Sem conseguir comprar cilindros de oxigênio, HCR para de receber novos pacientes em Ji-Paraná, RO

A administração disse ao G1 que não falta oxigênio para os pacientes já internados e há o “suficiente para cuidar daqueles que já estão na unidade”, porém não existe a possibilidade de abertura de novos leitos.

Por Ana Kézia Gomes, G1 RO

O Hospital Cândido Rondon (HCR) em Ji-Paraná (RO), informou nesta sexta-feira (15) que não consegue comprar cilindros de oxigênio e que por isso não receberá novos pacientes na unidade de saúde. O hospital diz que atingiu a capacidade máxima de lotação em todos os leitos destinados a pacientes com Covid-19.

A administração do HCR reiterou que não falta oxigênio para os pacientes já internados e há o “suficiente para cuidar daqueles que já estão na unidade”, porém não existe a possibilidade atual de abertura de novos leitos.

“Dessa forma sugerimos que os novos pacientes procurem outras unidades hospitalares para evitar maiores complicações de saúde”, declarou o hospital.

Ji-Paraná tem 5.363 casos confirmados de Covid-19 desde o início da pandemia no estado, e chegou aos 128 mortos pela doença. Nas últimas 24 horas 108 novos casos de coronavírus foram registrados na cidade, segundo boletim de saúde da Sesau e Agevisa.

G1 entrou em contato com a Secretaria de Estado de Saúde (Sesau) e, até a última atualização desta reportagem, não obteve resposta referente a possibilidade de abertura de novos leitos no HCR.

Por que pacientes com Covid precisam de oxigênio?

O coronavírus Sars-CoV-2, que causa a Covid-19, causa uma inflamação no pulmão. Isso faz com que ele não consiga mais transferir de forma eficaz o oxigênio que a pessoa respira para dentro do sangue e das células.

Quando isso acontece, a saturação de oxigênio – a concentração dele no sangue – começa a cair. O percentual normal de saturação fica entre 95% e 99%. Quando a pessoa não respira direito, esse índice começa a cair. A intubação, assim como outros métodos de aporte de oxigênio, ajudam a recuperar a saturação de oxigênio no sangue – por isso são tão importantes para pacientes com Covid.

Situação em Manaus

Manaus vive uma situação absolutamente dramática. Com hospitais lotados e sem cilindros de oxigênio suficientes, o governo do Amazonas começou a transferir pacientes de Covid para outros estados e decretou toque de recolher.

É o caos. Pacientes em enfermarias lotadas, sendo reanimados no chão. “Em muitas ocasiões, a gente entuba e fica ventilando na mão até arrumar um ventilador. A gente fica ambuzando o paciente até conseguir um ventilador de algum paciente que falece. Mas é complicado porque até oxigênio está faltando para gente”, conta uma funcionária do Hospital 28 de Agosto.

Enviada para Combate Racismo Ambiental por Íris Morais.

Deixe uma resposta

O comentário deve ter seu nome e sobrenome. O e-mail é necessário, mas não será publicado.