Abaixo assinado: “Manifestação de apoio à concessão de título de Doutora Honoris Causa pela Unifesp a Amelinha Teles”

A Resolução 214/2021 do Conselho Universitário dispõe sobre a concessão de títulos honoríficos no âmbito da Universidade Federal de São Paulo e prevê que personalidades eminentes nacionais ou internacionais que tenham se destacado nas ciências, nas artes, na cultura, na educação e na defesa dos direitos humanos podem ser indicadas para o recebimento do título de Doutor(a) Honoris Causa (art. 6o, inc. III).

A trajetória de Amelinha Teles atesta seu compromisso inabalável com a luta pela democracia, pelos direitos humanos e pelos direitos das mulheres no Brasil. Integrou o Movimento Feminino pela Anistia e a Comissão de Familiares de Mortos e Desaparecidos Políticos. Foi presa política e denunciou as violências perpetradas por agentes da ditadura militar contra ela e sua família. Participou ativamente de fóruns que contribuíram na elaboração da Constituição Federal de 1988 nos temas dos direitos das mulheres e do direito à memória e à verdade. Foi membro da Comissão Estadual da Verdade Rubens Paiva (ALESP) e responsável por evidenciar a violência baseada no gênero praticada contra mulheres opositoras ao regime de exceção. Foi assessora da Comissão da Memória e da Verdade da Prefeitura de São Paulo (CMV). 

Fundadora da União de Mulheres de São Paulo (1981), entidade que desde 1994 realiza o projeto de educação popular e feminista em direitos Promotoras Legais Populares, é uma referência na luta feminista interseccional e tem um papel decisivo na renovação dos quadros do feminismo no Brasil. É autora de dezenas de artigos e tem nove livros publicados (além de dois no prelo), entre os quais se destacam “Breve história do feminismo no Brasil e outros ensaios”, “Da guerrilha à imprensa feminista” (em coautoria com Rosalina Santa Cruz Leite), “O que são direitos humanos das mulheres?” e “O que é violência contra a mulher” (em coautoria com Mônica de Melo). 

Considerando a destacada atuação de Amelinha Teles, e com vistas ao reconhecimento de sua contribuição para o país, apresentou-se sua candidatura para a outorga do título de Doutora Honoris Causa pela Unifesp. O parecer da Comissão Local de Admissibilidade de Títulos Honoríficos foi aprovado pela Congregação do Campus Osasco em 12 de agosto de 2022. O pedido será encaminhado ao Conselho Universitário e o apoio da comunidade unifespiana, bem como da comunidade externa à Unifesp, é muito importante para fortalecer a candidatura. Caso haja identificação com o pedido de outorga de título de Doutora Honoris Causa a Amelinha Teles, por favor, expresse seu apoio assinando essa manifestação.

*

Para assinar, use o link AQUI.

Enviado para Combate Racismo Ambiental por José Costa

Amelinha Teles militou contra a ditadura militar brasileira e foi presa e torturada por agentes do Estado no começo dos anos 1970

Deixe um comentário

O comentário deve ter seu nome e sobrenome. O e-mail é necessário, mas não será publicado.

18 − 13 =