Nota de repúdio sobre o caso Fábio Santos

Com 6 anos de impunidade, audiência do caso Fábio Santos é adiada mais uma vez

Por Coletivo de Comunicação do MST na Bahia
Da Página do MST

Há seis anos, o professor e camponês Fábio Santos, uma das principais lideranças do MST na Bahia,  foi brutalmente assassinado na frente de sua esposa e filha no município de Iguaí, no sudeste baiano e até hoje os responsáveis permanecem impunes. Confira a nota do MST sobre ao andamento do caso.

NOTA DE REPÚDIO

O MST repudia a forma como vem sendo conduzido o caso de Fábio Santos, e o descaso que há seis anos tem se tornado cada vez mais visível pela sociedade. A impunidade e a falta de justiça mostra o quanto o povo do campo tem sofrido.

Mais uma vez o judiciário mostra seu descaso em relação ao povo do campo, após seis anos de luta para que haja justiça no caso de Fábio Santos, que foi morto na frente da esposa e filha na cidade de Iguaí, no sudoeste baiano.

Fábio santos era professor, camponês, militante do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra e um grande lutador da reforma agrária; foi comprovado no inquérito policial que seu assassinato ocorreu por defender a distribuição de terras para o povo.

Desde a morte de Fábio, o MST tem estado numa luta constante frente ao judiciário; toda vez que o processo parece que vai caminhar, acontece uma desarticulação que trava todo o processo que já vem se arrastando por seis longos anos.

Durante essa luta por justiça vários juízes(as) se declararam suspeitos, ou seja, incapazes de julgar o processo com imparcialidade.

No decorrer do processo houve um juiz da comarca de Vitória da Conquista que decretou a prisão preventiva dos suspeitos. No entanto, assim como os demais juízes que assumiram o caso, se  declarou suspeito, inviabilizando todo o processo.

No bojo da luta por justiça, o MST junto aos advogados, insistiram para que a audiência fosse marcada, o que foi feito para o dia 26 de junho em Iguaí.

No entanto, faltando apenas oito dias para a audiência, a juíza Lázara Abadia de Oliveira Figueira suspendeu a audiência, sem próxima data marcada. Mais uma vez vemos o descaso e a morosidade da justiça brasileira.

O MST repudia a morosidade que esta sendo revelada no caso Fábio. Mais uma vez a justiça não foi feita, a impunidade reina para os assassinos e nada tem sido feito.

É inadmissível que o Judiciário mantenha este processo por mais de seis anos de impunidade. É uma demonstração clara da parcialidade e do descaso do Poder Judiciário com as causas sociais e com a vida dos trabalhadores e trabalhadoras.

Exigimos que o Judiciário dê prosseguimento na resolução do caso e prendam todos os assassinos.

Não podemos permitir que a impunidade prevaleça frente a justiça, por isso continuaremos em luta e resistiremos. Não nos calaremos diante de nenhuma injustiça.

Movimento dos Sem Terra na Bahia

Fábio Santos foi assassinado com 15 tiros durante uma emboscada

Deixe uma resposta

O comentário deve ter seu nome e sobrenome. O e-mail é necessário, mas não será publicado.

cinco × dois =