Em prática fascista, Bolsonaro exibe vídeo gravado por estudante em sala de aula

No Brasil 247

Na manhã deste domingo (28), Jair Bolsonaro publicou no Twitter vídeo em que aluna de cursinho filma professora criticando o astrólogo Olavo de Carvalho em sala de aula. “Professor tem que ensinar e não doutrinar”, escreveu Bolsonaro. O jornalista Luis Nassif rebateu dizendo que esse tipo de exposição é prática do fascismo: “presidente tem que ensinar que dedo-duro em sala de aula é fascismo”, escreveu.

Irritada pela professora chamar o astrólogo Olavo de Carvalho de “anta”, a aluna bate-boca com a professora, que antes havia criticado o projeto Escola Sem Partido e o governo. Em vez de debater e contra-argumentar, a estudante passou a filmar a professora e ainda a ameaçou: “todas as suas aulas eu vou gravar e expor na internet”.

Bolsonaro, que em quatro meses de governo mostrou não ter o menor apreço pela Educação, gostou da atitude da estudante e abre um precedente perigoso ao incentivar a prática.

Em outubro de 2018, a então deputada estadual eleita em Santa Catarina, Ana Carolina Campagnolo, do partido de Bolsonaro (PSL), havia causado polêmica ao pedir para estudantes catarinenses filmarem e denunciarem “professores doutrinadores” em sala de aula.

Ela, porém, foi rapidamente denunciada nas redes sociais por um ex-aluno. Evangélica, apoiadora de Jair Bolsonaro e defensora do Escola sem Partido, Campagnolo é professora de História e, de acordo com um estudante, chegou a dar aulas vestindo uma camiseta de Bolsonaro.

Deixe uma resposta

O comentário deve ter seu nome e sobrenome. O e-mail é necessário, mas não será publicado.

catorze − um =