Diretores do ICMBio pedem exoneração do cargo após saída de presidente

Por Matheus Leitão, G1

Após a saída de Adalberto Eberhard na semana passada da presidência do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), três diretores do órgão ambiental também pediram nesta quarta-feira (24) exoneração ao ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles.

No ofício encaminhado ao ministro, três dos quatro diretores que estão diretamente subordinados à presidência do ICMBio pediram desligamento dos cargos:

  • Régis Pinto Maia, presidente-substituto e diretor de Pesquisa, Avaliação e Monitoramento da Biodiversidade (Dibio);
  • Luiz Felipe de Luca, diretor de Criação e Manejo de Unidades de Conservação (Diman);
  • Gabriel Henrique Lui, diretor de Ações e Socioambientais e Consolidação Territorial em Unidades De conservação (DISAT)

Questionado pelo blog, o Ministério do Meio Ambiente respondeu, em nota, que a nomeação de uma nova diretoria é parte do “processo” natural de preenchimento de cargos da nova gestão.

Reprodução de ofício no qual três diretores do ICMBio pedem demissão ao ministro do Meio Ambiente. Documento foi compartilhado em grupo de troca de mensagens de associação — Foto: Reprodução

“A nomeação da nova diretoria do ICMBio complementa o processo de ocupação natural de cargos da nova gestão que conduzirá os trabalhos do instituto, juntamente com o presidente indicado, coronel Homero de Giorge Cerqueira”, afirmou o ministério na nota.

O ofício com os pedidos de demissão dos três diretores do instituto circulou na manhã desta quarta-feira em grupo de troca de mensagens da Associação Nacional de Servidores da Carreira de Meio Ambiente (Ascema Nacional).

Como o blog informou, a associação divulgou carta repudiando declarações de Ricardo Salles, a quem chamou de “ardiloso, falacioso e grosseiro”. A entidade citou o episódio em que o ministro do Meio Ambiente ameaçou os servidores e criticou a atitude dele.

O diretor da Ascema Nacional, Rogério Eliseu Egewarth, confirmou ao blog que o pedido de demissão consta do sistema eletrônico do ICMBio.

Os servidores começam o documento citando a exoneração de Adalberto Eberhard e falam sobre a necessidade de que as orientações para o ICMBio sejam amparadas por uma equipe de confiança de Ricardo Salles.

“Frente à exoneração do senhor Adalberto Eberhard do cargo de presidente do ICMBio no último 15/04 e reconhecendo a necessidade de que suas orientações para o instituto sejam amparadas e conduzidas por uma equipe de sua mais elevada estima e confiança, vimos solicitar a exoneração dos cargos”, escreveram os servidores em trecho do ofício.

Na conclusão do documento, os três servidores demissionários agradecem “a oportunidade de contribuir com a gestão do ICMBio”.

Demissão de Eberhard

O pedido de demissão de Adalberto Eberhard da presidência do ICMBio foi apresentado depois que o ex-presidente do instituto acompanhou Ricardo Salles em uma agenda no Rio Grande do Sul.

Em um evento da agenda, o ministro ameaçou abrir processo administrativo contra servidores que não estavam presentes. Além disso, a fala de Salles sobre uma possível fusão entre o ICMBio e o Ibama teria incomodado o agora ex-presidente do instituto.

Para o lugar de Adalberto Eberhard, o ministro do Meio Ambientou nomeou o coronel Homero de Giorge Cerqueira, que atuava como comandante da Polícia Militar Ambiental do estado de São Paulo.

Imagem: A saída dos diretores ocorre em meio a uma crise instalada na área ambiental do governo Bolsonaro (Rafaela Felicciano/Divulgação)

Enviada para Combate Racismo Ambiental por Amyra El Khalili

Deixe uma resposta

O comentário deve ter seu nome e sobrenome. O e-mail é necessário, mas não será publicado.

doze + dezoito =