Posts de professor de academia militar (Aman) desmentem distância entre quartel e política

Tenente-coronel Anderson Valentim é professor de filosofia e ética na Academia Militar de Agulhas Negras

Por Ayrton Centeno, no Brasil de Fato 

Na sexta-feira 13, para azar de Jair Bolsonaro, o comandante do Exército, Edson Pujol, afirmou “não somos instituição de governo, não temos partido, nosso partido é o Brasil”. A fala foi seguida pelo vice Hamilton Mourão e pelo próprio presidente em mais um de seus recuos. Não parece ser, porém, o que pensam alguns militares.

Evidência disso são as postagens no Facebook do tenente-coronel Anderson Valentim. Ele é professor de filosofia e ética na Academia Militar de Agulhas Negras (AMAN), a mais afamada escola de preparação de oficiais do país. “Arrume outra forma de piorar a sua vida porque votando no PT, você piora a minha também”, diz o cartaz vermelho, com a estrela do partido no centro, que postou no dia 24 de outubro, às 10h19.

Reproduzindo material do programa Os Pingos nos IS, da rádio Jovem Pan, o professor que prepara a futura cúpula da instituição – na rede social ele também se apresenta como psicopedagogo e com 26 anos de FFAA – criticou a campanha “Financiamento Militante” lançada pelo PT. Aconteceu em 11 de setembro. No vídeo reproduzido, a chamada é “PT resolve meter a mão no bolso do filiado”. Também sobra para Manuela D’Ávila, candidata do PCdoB à prefeita de Porto Alegre.   

Joice é chamada de Peppa

Mas a esquerda não é o único alvo. Dissidentes do bolsonarismo também são atacados. É o caso dos deputados Joice Hasselmann e Artur do Val, hoje concorrentes à Prefeitura de São Paulo. No dia 26 de setembro, Valentim festejou, publicando uma foto montada de ambos em que Joice chora e Mamãe Falei mostra-se abatido. E a legenda: “O preço da traição: Mamãe Falhei tem 2% e Peppa tem 2% de intenções de voto (sic)”. E abaixo: “Os paulistanos não perdoam políticos traidores e oportunistas”.

Em 14 de junho, louvou novamente Bolsonaro ao postar a imagem de um círculo com o presidente no centro e no entorno figuras como as do ex-deputado Jean Wyllys, do PSol, o ex-governador carioca Wilson Witzel, Lula, Alckmin, Ciro, Joice Hasselmann, Dória, Boulos e Adélio Bispo, o perturbado autor do atentado ao então candidato do PSL. “Pra esse cara do meio estar errado todos os demais tem que estar certos”, diz o texto.

“Vírus chinês”

No dia 10 deste mês, atacando o isolamento social e os prefeitos que o defenderam e praticaram, Valentim descreveu o 15 de Novembro, data da eleição, como o “dia de votar naquele que lhe encarcerou, lhe abalou (sic) psicologicamente, fechou seu comércio, quebrou sua empresa, fez seus filhos abandonarem a escola (…) E agora? Pede encarecidamente o seu voto!”

Aliás, o professor da AMAN chama o coronavírus de “vírus chinês”, usa material da emissora norte-americana e trumpista Fox News para elogiar drogas desacreditadas como a hidroxicloroquina e investe contra a Organização Mundial da Saúde (OMS). 

Direita mais auto-ajuda

Seus posts ainda fazem carga contra a Folha de S. Paulo – ironiza texto da campanha de assinaturas do jornal onde é exaltado o “contraponto à intolerância das redes sociais”. Ele pergunta: “Esse pessoal vive em que mundo?” Na verdade, suas intervenções são um mix de referências de ultradireita, mais frases célebres e as capas dos livros de auto-ajuda que mais aprecia.  

Ouvido por Brasil de Fato, um oficial das Forças Armadas que pediu para não ser identificado concorda com a posição de Pujol no sentido da separação entre quartel e política. Mas não é o que ele está observando. “Igual ao Valentin, embora o general não queira, tem milhares”. Ressaltou que o tenente-coronel do Facebook é um caso emblemático por ser professor e “chefe da cadeira de Ética Militar nas Agulhas Negras”.

Edição: Katia Marko

“Arrume outra forma de piorar a sua vida porque votando no PT, você piora a minha também”, diz o cartaz vermelho, com a estrela do partido no centro, que o Tenente-coronel Anderson Valentim, professor de filosofia e ética na Academia Militar de Agulhas Negras, postou no dia 24 de outubro, às 10h19 – Reprodução


Deixe uma resposta

O comentário deve ter seu nome e sobrenome. O e-mail é necessário, mas não será publicado.