Sociedade civil europeia eleva pressão contrária ao acordo comercial com Brasil

ClimaInfo

Enquanto o governo brasileiro pensa em como recuperar sua imagem no exterior, organizações da sociedade civil europeias seguem pressionando a União Europeia para impedir a tramitação da aprovação do acordo comercial do bloco com o Mercosul por conta da destruição ambiental no Brasil.

Na semana passada, o grupo “Stop TTIP Italia” divulgou um relatório mostrando os riscos que o Acordo pode causar ao meio ambiente. O grupo lançou também uma campanha nas redes sociais para pressionar a Comissão Europeia, com a hashtag #StopEUMercosur.

A ONG Human Rights Watch (HRW) também se posicionou contrária ao Acordo, afirmando que o texto não deve ser considerado para ratificação até que o Brasil mostre disposição e capacidade para cumprir seus compromissos de proteção da Floresta Amazônica. “O presidente Bolsonaro não está apenas desrespeitando os compromissos ambientais previstos no acordo, ele está tornando cada vez mais improvável que mesmo os futuros governos brasileiros sejam capazes de cumpri-los”, apontou Maria Laura Canineu, diretora da HRW no Brasil. “Se a UE busca apoiar os brasileiros que estão se expondo a riscos para salvar sua floresta, é preciso agir agora, antes que Bolsonaro possa causar mais estragos”.

“Se não houver oposição, esse acordo permitirá a importação de 99 mil toneladas de carne bovina livre de tarifas – sacrificando florestas e direitos no altar do comércio”, acusou Nicole Polsterer, da ONG Fern, em artigo no Climate Home. O grupo publicou na semana passada um briefing sobre como o governo Bolsonaro está transformando o Brasil em um “pária internacional”.

A pressão contra o acordo deve ser redobrada ao longo deste semestre, aproveitando a chegada da Alemanha à presidência do Conselho da UE e os anúncios recentes sobre incentivos verdes para a recuperação econômica do bloco.

Deixe uma resposta

O comentário deve ter seu nome e sobrenome. O e-mail é necessário, mas não será publicado.

2 × cinco =