Governador do Pará atende solicitação da CDHM sobre assassinato de defensora dos direitos humanos no estado

Nesta segunda-feira (25), o governador do Pará, Elder Barbalho conversou como presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados, Helder Salomão (PT/ES) sobre os assassinatos da defensora de direitos humanos e coordenadora regional do Movimento dos Atingidos por Barragem, Dilma Ferreira da Silva, do marido dela Claudionor Amaro Costa da Silva e de Hilton Lopes. Eles foram encontrados amarrados e esfaqueados na sexta em um assentamento na área rural de Baião, na região da hidrelétrica de Tucuruí.

Por Pedro Calvi, CDHM

A denúncia foi enviada, a CDHM, no mesmo dia, pelo Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB). Em seguida, o presidente da Comissão pediu agilidade na adoção na apuração do crime e na identificação dos responsáveis, através de ofícios para o governador do Pará, ao secretário de Estado de Segurança Pública e Defesa Social, Ualame Machado e para o procurador-geral de Justiça, Glberto Martins.

“Hoje, o governador Helder Barbalho falou conosco sobre as providências que estão sendo tomadas. Entre elas, o envio para o local do crime de servidores da delegacia especializada em conflitos agrários e do delegado-geral de polícia do Pará, Alberto Teixeira. O governador garantiu que os crimes serão esclarecidos e vai nos manter informados sobre todas as ações que forem desenvolvidas”, afirmou Helder Salomão.

O Escritório para América do Sul do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos (ACNUDH) também condenou os assassinatos.

Em nota oficial, o ACNUDH pede às autoridades brasileiras uma completa investigação completa, independente e imparcial sobre os crimes.

O Escritório afirma, ainda, que “o Estado brasileiro tem a responsabilidade de garantir a proteção integral das pessoas defensoras de direitos humanos no país para que possam cumprir com seu papel fundamental na sociedade, especialmente na defesa dos direitos das populações mais vulneráveis”.

Imagem: Dilma Ferreira da Silva – Foto: reprodução G1

Deixe uma resposta

O comentário deve ter seu nome e sobrenome. O e-mail é necessário, mas não será publicado.

um × um =