trabalhadoras e trabalhadores da cultura relatam a situação do setor na pandemia

A apresentação foi feita na Comissão de Legislação Participativa (CLP), presidida pelo deputado Waldenor Pereira (PT/BA). Na pauta, desemprego, Ancine e recursos do Fundo do Audiovisual.

por Pedro Calvi / CLP

Sônia Santana, presidente do Sindicato dos Trabalhadores na Indústria Cinematográfica e do Audiovisual dos Estados de São Paulo, Rio Grande do Sul, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás, Tocantins e Distrito Federal (Sindcine), detalhou os problemas de demandas da área. Estima-se que o setor gera 300 mil empregos diretos e indiretos.

(mais…)

Ler Mais

“Um país que não tem memória não tem futuro”: trabalhadores da cultura relatam em comissão da Câmara dos Deputados a situação do setor na pandemia

A apresentação foi feita na Comissão de Legislação Participativa (CLP), presidida pelo deputado Waldenor Pereira (PT/BA).  Na pauta, desemprego, Ancine e recursos do Fundo do Audiovisual.

Pedro Calvi / CLP

Sônia Santana, presidente do Sindicato dos Trabalhadores na Indústria Cinematográfica e do Audiovisual dos Estados de São Paulo, Rio Grande do Sul, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás, Tocantins e Distrito Federal (Sindcine), detalhou os problemas de demandas da área. Estima-se que o setor gera 300 mil empregos diretos e indiretos.

(mais…)

Ler Mais

O lugar do negro: a escravatura no cinema brasileiro. Por Ariel de Bigault

Na Buala

Os primeiros filmes brasileiros são realizados em 1897. Nove anos antes, o Brasil fora o último país ocidental a abolir a escravatura. Os portugueses começam o tráfego negreiro pouco após a descoberta e, durante 350 anos, deportam no mínimo 5 milhões de africanos, número que não inclui os desaparecidos no oceano. Soldados da conquista, mão-de-obra no campo e na cidade, empregados e artesãos, os africanos edificam o Brasil. Quando D. Pedro, herdeiro da coroa portuguesa e rei do Brasil, proclama a independência, em 1822, dois terços dos brasileiros são afro-descendentes, na sua maioria alforriados e livres. No entanto, durante décadas, o cinema oculta esse passado fundador, o cinema apaga a escravidão.  

(mais…)

Ler Mais

Ataques de Bolsonaro a jornalistas são tema de ato pela democracia em SP

Com transmissão pela TVT, Vigília pela Vida e pela Liberdade reuniu mais de 40 organizações no Dia Mundial da Saúde, também Dia do Jornalista; entre os temas, as ameaças, os assédios judiciais e as mortes de profissionais da saúde e da imprensa durante a pandemia

Por Alceu Luís Castilho, em De Olho nos Ruralistas

Às 20 horas de quarta-feira, a Vigília pela Vida e pela Liberdade nomeou jornalistas perseguidos pelo bolsonarismo e denunciou situações de ameaça, pressão jurídica descabida e outros tipos de violência contra profissionais da imprensa. Sete de abril é Dia do Jornalista e Dia Mundial da Saúde. Com transmissão pela TVT, o ato teve o apoio de pelo menos 41 organizações, entre elas a Associação Brasileira de Imprensa (ABI), a Associação Brasileira de Juristas pela Democracia, o Conselho Federal de Economia e o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MTS).

(mais…)

Ler Mais

Cia. do Despejo faz crítica à necropolítica brasileira na videoarte ‘IRETI’, inspirada na mitologia Iorubá

Cultura Carta Campinas

Com a missão de dar voz às culturas afrodiaspóricas – que foram depreciadas ao longo da História -, a Cia. do Despejo estreia a videoarte online “IRETI”, inspirada no espetáculo de mesmo nome. A obra é uma crítica à necropolítica brasileira e às violências sofridas pelas mulheres negras em nosso país. O texto ficou em 4º lugar no edital de Dramaturgia em Pequenos Formatos Cênicos, realizado pelo CCSP – Centro Cultural São Paulo em 2019.

(mais…)

Ler Mais