#VazaJato 10: “400K”. E chegamos a março de 2019!

Tania Pacheco

Se Moro, Deltan e outros procuradores tinham alguma esperança de que o vazamento de suas conversas nada públicas terminaria no final de 2018, isso acabou hoje. Para nós, entretanto, a expectativa cresce, na medida em que a nova reportagem divulgada pelo The Intercept Brasil chega a 3 de março deste ano.

400k tem como tema principal os lucros que Deltan Dallagnol tinha e esperava conseguir com cursos e palestras. O título da matéria se refere ao total presumido para 2018, ainda no início do segundo semestre: 400 mil reais.

Mas a adesão à ‘Teologia da Prosperidade’ segue um curso crescente. como revela o TIB. Já com seu ‘mentor’ no Ministério da Justiça, Deltan busca um novo e mais rentável passo: a abertura, juntamente com o procurador Roberson Pozzobon, de uma empresa ou instituição que organizasse as atividades, a ser gerenciada pela mulheres de ambos. Como ele explica, é “um bom jeito de aproveitar nosso networking e visibilidade”:

“Só vamos ter que separar as tratativas de coordenação pedagógica do curso que podem ser minhas e do Robito [Pozzobon] e as tratativas gerenciais que precisam ser de Vcs duas, por questão legal.”

O diálogo acima faz parte de uma conversa da qual participavam apenas os quatro – Deltan, Pozzobon e suas mulheres -, o que sugere nova pista com relação aos vazamentos. Mas, como estamos fazendo desde 9 de junho, não postaremos aqui a matéria do Intercept. Informamos, divulgamos e, em seguida, oferecemos a você um link para ela. Mais uma vez, vale a pena!

***

“400K”; Deltan Dallagnol usou fama da Lava Jato para lucrar com palestras e livros

Os procuradores Deltan Dallagnol, Carlos Fernando dos Santos Lima e Roberson Pozzobon, recebendo o prêmio Global Investigation Review nos EUA. Foto: Reprodução Twitter

Deixe uma resposta

O comentário deve ter seu nome e sobrenome. O e-mail é necessário, mas não será publicado.

3 × um =