Lançamento do mapa temático “¡Esto no Vale! Isso não Vale!”: conflitos socioambientais causados pela Vale no mundo

EJAtlas

Na ocasião do Dia Internacional de Ação pelos Rios 2019, a equipe doENVJUSTICE – EJAtlas no Instituto de Ciência e Tecnologia Ambiental (ICTA) da Universidade Autônoma de Barcelona divulga “¡Esto no Vale! Isso não Vale! Vale S.A. operations and socio-environmental conflicts”, um mapa temático sobre os conflitos socioambientais no mundo relacionado aos projetos de mineração e infraestrutura da Vale SA. Entre eles estão projetos de mineração e o uso de barragens de rejeitos, como as que se romperam em Mariana (2015) e Brumadinho (jan. 2019), deixando centenas de mortos e contaminando rios e terras de forma irreversível.

O mapa mostra que a mineradora é responsável por uma grande variedade de impactos socioambientais no mundo. Para o dia internacional de proteção dos rios, o grupo de pesquisa deseja contribuir com movimentos de justiça ambiental no mundo inteiro, que reivindicam justiça e o fim da impunidade corporativa. Assim, também, nos somamos a eles na reflexão urgente sobre os problemas mais amplos gerados pela lógica do extrativismo de recursos primários, impulsionado por grandes empresas de mineração, como a Vale, e frequentemente estimulado por projetos e instituições governamentais, com o objetivo de promover o crescimento econômico e o desenvolvimento regional. Além de acentuar a dependência das exportações primárias nos países do Sul Global, os casos de conflito apresentados no mapa também mostram que esse modelo distribui de forma desigual o custo da destruição ambiental, já que as comunidades afetadas continuam enfrentando uma infinidade de injustiças e o risco constante de tragédias dramáticas como as que assistimos recentemente.

Clique aqui para acessar o Mapa

O mapa foi produzido pelo grupo de pesquisa EJAtlas da Universidade Autônoma de Barcelona (Daniela Del Bene, Sara Mingorría, Grettel Navas, Lucrecia Wagner, Raquel Neyra, Max Stoisser), por Yannick Deniau do coletivo Geocomunes (México) e por Beatriz Saes (Universidade Federal Fluminense, Brasil). O texto abaixo é de Beatriz Saes.

Este mapa foi co-produzido por cerca de trinta acadêmico-ativistas, pesquisadores independentes e ativistas locais. Os autores das fichas dos casos no EJAtlas são indicados no final de cada ficha. Somos gratos às organizações e coletivos que compartilharam seus dados sobre os casos e mobilizações e que lutam todos os dias no campo, nos tribunais, nos campos, em seus lares. Um agradecimento especial ao Movimento dos Atingidos e Atingidas por Barragens (MAB), Articulação Internacional da Atingidos e Atingidas pela Vale, Movimento Aguas de Gandarela, FASE, Jubileu Sul Brasil, Movimento pela Soberania Popular na Mineração (MAM) e o grupo de pesquisa de Mapa de Conflitos envolvendo Injustiça Ambiental e Saúde no Brasil, Mining Watch Canada, JATAM Indonesia.

Deixe uma resposta

O comentário deve ter seu nome e sobrenome. O e-mail é necessário, mas não será publicado.

1 × cinco =